All Posts By

Mirelle Tome

Conhecendo 6 maravilhas do sul do País de Gales

By | Tópicos recentes | No Comments

 

O País de Gales é um dos quatro países que fazem parte do Reino Unido, junto com a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda do Norte.

Era o único que eu ainda não tinha visitado entre os quatro e é tão bonito quanto os outros.

O País de Gales me surpreendeu por suas paisagens exuberantes, natureza intocada e seu povo hospitaleiro, fomos tão bem recebidos que parecia que nós estávamos em outro continente. Pode parecer exagero da minha parte, mas pra quem mora em Londres a tanto tempo não está muito acostumado com as pessoas te cumprimentarem olhando nos olhos, e não é apenas isso que me chamou atenção nos Galeses, a alegria deles contagia a todos em sua volta. Acredito que isso se deve a tranquilidade que o país transmite. Eu cheguei a comentar com meu marido que parecia que o tempo lá passava mais devagar do que na Inglaterra, e em três dias que passamos por lá nos deu a sensação de uma semana fora de casa.

Visitamos alguns lugares que jamais imaginava ser tão belo, e que me fez arrepender muito de não ter ido antes. Temos um problema muito grande, muitas vezes achamos que o que está mais longe é mais interessante do que temos perto, e isso é um grande erro, temos muitos lugares lindos e pouco explorados aqui no Reino Unido e muitos deles à poucas horas de viagem.

Separei alguns lugares que visitamos no Sul País de Gales em 3 dias, fizemos tudo com calma, aproveitando para descansar também.

Nossa primeira parada foi Three Cliffs Bay 3h:30min de carro do Norte de Londres. Gente 3-4 horas de viagem não  é nada, acredita que as vezes gasto 1h:30min para chegar no trabalho atravessando o centro de Londres? O que eu mais gosto de Londres é isso, seja de avião, trem ou carro em menos de três horas você já está em outro país e isso é maravilhoso!

 

Nós decidimos pegar a estrada de última hora, sem saber direito pra onde ir e onde dormir. Uma coisa legal no País de Gales são as variedades de campings, são vários espalhados pelo país, quase que a 1km um do outro. E isso nos proporcionou uma viagem bem diferente do que já estávamos acostumados, e muito, muito barato mesmo. Como era feriado e não tínhamos nada planejado, os hotéis poderiam estar o triplo do preço, então decidimos nos aventurar e acampar por lá, apenas compramos uma barraca, colocamos umas tralhas no carro, passamos no mercado compramos alguns biscoitos e frutas e fomos para a nossa aventura, de “acampar pela primeira vez fora do Brasil”, e foi uma experiência fantástica.

 

Fiz um mapa com os lugares que visitamos, entre praias, cidades e cachoeiras.

Começamos pela região de Swansea, que faz parte da península de Gower, é uma área de belezas naturais de tirar o fôlego, o qual foi o primeiro lugar no Reino Unido a ser reconhecido como uma Área Excepcional de Belezas Naturais, com suas falésias e praias lindas, incluindo a Rhossili Bay, considerada a praia mais bonita do Reino Unido.

 

 

Nossa primeira parada foi Three Cliffs Bay, chegamos lá as 7:00 da manhã, e ainda não tinha ninguém na praia, que foi ótimo para tirar lindas fotos. Se for de carro, precisa deixar o carro num estacionamento que é pago £3  para o dia todo. No estacionamento tem área de piquenique e um pequeno mercado. Do estacionamento na praia, são cerca de 15 minutos de caminhada, e quem quiser acampar nessa área à um acampamento com vistas lindas do alto do penhasco. Quando chegamos lá, a maré estava muito baixa ainda formando uma grande extensão de areia. Os três picos rochosos dominam a paisagem, e um arco natural se revela conforme você caminha em direção aos penhascos. Os três picos dão nome ao local, conhecido como Three Cliffs Bay (baía dos três penhascos). É um dos lugares mais fotografados da costa, e não é difícil ver por quê, né!

Do outro lado as ruínas de um castelo se destacam contra o sol.

Mesmo com tanta fama, a baía estava vazia naquela manhã e minhas pegadas de destaca na praia, depois de umas 2 horas a maré começou a subir e modificou bastante a paisagem, virou praticamente outro ambiente com a água separando as praias, o que torna o mergulho no local perigoso, por causa da presença de correntes fortes. Não há estrutura nenhuma na praia, mas tinha uma barraca de salva-vidas que só estão por lá em épocas de alta temporada.

 

Recomendo subir nos Cliffs, a subida é bem íngreme, mas vale super a pena, a vista de lá é maravilhosa!

Outra parada bem próxima dalí é Rhossili Bay

 

Essa praia é belíssima, e foi considerada as melhores do mundo pelo site TripAdvisor. É um destino muito procurado por surfistas, paragliders e até caminhantes e corredores por sua grande expansão de areia, esta é a orla mais extensa da península Gower, com quase 5 quilômetros.

Acesso à praia: Há um caminho que leva à praia ao lado dos penhascos, mas é uma subida íngreme de volta ao estacionamento, onde é possível ter vistas panorâmicas espetaculares sobre a baía!

Dormimos em um camping na região de  Pembrokeshire, e na manhã seguinte seguimos para Barafundle Bay!

  

Barafundle Bay, Pembrokeshire

Situado na Reserva Natural Nacional de Stackpole, é uma pequena baía apoiada por dunas e pinheiros, por causa de suas areias douradas e águas cristalinas, Barafundle foi eleita muitas vezes como uma das melhores praias da Grã-Bretanha. Para chegar até a praia precisa caminhar cerca de 1 km do parque de estacionamento mais próximo.

 

Depois de muitas fotos e admirar a paisagem seguimos em direção há mais uma das belas paisagens da região Skrinkle Haven!

 

A praia de Skrinkle Haven é uma pequena baía rochosa cercada por penhascos altos e com uma enorme faixa de areia na maré baixa. Na verdade são 2 praias juntas, uma de areia e outra de pedras, separadas por uma enorme parede de calcário. O acesso à praia de pedras é através de uma escadaria de metal até a Church Doors, “Portas da Igreja” – 140 degraus no total. A descida e a subida é bem íngreme, talvez seja difícil o acesso para pessoas idosas ou com dificuldade de locomoção, e o único ponto de acesso à praia de areia é caminhar ao redor do cume de calcário, o que só é possível quando a maré está  baixa e apenas por um curto período de tempo.

 

Há uma área de piquenique no topo das falésias. A vista de lá é de tirar o fôlego!

Depois seguimos para Tenby, uma pequena cidade costeira onde se encontram história, um litoral deslumbrante de belas praias e o sossego das cidadezinhas galesas.

Tenby é uma cidade histórica cercada por muralhas medievais do século 13, com portais circulares formados por arcos, e ruínas de um castelo em frente à praia.

O litoral de Tenby é bem extenso, são 4 km de praias de areia, com paredões rochosos e duas ilhas.

Uma delas é a ilha de St. Catherine, ligada à praia pela areia quando a maré está baixa, um dos cenários mais conhecidos de Tenby. A ilhazinha abriga um forte do século 19, com quatro acomodações, 16 torres pequenas e um salão de jantar. O forte, que foi vendido em 1907, hoje está abandonado, abrigando aves marinhas.

A ilha Caldey é um pouco mais longe, e está  ligada a Tenby por balsas durante a primavera e o verão que atrai visitantes por conta de seu mosteiro, ocupado por monges cistercienses desde 1929.

As praias North Beach, Castle Beach, Harbour Beach e South Beach são as principais praias da Costa, fica até difícil dizer qual eu gostei mais, recomendo fazer uma caminhada pela areia e conhecer todas.  As casas coloridas à beira mar são encantadoras, e seu centro histórico é um verdadeiro charme, cheio de lojas e restaurantes com mesas nas calçadas. Caminhe sobre as calçadas do penhasco da Harbour Beach em direção a North Beach, a vista de lá é incrível!

“Tenby é uma jóia e ainda mais encantadora por sua natureza preservada e riqueza de edifícios históricos coloridos”.

 

Terminamos nosso dia num acampamento perto de Brecon Beacons National Park!

O Brecon Beacons National Park é um dos três parques nacionais do País de Gales, e apresenta uma série de montanhas, cachoeiras, cavernas e é o lar de uma enorme variedade de vida selvagem.

Aqui visitamos duas lindas cachoeiras a Henrhyd Waterfall e a Sgwd Gwladys Waterfall, ambas muito bonitas, mas o acesso não são dos mais fáceis não, mas vale a pena o esforço!

Henrhyd Waterfall

Com uma queda de 27m, Sgwd Henrhyd, no rio Nant Llech, no noroeste de Glyn-Neath, é a maior cachoeira do Parque Nacional.

Uma caminhada de mais ou menos 15 min te conduzirá à cachoeira a partir do estacionamento, perto de Coelbren, pouco mais de 1 km a sudeste de Abercrave. Você segue um caminho íngreme no vale místico e arborizado, uma boa parte do caminho é escorregadio, melhor ir com sapatos apropriados. Chegando lá você pode caminhar em volta da cacheira e dar a volta por traz dela!

 

Sgwd Gwladys Waterfall

Seguimos em direção à Pontneddfechan, Brecon Beacons National Park. É melhor colocar o nome dessa vila do que o nome da cachoeira, porque nós colocamos o nome da cachoeira e o Gps nos conduziu à uma fazenda, a senhora disse que era normal e a maioria dos turistas que querem ir na cachoeira chegam na fazenda por engano, mas ela foi super legal e nos explicou o caminho.

Chegamos na pequena vila e estacionamos o carro no estacionamento do pub Angel Inn, onde aproveitamos para almoçar também. Depois passamos por um portão que conduz à cachoeira, seguimos o caminho conforme indicado pela placa na entrada. São uns 40 minutos de caminhada. A caminhada é longa e nível fácil, e o cenário até a cachoeira é muito bonito, todo o caminho é na beira do rio até chegar na  “Sgwd Gwladus” Falls

De uma cachoeira para a outra foram uns 20 minutos de carro, visitamos as 2 no mesmo dia!

Todos os lugares que citei aqui são dogs friendly, então quem tiver cachorros ficarão felizes em poder passear e levar seus animais de estimação juntos.

 

Como visitar o Vulcão Etna por conta própria? Sicília, Itália!

By | Tópicos recentes | No Comments

Alguém já sonhou em visitar um vulcão antes? Eu sim, e ainda  queria que fosse um ativo, rsrs! É gente, a louca aqui gosta desse tipo de coisa, afinal, viajar pra mim é isso, é nos desafiar e encarar o medo. Visitar um vulcão ativo da medo, porque a natureza pode nos surpreender a qualquer a momento, e mesmo com toda a tecnologia avançada, muitas coisas imprevisíveis podem acontecer, ainda mais se tratando de um vulcão que entrou em erupção poucos meses antes de você decidir visita-lo.

  

O vulcão Etna, tem 3.330 metros de altura, e é o vulcão mais alto da área continental da Europa e pode entrar em ação a qualquer momento. A última grande erupção aconteceu em 1992. E esse ano ele resolveu acordar depois de apenas oito meses adormecido, entrou em erupção novamente, no dia 28 de fevereiro! A erupção  protagonizou momentos dignos de registo, mas, apesar da erupção ser considerada inofensiva, alguns turistas foram atingidos por pedras causando ferimentos leves e graves.

O vulcão fica localizado no nordeste da Sicília, a 55 km de Taormina e 35 km de Catânia.

E ir na Sicília e não visitar o Etna, não é a mesma coisa!

  

Você pode visita-lo por conta própria ou com excursões guiadas saindo de varias cidades próximas. Nós fomos por conta própria, saímos de Catania bem cedo e fomos até o Rifugio Sapienza ( 1h de carro) onde está a estação do teleférico. O lugar é bem preparado para receber os turistas, tem muitos restaurantes, o estacionamento é enorme ( atenção que o estacionamento é pago e só pode estacionar nas faixas azuis) e tem muitas lojas de roupas e acessórios para trekking, e equipamentos para esquiar, já que na época do inverno funciona também como estação de esqui.

 

  

Como chegar no vulcão Etna

 

Você pode ir por conta própria até um certo ponto, onde ficam as primeiras crateras, as “crateras Silvestri”, são aquelas que todo mundo pode visitar, o acesso é livre para todos, inclusive carros particulares. Elas se formaram a partir de uma erupção que aconteceu em 1892 e não estão mais ativas. Praticamente quase todas as excursões incluem essas crateras, já a subida até a cratera central é feita por um teleférico e um ônibus 4×4. Não é permitido o acesso de carros particulares. Algumas pessoas mais aventureiras arriscam fazer trekking, mas imagina subir 3.300 metros? Sinceramente não é pra mim, preferi pagar 69€ e fazer o passeio mais tranquilo e mais rápido, já que tinha outros lugares para visitar.

  • Bilhete do teleférico para chegar a 2.500m de altitude = 30 euros
  • Bilhete para prosseguir até 2.900m com os veículos 4×4 = 30 euros
  • Guia para andar sobre as crateras = 9 euros

 

  

A viagem de teleférico leva cerca de 15 minutos para chegar a 2500 m de altitude da encosta Etna-Sul. Após a ascensão de 581 m começa a segunda parte da excursão. O serviço é realizado com veículos especiais off-road ( ônibus 4×4) conduzidos por motoristas experientes que viajam em segurança absoluta nos caminhos íngremes, atingindo 2.900 m em 20 minutos. Depois somos guiados por guias experientes em montanhas e vulcões. A viagem ida e volta leva cerca de 2-3 horas.

    

 

Dica:

  • Leve um casaco, mesmo no verão, lá em cima faz muito frio!
  • Leve água e algum petisco, no cume do vulcão não tem nada além das belas paisagens!
  • Vá de tênis e preparado para uma boa caminhada com muitas subidas e descidas íngremes!
  • Leve um bom cartão de memória e baterias carregadas, você vai querer tirar milhares fotos!
  • Fuja do guia por alguns instantes rsrs e caminhe pelas outras crateras, admire as paisagens únicas que o lugar oferece e depois pegue o próximo ônibus de volta, porque o que você veio, já perdeu com certeza hahah!

Algumas áreas estava restrito à turistas por causa da última erupção e sua constante atividade.

 

  

 

Na área do teleférico há restaurantes, banheiros, lojas de survenis e também alugam casacos caso esqueçam de levar. 

Horários:

Temporada de inverno – Esqui e esportes na neve (de dezembro a março):

As instalações de esqui de Funivia dell’Etna estão abertas todos os dias das 09:00 às 15:45 (última partida subindo)

Época de verão – Excursões (de abril a novembro):

As instalações da Funivia dell’Etna estão abertas todos os dias das 09:00 às 16:15 (última partida subindo)

Excursões para o pôr do sol:

Segunda-feira, terça-feira e quinta-feira, a partir das 17h30, reserva prévia, ligando para: +39 095 914141- (42)

Mais informações pelo site oficial: Funiviaetna.com

  

 

Saímos de lá e fomos conhecer o Gole dell’Alcantara outro lugar imperdível na Sicília e fica apenas 1 hora de carro do Monte Etna! No caminho paramos para tirar mais fotos das paisagens lunares com vegetações silvestres! É um passeio incrivelmente lindo e imperdível!

 


Siga também:

 

 

Agradecimento aos nossos patrocinadores:


 


 

 

 

 

 

 

 

Dicas de 3 dias em Malta, Comino e Gozo!

By | Tópicos recentes | No Comments

Malta é um país para ser conhecido sem pressa e três dias com certeza não seria o suficiente para conhecer com calma e precisão, mas se você tem apenas três dias para conhecer esse país tão pequeno geograficamente, mas com uma enorme variedade de coisas para ver e fazer, e claro, cheio de belezas naturais, você está no lugar certo! Nesse post estão as principais cidades, praias e atrações do país, incluindo as ilhas irmãs Comino e Gozo.

Chegamos no aeroporto bem tarde já e contratamos tipo um mini-ônibus taxi, que vai deixando os passageiros na porta dos hotéis, preço €14 por pessoa.

A ilha de Malta tem uma história rica e emocionante e um futuro promissor. Este é o único país do mundo onde o número de edifícios antigos excede o número de modernos! Aqui você nunca se cansará de explorar megalitos – construções antigas que são 1000 anos mais antigas do que as pirâmides mundialmente famosas! Além disso, Valletta, a capital de Malta, está incluída na lista do patrimônio mundial da UNESCO, graças às suas inúmeras vistas históricas e culturais, bem como o seu pequeno tamanho. E, claro, Malta é um lugar perfeito para nadar e tomar sol – a temperatura aqui está sempre acima de dez graus, mesmo no inverno. As águas quentes do mar Mediterrâneo, a natureza deslumbrante e a grande variedade de atrações culturais fazem de Malta um destino de sonho para todos aqueles que desejam conhecê-la.

Malta tem uma história rica e colorida que se estende por mais de 5000 anos. Desde as primeiras civilizações até as mais recentes. A localização estratégica de Malta faz dela a jóia do Mediterrâneo, esta pequena ilha situa-se no meio da África, Ásia e Europa. São 316 km2 de muita beleza e é um dos menores países do mundo, tornando-o fácil de se ser descoberto. Posso dizer que 1 semana seria pouco pra visitar todas as cidades, praias, museus e ilhas ( Gozo e Comino). Mas se você tiver pouco tempo assim com nós tivemos, esse roteiro é pra você:

Primeiro de tudo, para visitar todos esses lugares que vou citar aqui em 3 dias, é extremamente necessário alugar um carro para circular na ilha.

 

Locomoção

Nós alugamos o nosso carro pelo site da rental cars e a empresa escolhida foi a Avis, e ficamos bastante satisfeitos com a escolha, além do preço 10£ por dia, fomos bem recebidos e ainda nos buscaram e depois levaram para o porto de onde saia nosso ferry para a Sicília ( conto tudo aqui, como fomos de Malta para a Sicilia de Ferry ( balsa).

Para ir de St Jullians para Valletta pegamos um ônibus, ”foi nossa única viagem de ônibus”, valor do bilhete €2 e vale por 2 horas (podendo trocar de ônibus quantas vezes for necessário dentro das 2h), pra quem for depender do transporte publico achei super pratico.

 

Assista o nosso vídeo completo:

 

Hospedagem

Nós hospedamos em St Julians no St. Georges Park Hotel , escolhemos essa área por ser bem centralizada e por ser a queridinha dos jovens por causa da grande variedade de bars, restaurantes, e pra quem curti a night aqui é o paraíso das baladas. O hotel achei bem legal, com um preço bom para junho, 30£ por noite, e frequentado pela maioria jovens, só não gostei de não haver estacionamento e achei o café da manhã bem fraco.

O que ver em 3 dias

Fizemos assim, dividimos os 3 dias em 3 regiões:

1 dia – visitamos o norte da ilha:

  • Popeye Village
  • Paradise Bay
  • Coral Lagoon
  • sunset em Marfa Bay e jantar no Ramla Bay Resort

2 dia – Tiramos esse dia para visitar as ilhas de Comino e Gozo

  • Blue Lagoon – Comino
  • Azure window – Gozo
  • Mellieha Beach

3 dia – fomos para o Sul da ilha:

  • St Julians
  • Marsaxlokk
  • St Peter’s Pool
  • Valletta

Parece muita coisa pra 3 dias, né! A vantagem de ir em junho é que o sol se põe por volta das 20:30- 21:00, e com o isso o dia fica bem longo, de junho à meados de setembro são 12 horas de sol, dando pra aproveitar muito bem o dia. É mas pra isso, tem outro segredinho, rsrs, acordamos todos os dias bem cedinho e saíamos mesmo antes do café da manhã, as 7:00 já estávamos no carro pra sair e curtir as férias.

Vamos ao que interessa então, né! Desde a primeira vez que ouvi falar sobre Malta e comecei a pesquisar sobre o que ver no país, fiquei super encantada com a Popeye Village, o lugar parece um conto de fadas e esse foi o primeiro lugar que visitamos!

Popeye Village

A “Aldeia do Popeye” ou “Popeye Village” está localizado em Anchor Bay, no noroeste de Malta, perto da cidade de Mellieha. Também conhecido como “Sweethaven Village” é um lugar ideal para passear em família. Quem aí lembra do Popeye? Um dos personagens de desenhos animados mais famosos da história: O marinheiro Popeye invencível, que ficava muito forte quando comia espinafre. Esse desenho fez parte da minha infância, e eu não poderia deixar de visitar, né! O desenho foi criado pela Walt Disney em 1929 e se tornou popular ao longo de várias décadas e emocionou gerações de crianças. Pena que hoje em dia os desenhos são a maioria baseado em monstros e mortes.

       

 

A “Aldeia do Popeye” é na verdade um museu ao ar livre que serviu de cenário de filmagem do filme “Popeye”, de Robert Altman e estrelado por Robin Williams em 1980 e baseado na HQ de E. C Segar.  A vila é composta por 19 edifícios de madeira construídas em 1979 localizada em Sweethaven, de frente para o mar, com madeiras trazidas do Canadá e Holanda, já que em Malta não existem florestas.

Além de passear pela vila do Popeye, entrar nas casinhas de madeiras, pode também fazer um passeio de barco em torno da baía já incluído no bilhete de entrada.

Lá você pode ver alguns personagens do filme Popeye: O Popeye, Olivia Palito, Brutos, Gugu e Dudu…Nadar nas águas cristalinas de Anchor Bay, pular nos trampolins, ou simplesmente relaxar e tomar sol nas espreguiçadeiras em volta da Baía.

Horários de março à outubro das 9:30 às 17:00

Preço 14 euros (em junho 2017)

Mas pra quem quiser economizar tempo e dinheiro, da pra ver a vila pelo Mirante e tirar uma foto, com muitos fazem!

Paradise Bay

Paradise Bay está localizada na costa noroeste de Malta. Há poucos quilômetros da cidade de Cirkewwa, da qual saem as balsas para Gozo.

 

A praia de Paradise é de areia fina, com águas cristalinas com lindos tons de verde esmeralda e azul turquesa. É uma das praias mais pequenas, mas também considerada uma das mais belas de Malta, ela está localizada em uma bela baía cercada por pedras baixas, o lugar é mesmo um pequeno paraíso, então o nome da praia é muito apropriado.

 

Coral Lagoon

A Coral Lagoon é uma caverna escondida localizada no norte de Malta, e está localizado em Il-Mellieħa ao lado da Little Armier Bay. A caverna é conhecida pelos habitantes locais como “L-Ahrax Tal-Mellieha”, que significa “rocha áspera”. E eles o descreve perfeitamente porque a rocha vulcânica áspera é implacável e se você estiver descalço ou usando sandálias não conseguirá caminhar por lá, se você tiver planos de visitar o lugar vá de tênis. Do estacionamento ( ou o lugar até onde os carros conseguem chegar) até o buraco são cerca de 10 min de caminhada.

 

Coral Lagoon é mais popular para os snorkelers e mergulhadores que vêm explorar as cavernas subaquáticas. A água é clara e azul. Muitos turistas se aventuram e pulam no lago da caverna, mas não recomendo pular, quando estava pesquisando sobre o lugar, vi várias noticias tristes de turistas aventureiros, tipo resgate de emergência de helicóptero  e até mortes.

Há apenas uma saída que dá direto no mar, e a passagem é muito estreita, dependendo da agitação das ondas do mar, fica difícil sair la de dentro. Acho que só observar a paisagem sem chegar muito na beira já está ótimo, vai por mim, não estrague suas férias por uma foto ou uns segundos de emoção!

Sunset em Ramla Bay

Apenas 10 min de carro do Coral Lagoon está o Ramla Bay resort, onde terminamos nosso dia admirando o por do sol mais lindo de Malta e jantamos uma Pizza de Salmão maravilhosa no restaurante do resort, detalhe achamos o tamanho da pizza o suficiente para 2 pessoas e o preço super justo pra um resort.

   

Blue Lagoon – Comino

Nosso segundo dia em Malta, não poderia ter começado melhor! Acordamos cedo e partimos em direção para um dos lugares mais cobiçados em Malta, e por isso tentamos chegar o mais cedo possível na ilha de Comino. Fomos até o porto de Marfa para pegar o primeiro barco do dia para Comino, chegamos no Blue Lagoon as 9:30 e não tinha quase ninguém, foi ótimo para nadar e tirar muitas fotos no lago.

   

Se quer saber mais sobre o Blue Lagoon, conto tudo neste post aqui:

Blue Lagoon, Comino! Como chegar lá a partir de Malta?

Azure Window – Gozo

Para ir até Gozo pegamos uma balsa em Cirkewwa para o porto de Mgarr em Gozo, os barcos saem a cada 45min e são 25min de viagem, pagamos 20,50 pelo carro+motorista+1 passageiro, esse valor só é cobrado na volta para Malta.

Achei muito importante já sair do porto de carro, já que a cidade é bem distante do Porto, e a Azure Window mais longe ainda.

A ilha de Gozo é a segunda maior do arquipélago, como nós só tínhamos 3 dias fomos obrigados a dividir um dia entre Comino e Gozo, mas pra quem for com mais tempo, recomendo um dia em cada ilha, á muita coisa pra ver e fazer, principalmente em Gozo.

Chegamos por volta de 1h da tarde e fomos direto para Dwejra localizada na costa oeste da ilha de Gozo! Nosso foco era Azure Window ou janela azul (aquele um arco natural que desmoronou com uma tempestade em 08/03/2107). Estacionamos o carro e caminhamos cerca de 5 min até nosso destino, o lugar é lindo e renderam muitas fotos! Aproveitamos pra dar um mergulho no blue hole, a agua é um pouco fria, mas nos próximos 3 minutos você já acostuma e vira festa. É possível fazer mergulho com cilindro também, mas esse não tivemos tempo de fazer, apesar de querer muito, dizem que a região oferece um dos melhores mergulhos do país. A uns 10 minutos dali está o Inland Sea, que, como o nome diz, é um pedacinho do mar no meio da terra. A água toda vem por um túnel no meio do rochedo, há vários barquinhos que fazem o passeio pela gruta, valor €4, mas esse nós não fizemos porque não tínhamos dinheiro em mãos com a gente, só o cartão, mas acredito que vale super a pena fazer o passeio. Outra coisa que vimos por lá, foram vários mergulhadores e pelas fotos que vi, é mesmo muito bonito.

Depois de muitas paisagens de tirar o fôlego, seguimos para Victoria ou Rabat  a capital da ilha de Gozo, andamos pelas ruazinhas estreitas e almoçamos num restaurante na praça central, Independence Square, que é um dos pontos centrais de Victoria, ao redor da praça você encontra uma igreja, cafés e restaurantes. A praça também é conhecida por it-Tokk, e tem uma feirinha durante o dia, onde é possível encontrar souvenirs, roupas, chapéus, e falando em chapéus o Diego comprou o dele lá.

Outro ponto a ser visitado pra não dizer o  mais famoso é a Citadel, localizada no alto de um morro, essa parte da cidade é toda murada, lá você vai encontrar a Catedral de Gozo, um prédio barroco do século 17. Aproveite o passeio pela Citadel para curtir a vista maravilhosa de toda a ilha.

Hora de despedir de Gozo e voltar para Malta.

Já em Malta terminamos nosso dia na Mellieha Beach. Mellieha Bay é a maior praia de areia e mais popular em Malta, além da sua faixa de areia extensa, as águas são rasas, ótimo lugar para crianças brincar, o que achei bem legal também é que a praia tem inúmeras actividades de esportes aquáticos  para escolher, como windsurf, kitesurf, canoagem, esqui aquático, jetski,etc. A praia também se divide em três ambientes desde o mais tranquilo ao mais animada e ativo.

Mellieha 

 

Também damos uma volta na cidade, e achei muito bonita, com construções de estilo meio árabe.

   

St Julians

Nosso terceiro e último dia em Malta, como disse no inicio do post, escolhemos St Julians para nos hospedarmos, e por incrível que pareça deixamos pra conhecer a cidade só no ultimo dia.

 

   

St. Julian tem uma população de cerca de 8.000 pessoas, e seu nome vem do santo padroeiro da cidade, Saint Julian. San Giljan ou St. Julian, está localizado na costa de Malta, norte de Valletta e é famoso principalmente por sua vibrante vida noturna e atividade turística. Esta cidade é um centro de hotéis novos e luxuosos, muitos tipos diferentes de restaurantes e discotecas, centrado principalmente em uma área conhecida como Paceville.

Outro lugar perfeito para um passeio romântico é o Spinola Bay.

 

 

Spinola Bay é uma das baías mais românticas de Malta; Subindo a colina, pode-se admirar a pequena capela velha, o palácio Spinola e casas maltesas com decorações típicas com janelas tradicionais. Durante a noite, as luzes da rua refletem sobre o mar calmo que está cheio de barquinhos de pescadores coloridos, a paisagem do lugar é bem pitoresco.

Tire uma foto no monumento do Amor: Esta estrutura moderna foi construído de cabeça para baixo, quem vê este monumento imagina que o escultor estava bêbado, rsrsr, mas a intenção era de que a palavra “LOVE” fosse refletida nas águas calmas da Baía Spinola. E realmente ficou linda!

 

 

Marsaxlokk

Essa cidadezinha é o cartão postal de Malta, uma vila típica de pescadores cheia de barquinhos coloridos, eu fiquei encantada e foi uma das cidades que mais gostei em Malta, acho que o colorido mexe comigo, sempre as cidades coloridas são minhas preferidas! A Vila Marsaxlokk está localizado na parte sudeste de Malta, e é bastante famosa pelo mercado de peixes que acontece todos os domingos, não só o Fish Market atraem os olhares, mas também seus incontáveis barquinhos coloridos chamado, Luzzus.

     

A aldeia tem cerca de 3200 habitantes e, no passado, a maioria dos habitantes trabalhou como pescadores. O nome Marsaxlokk vem da palavra”Marsa”, que significa porto e a palavra “Xlokk”, que significa sul, em maltês.

Uma dica: Não deixem de fazer o fazer o passeio de barco pela baía, a vista do vilarejo a partir do mar é deslumbrante, preço €4 por pessoa.

   

 

St Peter’s Pool

Perto dali esta outro lugar imperdível em Malta, a St Peter’s Pool. Para quem vai de carro é super fácil é só colocar o nome no Gps e em 12 min já estará lá. Chegando lá à um estacionamento que é pago, €2.

St. Peter’s Pool é uma bela piscina natural ideal para passar um dia relaxante. A água de St. Peters Pool é cristalina com uma mistura de cores incríveis, entre o azul e o verde dependo do ângulo. As pedras planas em volta da piscina é um ótimo lugar pra pegar sol, e para os corajosos é uma ótima plataforma para saltos. Ha poucas sombras por alí, então certifique de levar um guarda sol, principalmente se forem com crianças. Se pretende ficar muitas horas ou o dia todo é melhor levar água e lanches, não esqueça do chapéu e filtro solar, heita lugarzinho quente viu!

        

Haaa e não esqueça de levar o lixo e jogar na lixeira, infelizmente muitos acabam deixando o lixo para trás e o vento acaba jogando o lixo na água 🙁 .

Valletta

Valletta, capital de Malta e Património Mundial da UNESCO!
Valletta foi construída em uma península na parte central de Malta e tem uma população de pouco mais de 6.000 pessoas. Valletta foi nomeado após o grande mestre francês Jean Parisot De La Valette, que liderou a defesa de Malta da invasão otomana em 1565.

Valletta possui muitos edifícios do século 16, a maioria arquitetura barroca que foi construída pelos cavaleiros de São João. Entre eles está a majestosa Catedral de São João, vários auberges que acolheram os Cavaleiros da época, os bastiões que cercam a cidade e vários jardins.

 

 

Hoje em dia, Valletta acolhe o Parlamento Nacional, os tribunais, muitos ministérios e departamentos governamentais, escritórios administrativos, museus e muitas lojinhas de compras. A cidade é bem movimentada durante o dia, mas os Jardins Upper & Lower Barrakka oferecem um local tranquilo com vistas incríveis do Grand Harbour. Então, à medida que o sol se põe, a capital acalma-se e se transforma em uma cidade mágica fortificada onde a arquitetura se destaca sob a iluminação suave. Valleta é praticamente um museu ao céu aberto com muitos cafés, bares de vinho, teatros, igrejas, palácios, exposições… Valletta é uma cidade viva durante todo o ano.

     

Terminamos nossa viagem no Waterfront, no porto de onde saem e chegam é claro, os gigantescos navios de cruzeiros, mas nosso destino mesmo era a estação de ferries LA VALLETA de onde partiríamos para Sicília.

Conto tudo aqui Como ir de Malta para Sicília de Ferry

Lembra que la no inicio disse que a Avis nos buscou e depois nos deixou no Porto? Então, devolvemos o nosso carro no escritório, fizeram toda vistoria e depois nos deixaram la no Porto como o combinado, eles foram bem queridos.

Obs! Pra quem for alugar carro em Malta, deve lembrar que lá se dirige do lado direito, mão inglesa que nem na Inglaterra!

Malta é um lugar barato e que pode ser visitado o ano todo, então se puder evitar a alta temporada do verão europeu, garanto que suas ferias serão bem mais aproveitadas. Em junho a temperatura atingiu os 35º e a sensação térmica era de 40º, quem assistiu os histories do meu instagram na época, deve lembrar que contei que meu marido passou mal com uma sinusite fortíssima, e fomos parar no hospital com ele, mas ele foi atendido, e o medico foi bem gentil com a gente, mesmo sendo turistas, ele foi receitado e Graças a Deus no outro dia já estava bom e continuamos nossa viagem pela Sicilia. Logo todos os posts aqui no blog!

 

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       

 

O que fazer em Blue Lagoon, Comino? Como chegar lá a partir de Malta?

By | Tópicos recentes | No Comments

O Blue Lagoon, ou lagoa azul é um dos lugares mais lindos de Malta, e claro,  que você não pode perder em sua viagem à Malta. O Blue Lagoon é um cartão postal autêntico, um paraíso de areia branca, águas azul-turquesa e transparente, e nadar nessas águas é simplesmente imperdível. Este lago paradisíaco situa-se entre a pequena ilha de Comino e do ilhéu de Cominotto.

Comino é uma das 3 ilhas habitadas de Malta, em maltês chamada de Kemmuna, é com certeza o lugar mais atraente de Malta, posso dizer que é uma parada obrigatória na sua viagem à Malta, vale muito a pena conhecer! A pequena ilha possui apenas 1 hotel que funciona apenas na alta temporada.

A praia tem uma infraestrutura básica, que facilita passar o dia por lá. Tem barracas com comida, bebidas, banheiro público, espreguiçadeiras e guada-sol para alugar.

 

 

E agora, ainda precisa de dizer o que fazer nesse paraíso? Nem precisa muito, né!

O Blue lagoon com seu maravilhoso mar azul turquesa atrai muitos turistas, especialmente durante os meses de verão, e se você puder evitar os meses de julho e agosto, você poderá aproveitar bem mais o lugar, vai por mim. O lugar é ótimo para famílias com crianças pequenas, elas podem nadar e caminhar com segurança, já que a maior parte do lago é bem raso. O Blue Lagoon è um ótimo lugar para a prática snorkeling, suas águas rasas e transparentes, parece mais com uma grande piscina. Como disse, a maior parte do lago é raso, mas existem áreas mais profundas para o centro do lago, mas cuidado com as águas vivas, não vi nenhuma, mas dizem que elas estão por toda parte.  Se puder, vale a pena nadar na lagoa até Cominotto, a ilha menor, são cerca de 300 metros de distancia de uma ilha na outra!

   

Para aqueles que preferem manter os pés na terra firme, pode-se explorar esta pequena ilha e desfrutar de vistas deslumbrantes sobre a Lagoa Azul e toda a ilha a partir do topo das rochas, onde a maioria fica tomando sol.

Se tiver mais tempo,recomendo que caminhe até a baía de Santa Maria, a outra praia de areia localizada a 20 minutos da Lagoa Azul. Lá é onde você encontra o Hotel Comino, onde pode almoçar, tomar um drink no restaurante do hotel ou apenas relaxar na praia que é bem menos lotada que a blue lagoon.

Como chegar 

Minha dica: Vá no primeiro horário dos barcos, que geralmente são às 9:00, para desfrutar da lagoa azul antes das excursões chegarem. Chegamos lá por volta das 9:30 e às 11:00 lotou, ficou parecendo um formigueiro, é nesse horário que barcos grandes de excursões chegam; muitos blogs recomendaram ir depois das 15:00, mas você teria apenas 3 horas para ficar na ilha, já que o ultimo barco de volta pra Malta são as 18:30.

  • Os barcos saem às 9:00 do porto de Marfa e Cirkewwa, e são uns 20 min de viagem. Preço 10 por pessoa incluindo a volta.
  • Se caso passar o dia na ilha, fique de olho nos horários de volta dos barcos, geralmente são as 18:30,  senão, não terá como voltar.
    Aproveite para tirar fotos das cavernas na volta, os barcos passam pertinho delas.

 

 

 

Não importa aonde você esteja, existem vários passeios de barco a partir de vários locais em Malta. Estes são Sliema, Bugibba, Cirkewwa e Gozo. Esses passeios já são mais caros e mais longos, recomendo pegar um ônibus até Cirkewwa ou Marfa e ir lá. Esses são os números dos ônibus pra chegar até lá:

  • De Valletta: 45/145, de Sliema: 645 ou a partir de Bugibba: 48.
  • Mgarr (Gozo) balsa cada hora a partir das 9 às 16:30 (somente de março a dezembro).
  • Marfa e Cirkewwa:  balsa das 9:00 as 18:30,  20 min de viagem.

 

   

É aconselhável que você leve protetor solar com você e aplique-o com frequência e em intervalos regulares ao longo do dia. Também é aconselhável levar garrafas de água, óculos de sol e equipamento de snorkel se você tiver. Embora todos estejam disponíveis nos quiosques na praia, os preços são relativamente altos.

Assista também o vídeo completo:

 

Dicas de 3 dias em Malta, Comino e Gozo!

 

Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       

 

Como ir de Malta para Sicília? Qual melhor opção?

By | Tópicos recentes | No Comments

Quando estava planejando essa viagem entre Malta e Sicília, a minha maior preocupação foi exatamente essa, como ir de Malta para Sicília? e qual a melhor opção, de avião ou ferry?

Ja tinha lido em algum lugar que era possível ir de Malta para Sicília ( ou vice-versa) de ferry (balsa) e que não era muito longe. Então comecei minhas buscas constantes por informações, primeiro lugar claro o Trip advisor, que sempre é o primeiro lugar que procuro quando tenho uma pergunta. Lá é o lugar certo pra tirar qualquer dúvida, e com certeza outros viajantes já fizeram a mesma pergunta da sua duvida e outros viajantes mais experientes no assunto já responderam, então, minha dica é: qualquer duvida corre lá, que você irá achar repostas para todas dúvidas.

Entre várias respostas, a empresa mais recomendada para fazer esse trecho entre Malta e Sicilia era a VIRTU FERRIES, e eu acredito ser a única que faça esse serviço fora de alta temporada.

Malta e Sicilia fica bem pertinho uma da outra, cerca de 90km, e ir de Ferry com certeza foi a melhor opção, não sei se foi a mais barata, mas, só de não ter todos aquelas chatices de aeroportos, regras de horários, blablabla, foi sem duvida nenhuma a melhor escolha.

Eles pedem pra chegar com 1h:30 de antecedência, não tem tantas restrições de tamanho e peso de malas, a balsa é enorme, tem espaço de sobra pra esticar as pernas, lanchonete e wifi.

Uma coisa que você deve levar em conta antes de reservar sua viagem é para qual região você quer ir na Sicília, caso tiver indo de Malta. Como eu já estava com um roteiro pronto e minha primeira parada na Sicília era Catânia, então nosso destino foi Pozzallo;

A viagem de La Valletta até Pozzallo foi de 1h:45min.

Comprei nossos bilhetes online pelo site oficial com 2 meses de antecedência, o preço para viajar em Junho 2017 era €70 somente ida.

Há vários horários de saída de Malta para Pozzallo e você pode checar qual o melhor dia e horário aqui:

Horários de ferries entre Malta-Pozzallo e Pozzallo-Malta de maio à setembro

Saímos de Malta às 18:30 e chegamos em Pozzallo 20:15, e já tínhamos um hotel reservado na cidade pra aquela noite. Pra ir para o hotel pegamos um taxi 10€. Saindo do Porto em Pozzallo à várias pessoas oferecendo o serviço de taxi.

Na Sicilia também reservamos um carro, mas o único lugar que conseguimos reservar foi no aeroporto de Catânia para devolver no aeroporto de Palermo, nosso destino final da viagem. Então acordamos bem cedinho pra pegamos um taxi ( que já tínhamos reservado na noite anterior pelo nosso hotel) o taxista nos deixou no ponto de ônibus que nos levaria direto para o aeroporto! Foram 1h:30min mais ou menos de viagem de Pozzallo à Catânia e o preço do bilhete de ônibus é bem baratinho, €8 por pessoa, e compramos no ônibus mesmo.

 

Deu pra terem uma ideia que de ferry é bem tranquilo, né! A partir dos próximos posts irei falar sobre a nossa viagem pela Sicilia. Aguardem que tem muita coisa boa pra compartilhar com vocês!

Para comprar os bilhetes online, é só entrar no site oficial abaixo:

www.virtuferries.com

 

  

 

5 belas praias de areia à apenas 2h de Londres – Broadstairs, Kent!

By | Tópicos recentes | One Comment

Há algo melhor do que fazer picnic, brincar, reunir os amigos, relaxar, ou simplesmente estar em uma praia de areia em um dia quente? Acredito que não, né! Mesmo a água do mar ser bem fria (pra não dizer gelada) aqui na Inglaterra, as praias lotam no verão. E aqui é assim, temos que ficar de olho na previsão do tempo, porque ela muda constantemente, então bora aproveitar dos dias raros de verão e quentes e correr pra praia mais próxima.

E à apenas 2h de Londres você poderá pisar em belas baías de areias douradas no condado de Kent, a maioria delas nas cidades de Broadstairs, Margate e Ramsgate, essa região é conhecida como Tranet Coast, uma região muito valiosa pela riqueza de conchas, estrelas do mar, caranguejos e outras espécies de vidas marinhas.

 

A região de Kent, está localizada no sudeste da Grã-Bretanha, é chamada também de jardim da Inglaterra. A paisagem costeira concentra os famosos penhascos brancos, vilarejos históricos,  castelos com lindos jardins floridos,  e as baías de areia são os maiores atrativos da área. Kent é também o lar de mais de 50 praias no total, atraindo milhares de pessoas para as cidades costeiras do condado durante o verão todos os anos!

Há sete belas baías de areia em Broadstairs e ao seu redor, cada uma com sua beleza e estrutura diferente. Aqui estão algumas delas, que visitei e gostei!

Botany Bay, Broadstairs

          

 

E a baía de Botany realmente me conquistou com sua areia dourada e suas vistas encantadoras das falésias brancas imponentes e penhascos de giz! São realmente impressionantes! Quando a maré está baixa é possível nadar nas piscinas naturais entre as rochas. Você pode pegar um trem saindo de King’s Cross até Broadstairs e de lá pegar um ônibus até a praia, a viagem demora mais ou menos 2h, mas verifica certinho no google maps antes de ir, eu fui de carro e gastamos umas 2h também. As instalações locais incluem: banheiros, salva-vidas, um café e estacionamento no topo do penhasco.

Botany Bay, Botany Rd, Broadstairs CT10 3LG

 

Kingsgate Bay 

 

 

Essa praia é conhecida por estar em uma região isolada, pouco frequentada, com abundância de areia de cor dourada e rodeada por uma vegetação exuberante. Kingsgate Bay é conhecida, principalmente, por abrigar cavernas subaquáticas, consideradas algumas das mais belas do Reino Unido. Embora não haja serviço de salva-vidas no local, a praia é muito frequentada por famílias, especialmente no período de férias de verão, quando as temperaturas são mais altas. Com vista para o extremo sul da praia fica o castelo de Kingsgate , que oferece vistas incríveis sobre a baía em si. Para a felicidade de quem tem cachorro, vale lembrar que os animais são permitidos durante todo o ano nessa praia.

 

Joss Bay, Broadstairs

 

 

Considerada o paraíso dos surfistas, esta baía de 200 metros é conhecida como a melhor praia de surf em Thanet.

Há uma escola de surf na praia pra quem interessar em aprender como pegar umas ondas.

A praia é perfeita para um dia na praia com a família, cadeiras e espreguiçadeiras estão disponíveis para alugar, há também uma loja de bugigangas de praia e café- lanchonete  na praia.

Aqui é proibido cães na praia.

Esta praia também é de areia e abrigada por penhascos íngremes de giz.

Joss Gap Rd, Broadstairs CT10 3PG

 

Stone Bay, Broadstairs

    
Também conhecida como East Cliff, esta praia está localizada entre Viking Bay e Joss Bay.

Essa praia fica uns 5min andando de Viking Bay, nas fotos abaixo vocês podem ver uma loja de souvenires com uma cabine de telefone na frente, atras dessa loja há uma passarela que irá te levar até Stone bay

A praia é plana e de areia dourada e na maré baixa é possível caminhar alguns metros mar a dentro, aqui é legal pra fazer stand up paddle, kayaking, mas você precisa levar o seu próprio equipamento :), também não há cadeiras, espreguiçadeiras, banheiros e nem cafés aqui. Leve água e lanches!

Stone bay está cercado por penhascos altos de giz, e é uma praia popular para famílias e mais calma do que o Joss Bay e Botany Bay. Os visitantes também podem alugar as barracas coloridas disponíveis na praia.

 

Viking Bay, Broadstairs

 

  

 

Viking Bay é a principal baía em Broadstairs, tem um formato de ferradura e conta com um pequeno porto com alguns barcos veleiros de pesca. A praia é muito bem estruturada com bares, restaurantes, cabanas de sorvetes, lojas de bugigangas de praia, salva-vidas, cadeiras de sol para alugar e loja de souvenirs.

É facilmente acessível para todos, inclusive pessoas com dificuldade física, agora tem um elevador de praia aberto diariamente até ao final de setembro. Em 2006 Viking Bay recebeu a sua primeira bandeira azul.

Victoria Parade, Broadstairs CT10 1NB

 

 

Outras praias em Broadstairs:

Louisa Bay –  Pode ser alcançado pelo passeio a partir de Viking Bay, é bem pertinho.

Dumpton Gap Beach – É a última das sete baías, e mais ao sul, é conhecida como Dumpton Gap. Da pra fazer uma caminhada até Ramsgate pela praia na maré baixa

Outras praias que fica perto:

  • St Mary’s Bay – Broadstairs
  • Main Sands – Margate
  • St Mildred’s Bay – Margate
  • Walpole Bay – Margate
  • Minnis Bay – Margate
  • Main Sands – Ramsgate
  • Pegwell Bay – Ramsgate
  • Sunny Sands Beach – Folkestone

 

 

 


VIP TOUR LONDRES – TURISMO EM LONDRES

18406235_120332000745017172_1572896706_o Screen Shot 2017-05-01 at 11.55.21 PM

As 10 praias mais bonitas do Reino Unido

By | Tópicos recentes | No Comments

O verão já começou aqui na Europa, mas aqui na Inglaterra a temperatura ainda continua instável, um dia faz aquele calor que parece que estamos na África e outro no polo Norte, bem a cara do Reino Unido mesmo! Apesar de muitos preferirem o frio, outros mal esperam a temperatura subir um pouquinho pra pensar nas praias.

O litoral do Reino Unido é bem extenso e bonito, mas, infelizmente a temperatura da água nem sempre é das mais agradáveis,né!  Eu pessoalmente, quase não entro no mar aqui, água fria não faz meu tipo! Mas deixando esse pequeno detalhe de lado, vou falar aqui sobre algumas praias lindas que vão compensar a visita. Há um monte de praias intocadas no Reino Unido, para todos os gostos, de pedras, areia, lotadas, menos conhecidas, calmas, até há aquelas que atraem surfistas de todas as partes do país.

Aqui estão as melhores praias no Reino Unido segundo o Trip Advisor.

 

1. Luskentyre na ilha de Harris

 


Luskentyre é uma das praias maiores e mais bonitas praias em Harris. Nomeado uma das melhores praias do Reino Unido no Travelers Choice Awards do TripAdvisor, as praias de Lukentyre possuem quilômetros de areia branca e água verde-azulada, simplesmente deslumbrante!!

Luskentyre é um paraíso do Pacífico Sul (embora a temperatura seja bastante fria); e está localizada na costa ocidental da ilha de Harris – na parte noroeste da Escócia. Luskentyre é uma praia isolada e tranquila, com dunas de areias próxima da ilha de Taransay  famosa por ser o cenário do Castaway da BBC. Atividades nas proximidades incluem hillwalking, ciclismo e muito mais.

2. Porthcurno – Cornualha

 

Descrita por alguns como um paraíso, Porthcurno está localizado no extremo oeste da Cornualha e já ganhou muitos prêmios e é fácil ver por que, né! Com areias brancas e finas, lavada por um mar que se transforma num azul turquesa cintilante no sol e com penhascos altos em ambos os lados transformando a paisagem em um oásis de beleza natural deslumbrante.

Porthcurno Beach
Porthcurno
Cornwall
TR19 6JX

3.Blackpool Sands – Devon

 

Blackpool Sands é frequentemente citada como a melhor praia de Devon, e com razão. Além de sua localização na costa sul, o um mar azul turquesa dá uma sensação quase mediterrânica. Isso é dado pelas suas águas cristalinas, areias douradas e os pinheiros que cercam à encosta atrás. Num dia de verão ensolarado, você seria perdoado por pensar que tinha desembarcado em um país diferente!

Blackpool Sands está cerca de 10km de Kingsbridge e 11 km de Totnes.

 

4.Watergate Bay – Newquay

Watergate Bay é uma das praias mais famosas da Cornualha; Conhecida por sua imensa extensão de areia e ponto favorito para surfistas. Watergate Bay é uma praia de 1,5 km de perfeição intocada e 3 km ao norte de Newquay. As areias douradas e penhascos íngremes fazem deste lugar uma área de férias familiar.

 

5.Woolacombe Beach, Inglaterra


O sudoeste da Inglaterra é repleto de praias escarpadas, e algumas das melhores do país – entre elas Woolacombe, Croyde Bay e Saunton Sands – ficam localizadas em North Devon. Mas elas rivalizam com a sulista Bantham Beach, que fica localizada em South Hams e agrada a todos: surfistas adoram suas ondas confiáveis; famílias vão até lá para a combinação certeira de areia, dunas e piscinas naturais; e até os trilheiros admiram a paisagem local enquanto passam pela South West Coast Path

Woolacombe é uma praia de areia dourada, vários quilômetros de comprimento de beleza natural excepcional. Muito popular entre os surfistas e bem servido pela vila Woolacombe, um resort à beira-mar bem movimentado.

 

 

6.Sandwood Bay – Escócia

 

Antes de qualquer coisa: por causa da Corrente do Golfo, as águas do norte da Escócia são realmente muito geladas. Para nadar ali, coragem e roupa de mergulho são imprescindíveis. Mas as praias não existem apenas para tomar banho de sol; elas também são o ponto de encontro dramático da terra e da água, e a baía de Sandwood, na remota ponta noroeste da Escócia, é um exemplo magnífico dessa junção.

Chegar lá é metade da aventura: a praia fica a uma caminhada de cerca de 6,5km da estrada principal, através de uma trilha sinuosa entre charnecas e dunas de areia cobertas de grama. Quando a vista da praia finalmente se abrir, com as formações rochosas de calcário de Am Buachaille, a sensação é de uma grande recompensa. Essa curva de areia possui penhascos que a envolvem, um lago de água cristalina na parte posterior e é banhada pelas águas do mar que se estendem até o Ártico. Histórias de fantasmas, naufrágios e sereias adicionam um ar de mistério, mas a maioria das pessoas acha que uma caminhada por esse lugar lindo é suficientemente poética.

 

7.Barafundle Bay Beach 

 

Localizada no País de Gales, em Pembrokeshire, a praia só é acessível através de um rochedo, após uma caminhada de cerca de meia hora, o que a faz ser pouco frequentada. Com suas faixas de areia douradas e águas cristalinas, Barafundle Bay Beach já foi eleita uma das melhores praias do Reino Unido, sendo comparada às praias do Caribe. Por estar em um local isolado, a região não possui instalações, sendo importante conferir a previsão da maré para o dia de passeio, para se certificar de que não há perigo da região ser inundada pelas águas do mar.

 

8. Tenby North, Pembrokeshire

A estação do porto no extremo leste da praia  Tenby North é incrivelmente lindo, assim como o pináculo de Goskar Rock se erguendo no meio das areias. As casas e hotéis  alinhados em estilo georgiano e vitoriano pintados de pastel e cores vivas espalhadas do porto e ao longo dos penhascos fazem do lugar um cenário lindo e pitoresco!

 

9.Three Cliffs Bay, Swansea

 

 

Esta bela e pequena baía é cercada por três penhascos proeminentes e é melhor abordada a partir do parque de estacionamento em Southgate, de onde você anda por uma milha ou mais a oeste ao longo dos penhascos antes que você possa descer. Dependendo da maré e do seu nível de aptidão, você pode caminhar da baía até as ruínas atmosféricas do castelo de Pennard, do século XIV.

 

10. St. Ives, Cornwall, Inglaterra

De areias finas e douradas, as praias na região da cidade de St. Ives, no condado de Cornwall, são maravilhosas – isso sem contar os charmosos vilarejos praianos. Há praias excelentes para surfar, para nadar, há a praia do porto… enfim, praias para todos os gostos!

 

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 

Mochilão de um mês pelo Sudeste Asiático – by Karine Tostes

By | Tópicos recentes | One Comment

Primeiramente quero agradecer a Mirelle pela oportunidade de falar um pouquinho dessa trip que foi a realização de um sonho.

Pré-viagem
Quando nós decidimos realizar uma viagem pelo Sudeste Asiático, o primeiro passo foi escolher a melhor época do ano. Dependendo da temporada, existem as monções, que são períodos intensos de chuvas que causam alagamentos, tufões, tempestades, e podem inviabilizar a viagem.
Nós optamos por viajar no mês de março.
Os países escolhidos foram: Emirados Árabes (Abu Dhabi e Dubai), Tailândia, Malásia, Singapura, Indonésia e Filipinas.
Voo – Escolhemos um voo de ida saindo do Rio de Janeiro com stopover em Dubai pela Emirates. Ficamos 4 dias e foi necessário um visto de trânsito de 96h.
Compradas as passagens, hora de decidir entre mala ou mochila. Depois de ler inúmeros relatos de viagens para o sudeste asiático decidimos que a melhor opção seria viajar com mochila, pois seria mais prático, e ao longo da viagem comprovamos isso, pois dependendo de onde você estiver, em um mesmo dia você vai pegar ônibus, van, barco, dois voos, enfim desembarcar em uma praia com malas seria meio complicado. Eu levei uma mochila de 50L e minha mãe uma de 60L.
Hospedagem – A hospedagem pela Ásia é muito barata comparada ao Brasil.
Voos internos – Empresas: Air Asia, Nok Air, Tiger Air, Cebu Pacific.
Considerações sobre o Jet Leg: Nessa viagem enfrentaríamos uma diferença de fuso horário de +11h em relação ao Brasil, e o corpo sente um “baque” de cansaço, só fomos nos adaptar alguns dias depois.

 

Dia de Embarcar

 

(Aeroporto Galeão Rio de Janeiro)

 

 

Dubai

Foram 3 dias em Dubai e um dia em Abu Dhabi.
O transporte foi basicamente Uber, tudo em Dubai é muito distante, e a cidade foi projetada para carros. No primeiro dia solicitei um Uber “econômico”, quando me deparo na porta do hotel com um Lexus me esperando, essa é a realidade dos emirados kkkk. No último dia alugamos um carro para irmos à Abu Dhabi, que era a opção mais econômica (cerca de R$75 a diária).
No primeiro dia conhecemos a Jumeirah Beach (praia do hotel Burj Al Arab), passeamos por The Palm Julmeirah, a ilha da palmeira que pode ser vista do espaço, fomos até o Hotel Atlantis. Depois seguimos para o safari no Deserto. A empresa nos buscou no hotel as 15h.

(Jumeirah Beach)

O Tour do Safari no deserto dura aproximadamente das 15h às 22h.
Tem diversas atividades, como rally de 4×4 nas dunas do deserto, eu amei, no início da um medinho pois parece que o carro vai capotar, mas logo a gente acostuma e começa a curtir.
Depois somos levados à um acampamento típico árabe onde podemos andar de camelos, vestir roupas típicas árabes e muçulmanas, assistir danças locais como a dança do ventre, fazer tatto de henna.

Eu particularmente não quis andar nos camelos pois senti que eles eram maltratados, estavam lá a disposição dos turistas para subirem, andar 100m, tirar uma foto e descerem, os camelos repetem esse trajeto o dia todo, eles estavam com os joelhos muito machucados de se levantarem toda hora.

No segundo dia visitamos pela manhã a parte antiga de Dubai (Gold Souk e Spice Souk). No Gold Souk fica o maior anel de ouro do mundo pelo Guinness. É o mercado de ouro de Dubai. Spice Souk é um mercado de temperos.

(Maior anel de ouro pelo Guinness)

 

Seguimos para o DownTown para visitar o Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo.
Fomos ao Dubai Aquarium and Underwater Zoo, passeamos pelo Dubai Mall, e subimos para o observatório do Burj Khalifa.
*Dica: Comprar o ticket direto no site tickets.atthetop.ae, o horário de 15h (mais barato), para os andares 124 e 125 e pode ficar até o pôr do sol. Existe uma opção de subir até o 146, mas é mais caro.

 

(Burj Khalifa)

 

Noite: Show das fontes no Dubai Mall a partir das 18h, a cada 30 minutos.
No terceiro dia fomos para o Skydive Dubai. Já era meu sonho saltar de Paraquedas, e escolhi fazer isso em Dubai. Reservei com cerca de 3 meses de antecedência, e só contei para minha mãe que iria saltar na véspera kkkkk, no início ela ficou um pouco brava, mas depois acostumou com a ideia. Foi uma das experiências mais SURREAIS que eu poderia passar na vida, ver a Palm Jumeirah lá de cima é emocionante. A reserva é feita pelo site http://www.skydivedubai.ae/, o preço é bem salgado, mas vale cada centavo investido.

De tarde fomos para o Miracle Garden, e a noite fomos conhecer a Marina de Dubai.

(Miracle Garden)

(Marina de Dubai)

Um dia em Abu Dhabi
Partimos cedinho para Abu Dhabi para visitar a Sheikh Zayed Grand Mosque, que por sinal é lindíssima por dentro e por fora. São cerca de 140km, aproximadamente 1h30min de carro. Logo na entrada temos que colocar o traje em respeito à religião muçulmana.

 

Tailândia

Bangkok, a capital
Nosso ponto de chegada na Tailândia foi Bangkok. Logo de cara já me apaixonei por aquele caos. Ficamos hospedados próximo à KhaoSan Road. Lá é um ponto turístico onde tudo acontece, é um choque de cultura enorme. Fui logo comer o escorpião no palito, confesso que achei horrível, mas tive que provar eheheh. Na Tailândia tem massagem por todo lado, super barata, e diga-se de passagem, a melhor massagem da vida. Nós fizemos massagem todos os dias quando estávamos na Tailândia. Lá também tem o FishSpa, peixes que comem pele morta e fazem uma limpeza nos nossos pés, dá muito nervoso no início, mas depois fica uma delícia. Uma dica importante, na Tailândia tem uma loja de conveniência chamada Eleven (7) e em cada esquina tem uma dessas e tem de tudo, inclusive refeições prontas e eles esquentam no micro-ondas na hora, que me salvou várias vezes. Ou seja, deu fome, procura uma Eleven na rua.

(KhaoSan Road)

 

(Fish Spa)

Fomos conhecer o Sky Bar, onde foi filmado Se Beber não Case II. Tem uma vista linda de Bangkok a noite. Fica no 64º andar do Lebua State Tower. Uma dica, pare antes no Breeze Restaurante no 54º andar que tem uma vista de tirar o fôlego.

 

(54º andar State Tower)

No segundo dia fomos conhecer alguns templos. Mas como o tempo era corrido fomos somente ao Grand Palace. Dica, chegue no final da tarde quando está quase fechando que vai ter pouca gente. O Grand Palace é super lotado, e MUITO QUENTE (assim como toda Bangkok), leve uma garrafa de água. Mulheres: trajes para visitar os templos, sempre cobrindo os ombros e as pernas. É comum tanto nos templos, como casas, hotéis, estabelecimentos comerciais tirar o sapato para entrar, em respeito ao budismo e aos costumes locais.

(The Grand Palace)

Outro templo que visitamos foi o Benchamabophit, lindinho e vazio.

(Benchamabophit Temple)

 

 

Chiang Mai

Chiang Mai fica no norte da Tailandia, é uma cidade pacata, montanhosa e tranquila, me senti muito acolhida.

 

Em Chiang Mai fomos visitar o Elephant Nature Park, um santuário de elefantes que tem um trabalho lindo. Esse santuário foi escolhido a dedo, pois na Tailândia é comum os maus tratos nesses animais, muitos lugares oferecem passeios nos elefantes, o que pode machucar. O Elephant Nature Park é formado de elefantes maltratados e resgatados. É emocionante passar o dia lá, acompanhar a rotina dos bichinhos, alimenta-los, dar banho, um dia lindo e uma emoção que nunca vou esquecer.

 

No outro dia fomos conhecer o Karen LongNeck Village, a tribo das mulheres girafas. Eu sempre tive curiosidade de conhecer de perto essa tribo. Valeu a pena? Sim, pois matei minha curiosidade, mas não recomendo, não me senti bem pois parecia um teatro.

São mulheres refugiadas do Myanmar que conseguiram abrigo na Tailândia. Elas sobrevivem da venda de artesanato, mas o governo tailandês cobra uma taxa de visitação. As mulheres ficam expostas, quase que mecanicamente para os turistas tirarem fotos. Tentei me comunicar com algumas delas, algumas foram simpáticas, mas senti tristeza no olhar da maioria.

 

Chiang Rai

O caminho de ônibus saindo de Chiang Mai a Chiang Rai leva em torno de 3 horas, um dia é suficiente. Fomos lá para conhecer o famoso templo branco da Tailândia, “Wat Rong Khun”. É incrivelmente lindo! Dica, chegue quase na hora de fechar para aproveitar o templo praticamente vazio!

 

Ko PhaNgan, rumo à FULL MOON PARTY
Saindo de Chiang Rai pegamos dois voos, uma van, um barco e outra van até chegar a ilha da festa. Dica: dormimos no “Hotel Amari Don Muang Airport” um hotel dentro do Aeroporto em Bangkok, bastante prático.

 

A Full Moon Party é uma festa de Neon que acontece uma vez por mês na Tailândia. Como já sabíamos o dia ( www.fullmoonparty-thailand.com/schedules.html ) organizamos o cronograma da viagem a partir da data da festa. A festa acontece na ilha de Ko Pha Ngan, na praia de Haad Rin com gente do mundo inteiro. É uma festa super famosa, e faz jus a toda sua fama. A bebida é servida em um baldinho, chamado bucket. Todo mundo se pinta de neon, e durante a festa tem várias atrações com fogo.
Pós festa, rumo a Koh Phi Phi, a queridinha da Tailândia.
Mais um dia de viagem até Phi Phi. Chegamos em Koh Phi Phi logo de tardinha, tomamos um banho e fomos conhecer a ilha. Lá é tudo pertinho, dá pra fazer tudo a pé. Uma observação, eu nunca vi tantos gatos em um só lugar como naquela ilha. A noite acontecem algumas apresentações com fogo na praia e é muito divertido. A ilha é super badalada.

(Maya Bay)

No outro dia acordamos cedinho pra fazer o passeio de barco. Reservamos um Long-Tail (barquinho tailandês) pra sair bem cedo e encontrar Maya Bay ainda vazia pois os barcos grandes de passeio chegam as 9. Chegamos em Maya Bay as 8 e já estava um pouco cheia. Não achei muita vantagem chegar cedo pois a praia só fica bonita com aquele turquesa lindo lá pelas 11h quando o sol bate. Mas de qualquer forma é realmente linda. O passeio dura 6h e você pode escolher em que praia quer ir. Nós demos azar, nosso barco quebrou e tivemos que ser rebocadas kkkkkk. Mas no final deu tudo certo.
Paramos em Monkey Beach e pasmem, não encontrei nenhum macaco, fiquei frustrada, não sei por qual motivo os macacos estavam escondidos, o guardinha disse em um tom irônico que eles estavam dormindo. Acho que fui a única que não encontrei macacos na Monkey Beach.
A noite fui dar um rolé pela ilha e cai em um bar que tinha um ringue de KickBoxing bem no centro do bar. Nunca ri tanto!!! As pessoas que estavam no bar podiam subir e lutar, e quem vencer ganha um bucket como prémio!
Hora de despedir da Tailandia

 

Kuala Lumpur – Malásia
(2 dias)

A minha super dica de Kuala Lumpur é alugar um apartamento pelo Airbnb no Platinum Suítes THE FACE. O prédio tem uma piscina infinita no 51º andar. Como o prédio é recém construído, os apartamentos são novos. E é MUITO barato. Pagamos cerca de R$90 por pessoa/dia em um apartamento equipado e aquela piscina infinita a nossa disposição. Se você é louco pra se hospedar em um hotel com uma piscina infinita tipo Marina Bay Sands esse prédio é uma opção barata. Tem momentos do dia que a piscina fica vazia. É fantástica a vista de dia e de noite.

 

(Petronas Twin Towers)

Bali – Indonésia
(3 dias)

Reserve um bom tempo para desfrutar Bali. Ficamos 3 dias e não foi suficiente. A ilha é imensa. Confesso que esperava mais de Bali, acho que criei muita expectativa e não achei as praias tão bonitas. Os taxistas em Bali são irritantes, eles quase pulam na sua frente te oferecendo taxi, gritam taxi na sua cabeça o tempo inteiro.

(Aleva Villa, Seminyak)

Escolhemos a região ao sul da ilha, Seminyak e Uluwatu. Seminyak tem milhões de resorts maravilhososss, e são muito baratos. Fomos no fim de tarde para o Potato Head, tem uma piscina infinita de frente pro mar, é lindo assistir o pôr do sol de lá.
No segundo dia fomos passear em Ubud e conhecer o Santuário dos macacos, como nos divertimos, os macacos são muito engraçados!!! Tem que tomar cuidado com os pertences, pois eles abrem as mochilas pra roubar comida.
No último dia fomos para Uluwatu. Acordamos as 7 da manhã com um terremoto! Eu e minha mãe ainda estávamos na cama e tudo tremia, mas foi rápido. Deu um medo na hora kkkkkk
Alugamos uma motinha pra rodar em Uluwatu, é muito divertido, e pra quem nunca dirigiu na mão inglesa dá um nó na cabeça!!

 

(Pura Uluwatu)

 

No terceiro dia fomos visitar o Pura Uluwatu, é um templo hindu com uma vista linda!!! No caminho passamos pelo Blue Point e no fim de tarde uma boa parada é o Single Fin. Um lugar que tem uma vista incrível que indico é o El Kabron. A piscina estava em reforma na época, mas tem uma vista maravilhosa.

Singapura

Pegamos um voo com conexão de 19h em Singapura. Como sabíamos que a cidade tem um custo bem alto, optamos por conhecer Singapura em um day-tour. Fiquei apaixonada pela estrutura da cidade. Fomos direto a região do Marina Bay, passamos pelo ArtScienc Museum, depois pro Gardens by the Bay. É tudo futurista. Super recomendo visitar Singapura.

 

(ArtScience Museum)

 

(Gardens by the bay)

Dormimos em um hotel dentro do aeroporto, é um hotel de transito por 6h (Ambassador Transit Hotel).

Filipinas

Sempre foi um sonho conhecer as Filipinas. As águas são muito azuis, tanto nas praias quanto nas cachoeiras. Natureza incrível naquele lugar.
Mas pra começar, tem que ter muita paciência pra chegar aos lugares, geralmente você fica cerca de um dia inteiro até chegar ao seu destino. A maioria dos voos faz conexão em Manila que é a capital.
Escolhemos dois destinos: Cebu: Kawasan Falls, Sumilon Bluewater Island e nadar com os tubarões baleia em Oslob e El Nido com os passeios de barco.
– Cebu: o desembarque é no aeroporto de Cebu City, de lá pegamos um taxi até a estação de ônibus sul (cerca de 1h com trânsito), e foram mais 4:30h de ônibus até Oslob.
O tour dos Whale Shark sai do hotel a 5h30min da manhã, as 6h entramos no mar para observar os tubarões baleia. Eles são realmente imensos, um adulto pode chegar a 25m, mas eles são muito dóceis. Experiência surreal!!

 

As 11h pegamos um barco até a Sumilon Bluewater Island Resort, e passamos o dia lá, o “Day Use” e custa cerca de R$90 reais com direito a almoço, snorkel e toalhas.

 

(Sumilon Bluewater Island)

 

Canyoneering em Kawasan Falls: Imperdível. São cerca de 4 horas ao longo dos Cânions do rio Matutinao, saltando, nadando, flutuando naquelas águas azuis. Um dos lugares mais lindos que eu poderia visitar.

(Kawasan Falls)

– El Nido: pra fechar a viagem
Saímos de Cebu com um voo para Puerto Princesa, e depois mais 6h de van até El Nido, um dia inteiro de viagem.
Como teríamos somente 1 dia em El Nido optamos pelo “Tour A” (Big Lagoon, Small Lagoon, Hidden Beach, Seven Commandos Beach). O tour durou de 9 às 19h, com praias paradisíacas.

 

(Small Lagoon)

 

Karine Tostes, Itaperuna, RJ
Instagram: @karinetostes
E-mail: karinetostes@hotmail.com

Roteiro e dicas de 6 dias pela Suíça!

By | Tópicos recentes | 3 Comments

São montanhas, lagos, cachoeiras, Alpes nevados, chalés na montanha, vilas pitorescas, grandes centros urbanos, estações de esqui durante o ano todo, vilas charmosas aos pés das montanhas, trilhas, queijos e claro, os chocolates; são infinidades de coisas pra ver e fazer nesse país que é tão pequeno geograficamente, mas com uma grande diversidade em culturas e belezas!

 

A Suíça é um país pra ser visitado em qualquer estação do ano, em qualquer uma delas você terá bastante coisas pra fazer. Todas as estações do ano são mágicas por lá. Mas a primavera é especial. Ver as transformações das cores, da paisagem… é algo incrível! A vantagem de ir na primavera é que você pode ter as quatro estações juntas, talvez num só dia, kkkk.  Chegamos a pegar num dia lindo e ensolarado, neve, chuva e frio tudo junto!

A Suíça faz fronteira com França, Alemanha e Itália e isso influencia na cultura e língua dos suíços, herança que fica evidente nos costumes e na gastronomia. Sim, existem quatro línguas principais ( Francês, Italiano, Alemão e o Romanche) O romanche é falado por menos de 1% da totalidade dos suíços. O inglês, embora não seja língua oficial, é usado para a comunicação entre as partes linguísticas diferentes do país. Eu usei o inglês muito bem em qualquer parte do país.

 

A capital do país é Berna (e não Zurique, como você pensou) 🙂 tudo bem, também me enganei!

A Suíça também é conhecida como um dos países mais caros do mundo, é queridos viajantes não quero te desanimar não, tudo lá é caro, mas por outro lado a Suíça tem uma excelente infraestrutura turística, com uma série de vantagens que permitem baratear os custos se a viagem for planejada com antecedência. Há muito para se ver, dos Alpes à arquitetura de Zurique, mas a realidade é que, todos os lugares têm opções caras e baratas. Os preços de um hotel de luxo em um país barato podem se assemelhar ao de um albergue barato em um país caro, e vice-versa.
Independente dos custos da viagem, a Suíça é um país para se viajar pelo menos uma vez na vida!

Mas não se preocupe, mesmo sendo um lugar caro, pra não dizer caríssimo, você está no lugar certo, já que o meu objetivo é ajudar vocês viajarem muito gastando pouco, não é mesmo!!!!??

Quando comecei a planejar nossa viagem para a Suíça, foi muito difícil escolher os lugares pra incluir nesse Roteiro, primeiro porque a Suíça é toda linda e um mês por lá já não seria o suficiente, imagina 6 dias?

Para começar o transporte é uma das coisas mais caras na Suíça, fiz uma pesquisa antes de ir e mesmo com o Suiss Pass ficava bem mais caro para 2 pessoas do que o aluguel do carro.

Swiss Pass por pessoa =259 CHF (o câmbio na época estava igual ao Euro)

Aluguel do carro = 206£

0 que é o Swiss Pass?

O Swiss Travel Pass é um bilhete que permite aos viajantes conhecer a Suíça de ponta a ponta de trem, ônibus e barco – e em 3, 4, 8 ou 15 dias consecutivos.

O bilhete inclui:

  • Sistema de transporte público grátis nas principais cidades suíças.
  • Tarifas especiais Passholder (titulares de passe) no TGV Lyria
  • Tarifas especiais Passholder (titulares de passe) no CityNightLine (na rota de/para a Suíça).
  • Entrada grátis pra mais de 490 museus e exposições na Suíça.
  • 50% de desconto com o Swiss Travel Pass nos teleféricos e trens de montanha. Se você possui o Swiss Travel Pass Flex, é exigido o uso de um dia de viagem para se beneficiar com o desconto.

Preços:

1 classe 3 dias 4 dias 8 dias 15 dias
Adultos CHF 344.00 CHF 412.00 CHF 596.00 CHF 722.00
Jovens 16 – 26 CHF 293.00 CHF 351.00 CHF 509.00 CHF 617.00
Crianças 6 – 16 CHF 172.00 CHF 206.00 CHF 298.00 CHF 361.00
2 classe 3 dias 4 dias 8 dias 15 dias
Adultos CHF 216.00 CHF 259.00 CHF 376.00 CHF 458.00
Jovens 16 – 26 CHF 185.00 CHF 221.00 CHF 322.00 CHF 393.00
Crianças 6 – 16 CHF 108.00 CHF 129.50 CHF 188.00 CHF 229.00

 

 

Neste mapa tracei os lugares que visitamos!

 


Distâncias:

  • Genebra – Montreux    1:15h
  • Genebra – Annecy         45 min
  • Montreux – Annecy     1:40h
  • Annecy – Chamonix     1:15h
  • Chamonix – Blausee     2:30h
  • Blausee – Spiez             35 min
  • Visitar – Spiez, Thun e Oberhofen 25min de uma cidade pra outra.
  •  Interlaken – Lauterbrunnen e Grindelwald + ou – 20min de uma cidade pra outra.
  •  Montanha Jungfrau total de viagem de trem 4h ida e volta.
  • Interlaken – Brienz – Lungern   20min de uma cidade pra outra
  • Lungern – Lucerna       35 min
  • Lucerna – Stans (Montanha de Stanserhorn)  20min
  • Lucerna – Basel aeroporto 1:10h

Fizemos a ida Londres – Genebra e a volta Basel – Londres!

Chegamos em Genebra por volta das 11:00 pegamos o carro que já estava reservado pela Rental Cars e fomos direto para Montreux. O objetivo principal dessa viagem era as cidades menores, então cidades como Genebra, Berna e Zurique deixamos para uma próxima vez!

1 Dia – Montreux

Montreux

Chegamos em Montreux e já arranjamos logo um estacionamento pro carro, já que a atração principal da cidade é passear pela orla do lago até o castelo de Chillon, passamos a tarde toda por ali passeando e já quase escurecendo partimos rumo à Annecy onde tínhamos nosso hotel reservado.

Leia o post completo sobre Montreux aqui –

Montreux e o castelo de Chillon na Suiça

Reservamos o hotel pelo Booking.com

Nesse roteiro incluímos Annecy e Chamonix, duas cidades francesas super charmosas que fazem fronteira com a Suíça.

2 Dia – Annecy e Chamonix

 

Annecy

Em Annecy dormimos no Fasthotel Annecy, acordamos bem cedo e fomos turistar pela cidade, mais uma vez estacionamos o carro e fizemos tudo à pé, a cidade é conhecida com a Veneza Suíça, e se perder pelas ruelas da cidade é uma das maiores atrações por lá.

Leia o post completo sobre Annecy aqui –

Annecy – Dicas de um dia na linda cidade dos Alpes franceses!

 

Chamonix

Depois de almoçar um delicioso raclette partimos em direção à Chamonix!

Chegamos na pequena cidade que fica aos pés do Mont Blanc por volta das 15h, deixamos o carro no estacionamento e fomos caminhar pela cidade. E gente, a cidade toda parece cenário de filme, difícil descrever aqui!

Você pode ler o post sobre Chamonix aqui no link abaixo, o post está recheado de fotos lindas!

Chamonix uma cidade pitoresca aos pés do Mont Blanc – França

 

3 Dia – Blausee, Spiez, Thun e Oberhofen

Blausee

Bom tomamos nosso café da manhã no Hotel Les Dômes de Miage e seguimos viagem para Kandersteg.

Antes de ir pra Suíça tinha lido alguns posts falando que viajar de trem era melhor porque dava pra ver paisagens maravilhosas, até concordo, mas a  viagem de carro também não fica atrás não, passamos por lugares tão lindos, paisagens tão surreais, que eu que estava vendo não estava acreditando!

Oberhofen

Depois de mais ou menos 1:45h de viagem chegamos em Lötschberg onde teríamos que entrar com o carro dentro de um trem para atravessar um Tunnel até Kandersteg, e teve um custo de 29,00CHF, a viagem no trem demorou 35 min, o trem é todo aberto e não permitido sair do carro. Em Kandersteg à várias atrações legais pra fazer, mas a maioria abre em meados de maio. Continuamos em direção ao nosso destino ” O Lago Blausse”, chegamos lá por volta das 11h da manhã e ficamos por ali até umas 14:00 e depois seguimos para os castelos de  Spiez, Thun e Oberhofen, todos ficam na beira do lago Thun que fica à uma curta distância um do outro, uma tarde foi o suficiente para visitá-los e tirar fotos antes de escurecer. Em abril os dias já são mais longos,” o sol se põe por volta das 20:30″.

Leia o post completo sobre o Lago Blausee aqui –

Blausee o lago mais azul da Suíça!

Hospedamos no  Hotel Crea em Adelboden, o hotel tem uma vista muito bonita dos Alpes Suíços.

 

4 Dia – Interlaken, Lauterbrunnen, Grindelwald e Jungfrau

 

Depois de um café da manhã maravilhoso, seguimos para uma dos lugares mais esperados da viagem, ” o passeio de trem panorâmico pela montanha de Jungfrau.

Leia o post completo sobre esse passeio aqui –

Um passeio de trem panorâmico para Jungfraujoch – The Top of Europe!

Fizemos base do passeio pela charmosa cidade de Lauterbrunnen, onde pegamos o trem para a montanha, e terminamos o passeio em Grindelwald. O passeio teve duração de 6h, e terminamos nosso dia se maravilhando nas paisagens maravilhosas de Lauterbrunnen e suas 72 cachoeiras.

Lauterbrunnen

Leia o post completinho cheio fotos lindas aqui –

Lauterbrunnen um vale encantado de 72 cachoeiras na Suíça

Dormimos nos hostel Lake Lodge com a vista mais linda de Iseltwald.

5 Dia -Interlaken, Iseltwald, St Beatus Cave, Brienz, Lungern e Lucerna

Nesse dia fizemos bastante coisas, acordamos bem cedo, damos uma volta na vilazinha de Iseltwald, almoçamos em Interlaken, visitamos as cascatas de St Beatus, paramos na vila de Brienz para tirar algumas fotos, e seguimos para Lucerna, mas no caminho paramos em Lungern para algumas fotos!

Brienz

Chegamos em Lucerna por volta das 17:00, deixamos as coisas no hostel, e o carro no estacionamento e fomos caminhando até Kapellbrücke ( Chapel Bridge) o cartão postal da Cidade. Seguindo pela margem do rio do lado esquerdo está a igreja Jesuíta de Lucerna. A igreja tem uma bela arquitetura e estava fechada no horário que fomos.

St Beatus Cave

Falarei mais sobre esses lugares em outro post!

Hospedamos no Hostel Lion Lodge Luzern esse hostel fica à 8 min andando de Chapel Bridge e 2min do monumento do Leão esculpido na rocha.

6 Dia – Lucerna , Montanha de Stanserhorn e Basel

Nosso último dia de viagem :(! Fizemos o nosso check out bem cedinho e seguimos para Stans, a cidade base para o passeio de teleférico para a montanha de Stanserhorn.

Mais sobre Lucerna e esse passeio neste post aqui –

5 lugares pra ver em um dia em Lucerna

 

Lucerna

Depois de muita aventura pela montanha, voltamos para Lucerna e seguimos para o nosso destino final, Basel.

Em Basel estacionamos o carro perto do centro mesmo e fomos procurar algum restaurante para almoçar, almoçamos no Espiga, um restaurante italiano com preços bem em conta, passeamos pelo centro e fomos para o aeroporto que fica praticamente dentro da cidade.

 

Basel

Na hora de devolver o carro preste atenção em que lado do aeroporto está indo, o aeroporto fica bem na divisa da França com a Suíça, isso aconteceu conosco, estacionamos no lado francês e só descobrimos isso quando fomos devolver a chave no balcão da Sixty, mas eles foram bem legais e deixou que ficasse lá mesmo.

 


 

Vocês podem ver o vídeo completo aqui:

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       

 


 

5 lugares pra ver em um dia em Lucerna – Suíça

By | Tópicos recentes | No Comments

Quando pensamos na Suíça, vem logo na nossa mente, Alpes, relógios, canivetes, cidadezinhas rodeadas por montanhas, e claro, queijos e chocolates. A cidade de Lucerna tem todas as características que um turista precisa e com a vantagem de estar bem centralizada, à apenas 40 min de carro de Zurique e 1h de Bern, pode ser uma excelente base para fazer diversos passeios pela região, além dos lagos e montanhas em volta.  Lucerna está à margem do lago de Lucerna com os Alpes suíços como pano de fundo dando ao lugar um cenário único e idílico.  Sua adorável cidade velha medieval tem tudo o que precisa para encantar você: cisnes brancos, praças pitorescas, ruas calçadas de pedra , torres de vigia, pontes cobertas e uma arquitetura linda pra ninguém botar defeito!!

Lucerna é bem compacta e muito fácil de andar por lá. Os principais pontos turísticos  estão á uma curta distância uns dos outros, o que é ideal para quem tem 1 ou 2 dias para explorá-la. Nós fomos caminhando do  hotel até a parte antiga da cidade.

E aqui estão alguns lugares que visitamos e gostamos!

1. Kapellbrücke (Chapel Bridge)

 

Começamos logo pelo cartão postal da cidade – Kapellbrücke (Ponte da Capela), a ponte de madeira construída no século XIV, símbolo da antiga cidade medieval, que fazia parte do impressionante sistema de fortificação da cidade durante a idade média.

A Ponte da Capela se estende por 204 metros, cruzando o Rio Reuss. Ela foi originalmente construída em 1333 como uma fortaleza, para ajudar a proteger a cidade de ataques, e é a ponte de madeira mais antiga e coberta da Europa.

A ponte foi reconstruída em 1993 depois de um incêndio alegadamente causado por um cigarro descartado. Dentro da ponte há uma série de pinturas do século 17 que retratam a história de Lucerna. Do outro lado da ponte fica a Torre da Água, uma fortificação octogonal que ao longo do tempo serviu de farol, prisão e tesouraria.

 

2. Cidade Velha

 

A cidade velha é um lugar encantador e romântico. Parece que foi tirado diretamente de uma cena de cinema, com ruas estreitas, belos edifícios antigos, pequenas praças com fontes de água e edifícios coloridos dão ao lugar uma atmosfera de conto de fadas.

Vídeo completo da viagem!

 

3. Igreja Jesuita

 

A igreja jesuíta de Lucerna foi a primeira grande construção barroca erguida nos Alpes Suíços. É um local lindo por sua arquitetura e história. A elaborada igreja foi construída entre 1666 e 1667 em homenagem a São Francisco de Assis. Arquitetos da Itália e Áustria estiveram envolvidos na construção, e acredita ser a mais bela igreja barroca na Suíça.

Hoje em dia, a igreja é uma grande atração turística, no seu interior  acontecem apresentações e concertos musicais (não necessariamente relacionados a rituais religiosos). Vale a pena visitar e apreciar a decoração interna toda em estilo Rococó, e também a sua abóboda que foi restaurada no século XVIII.

 

4. Löwendenkmal (Lion Monument) O monumento do Leão

 

Uma das atrações que capturaram totalmente meu coração nesta cidade foi o Leão de Lucerna. Situado num parque perto do centro da cidade, esta escultura de 20 pés de altura esculpida em um penhasco é um monumento dedicado aos soldados mercenários suíços que morreram durante a Revolução Francesa.
O leão moribundo é retratado perfurado por uma lança. Sua cabeça é curvada e sua pata está cobrindo um escudo com a flor de lis (o símbolo da monarquia francesa); Ao lado dele, há outro escudo com os brasões da Suíça.
Há tanta tristeza na expressão do leão que faz seu coração doer mesmo sendo apenas uma escultura! O monumento é protegido da agitação da rua por uma alcova verde de árvores altas. A rocha vertical onde está a escultura está cercada por uma pequena lagoa e grama verde.

 

5. Passeio de barco pelo Lago Lucerna

O Lago de Lucerna é o quarto maior lago do país e tem um fortmato complicado que se curva pelas montanhas e pela cidade de Lucerna, com uma área total de 114 quilômetros quadrados. O percurso do lago tem várias vistas deslumbrantes, especialmente do Monte Rigi e do Monte Pilatus.

É possível acompanhar suas curvas pela estrada, mas é bom saber que o caminho é lento, sinuoso e passa por vários túneis. O lago é um destino turístico banstante popular, tanto para turistas quanto para os próprios suíços, contando com vários hotéis, resorts e outros estabelecimentos ao longo das margens.

 

Sugestões de passeios a partir de Lucerna

Monte Pilatus

foto divulgação

Um passeio imperdível é ir até Kriens para uma vista panorâmica onde você embarcará na gôndola e no bondinho até chegar ao topo do Monte Pilatus a 2.132 metros. Tire umas 2 horas para admirar as vistas que são de tirar o fôlego! Toda a área ao redor envolve montanhas e lagos. Aventure-se pelo Caminho do Dragão e faça uma curta caminhada até o cume antes de descer do Monte Pilatus para Alpnachstad no trem de cremalheira. O declive de 48% é o mais inclinado do mundo!

 

Engelberg-Titlis

foto divulgação

A cerca de 35 quilômetros ao sul de Lucerna, Engelberg-Titlis é o maior destino de férias de inverno e verão da Suíça Central e uma das 10 principais estâncias de esqui da Suíça. Elevado pelo Monte Titlis de 3.239 metros de altura, a vila de Engelberg é famosa pelo seu mosteiro beneditino do século XII, onde os monges ainda vivem e trabalham. No verão, a área é uma base popular para mountain bike, caminhadas, golfe e alpinismo, enquanto nos meses de inverno atrai esquiadores e snowboarders do mundo todo.

O Monte Titlis oferece a melhor e mais alta vista do centro da Suíça. O cume está sempre coberto de neve, o que é ótimo para esquiadores. A vista do mirante, a 2.970 metros (9.742 pés), inclui as montanhas Jungfrau e Matterhorn, além de Zurique e Basel em um dia claro. Você pode chegar até o topo pelo bondinho giratório, uma experiência incrível pra toda a família!!!

 

 Stanserhorn a montanha do bondinho conversível

  

 

Fizemos esse passeio pelo bondinho conversível que transporta os passageiros até a Montanha Stanserhorn, sua parte superior é aberta,  para os corajosos assim como eu que querem ter mais contato com o ar e a montanha.

O Monte Stanserhorn, fica perto de Lucerna, uns 20 min de carro até a pequena de cidade de Stans, de lá você pega um funicular que leva até o teleférico Cabrio.

Cabrio , o teleférico é apontado por seu operador como o primeiro bondinho com um segundo andar aberto do mundo. No total, 60 pessoas podem ser transportadas por vez – 30 na parte superior.

O trajeto tem 2,3 km e é feito em menos de 10 minutos.

Apesar de não ser a montanha mais alta da região, ela tem 1.898 metros de altura e oferece uma bela vista para dez lagos, parte dos Alpes e três países. A montanha oferece uma boa estrutura, com restaurante e mirante para observação da paisagem.

O dia que fomos o tempo estava bastante coberto, não deu pra ver nada, nadinha mesmo, acredito que num dia ensolarado deve ter uma vista muito bonita! Custo 54 CHF por pessoa (em abril)!

 

Monte Rigi

foto divulgação

Monte Rigi é uma montanha no centro da Suíça, fronteira com Lucerne, e faz parte dos Alpes suíços. É também conhecida como a “Rainha das Montanhas”. Rigi oferece deslumbrantes vistas panorâmicas e é famosa pelo seu belo nascer do sol. Hoje em dia, a montanha é de fácil acesso por transportes públicos. Oferece muitas excursões tanto no inverno quanto no verão, como trenó, esqui ou caminhadas.

 

Galeria de fotos!

                   

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       


 

Blausee o lago mais azul da Suíça!

By | Tópicos recentes | No Comments

 

A Suíça tem cerca de 1.500 lagos, e um dos mais lindos e encantadores pela sua cor surreal Azul-turquesa é o lago Blausee. E como o próprio nome diz: Blausee significa “LAGO AZUL”! Quando vi as fotos desse lago no instagram fiquei louca de vontade de conhecer, e assim que surgiu a oportunidade de viajar pela Suiça , já incluí logo no roteiro! E acreditem ao vivo é ainda mais impressionante! Blausee está localizado na Suíça alemã no Kander Valley entre Frutigen e Kandersteg e administrativamente, pertence ao Bernese Oberland.

 

   

 

Este lago foi formado há 15 mil anos atrás, a partir de um grande bloco de gelo de um glaciar.  E hoje, o lago é alimentado por um rio subterrâneo, o que lhe garante a transparência da água.

Nós chegamos em Blausee por volta do 12:00 e gastamos umas 3h caminhando em volta do lago, tirando fotos e almoçamos no restaurante do parque, eu pedi uma sopa de trutas, a especialidade da casa, e o legal que são fresquinhas já que o lago é cheio delas.

 

Durante o mês de outubro é possível pescar Trutas no lago.

 

 

Nós compramos nossos ingressos no balcão da pequena loja que fica na entrada do lago, os tikets custaram 8CHF em abril. Da entrada do parque até o lago você irá percorrer uns 10min por uma passarela no meio de uma densa floresta, cercada por grandes pinheiros, arbustos e rochas gigantes. O caminho parece longo, mas logo o  lago azul aparece e você fica extasiado com a beleza do lugar.

   

Visitar o lago Blausee é ter uma experiência apaixonante e hipnotizante, a vista do lago com a floresta circundante é de tirar o fôlego!! Você pode dar uma volta pelo lago através dos caminhos pavimentados, rochas e pontes de madeiras ou fazer um passeio de barco com fundo de vidro no lago. O passeio já está incluído no ingresso.

 

 

 

 

A água do lago é tão clarinha, que dá pra ver os galhos e as pedras no fundo!

 

 

 

O lago é cercado por montanhas e florestas circundantes, há também uma área com churrasqueiras, parquinho para crianças e mesas para  picnic.

Há uma lenda que diz, que o lago tem essa cor azul claro por causa de uma jovem que se afogou no lago enquanto estava de luto pelo seu amor perdido, e que o lago ficou da mesma cor dos olhos na garota (azul claro). Há uma estátua da jovem no lago esculpida pelo escultor Raphael Fuchs em sua memória. A estátua da menina pode ser vista da ponte.

  

 

Por ser um lago bem pequeno, você pode conhecê-lo em 2-3 horas,  uma sugestão é aproveitar a beleza natural desta região e conhecer outro lago chamado Oeschinen, a 20 minutos dali (11km). Eu infelizmente não conheci porque estava fechado na época que eu fui ( em abril) esse lago só abre em meados de maio.

Dicas:

  • O passeio de barco é até às 5 horas.
  • A visita da fazenda de trutas orgânicas, o uso do parque infantil, as lareiras com lenha e o estacionamento estão incluídas na taxa de inscrição.
  • A entrada no parque é gratuita durante o inverno, mas a área de churrasco e o parque infantil estão fechados e o estacionamento é cobrado.
  • Cães com coleira são bem-vindos dentro do parque.
  • Se for de transporte público – Independentemente de onde você estiver, você precisa pegar um trem para Frutigen ou Kandersteg e depois pegar um ônibus até a parada de ônibus “Blausee BE”.
  • Eu sugiro que você escolha um dia ensolarado para visitar, a cor do lago fica ainda mais incrível ao sol.
  • Você também pode se hospedar no parque, pois há hotéis e restaurantes no parque.
  • O parque abre durante o ano inteiro das 09 às 17h e durante o verão até às 21:00.

 

Você pode gostar de:

Montreux e o castelo de Chillon na Suiça

Lauterbrunnen um vale encantado de 72 cachoeiras na Suíça

Um passeio de trem panorâmico para Jungfraujoch – The Top of Europe!

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       


 

Annecy – Dicas de um dia na linda cidade dos alpes franceses!

By | Tópicos recentes | One Comment

Ahhh, Annecy. Por onde começar!? Uma das cidades mais bonitas e charmosas da França (na minha opinião).

Seguindo nossa viagem a partir de Montreux, decedimos visitar Annecy, que fica apenas 1h de carro de Montreux!

Já leu meu post de Montreux?

Montreux e o castelo de Chillon na Suiça

Annecy tem muito mais à oferecer do que apenas seus pontos turísticos que não são muitos, mas a cidade toda já é motivo se apaixonar e ficar in love com a cidade! Mergulhe nas deliciosas pastelarias francesas, restaurantes com decorações típicas da França e seu lago deslumbrante com os Alpes como pano de fundo. E, claro, todas essas coisas juntos são o que tornam Annecy ainda mais atraente!

A primeira vez que vi a foto desta cidade no Instagram, eu me apaixonei imediatamente e não via a hora de conhecê-la pessoalmente!

 

   

 

Localizada no norte dos Alpes franceses, Annecy é uma cidade medieval com um castelo do século XIV, caracterizada pela sua rede de canais sinuosos e localização priveligiada ao lado do Lago Annecy. Sem falar o quanto estava florida em abril, quando fomos na primavera!

  

 

Não sei sobre as outras estações, mas para mim essa seria a melhor época pra visitar a cidade, estava com um clima bom e sem muitos turistas, com flores colorindo os parques e enfeitando a cidade!
Annecy é uma cidade pequena e privilegiada por estar situada na beira de um lago de águas claras, com várias opções de esportes aquáticos também. Annecy está á apenas 40 minutos de Genebra, na Suíça, ótima opção de um bate e volta pra quem tiver nessa região.

Annecy é uma cidade romântica, apelidado por muitos de “A Veneza Francesa”.

    

 

O que fazer em Annecy

Se você tem apenas um dia como nós para conhecer a cidade,  aqui estão algumas das minhas sugestões.
Comece caminhando pelas ruelas e parando nas mais variadas lojas e sorveterias sobre os canais, a cidade toda, assim como Veneza tem muitas  pontes cortando os canais, pare e tire uma foto na icónica ponte que tem vista para o Palais de L’Isle ( uma antiga prisão construída no século XII e que parece flutuar no canal Thiou.).

Palais de l’Isle e Vieux Ville

Localizado em Vieux Annecy, o Palais de l’Isle é um dos maiores cartões-postais da cidade. Trata-se de um pequeno forte do século 12 que foi construído sobre uma ilha natural no meio do Canal Thiou, um rio lindo e limpinho que corta o bairro. O palácio pertenceu aos Condes de Genebra, funcionou como prisão durante toda a Idade Média e Segunda Guerra Mundial e, atualmente, é um museu bem legal que guarda todas essas heranças históricas. Só foi pena não poder ver o pequeno palácio, quando fomos estava em reforma e todo coberto! Agora tenho um grande motivo pra voltar,né!

 

Caminhe até as ruas de paralelepípedos para Chateau d’Annecy que foi construído no final do século 12 ao século XVI.

 

Château d’Annecy

Uma das maiores atrações culturais é o Castelo de Annecy. Ele foi construído entre os séculos 12 e 16 e foi residência dos Condes de Genebra. Hoje, ele é um museu que guarda muitas peças históricas da época, que vão desde objetos e esculturas até cinema. Além disso, o prédio abriga o Observatório Regional dos Lagos Alpinos que reserva a vista mais bonita da cidade.

 

Cada polegada desta cidade é um cenário para dezenas de fotos.

 

Assista também o vídeo completo!

 

 

 

Pegue um barco e faça um passeio pelo lago!

      

 

O Lago de Annecy (lac d’Annecy em francês) é famoso por ser um dos lagos mais limpos do mundo. Está localizado em Haute-Savoie, região de Ródano-Alpes, França. Também é considerado como um dos mais belos lagos do mundo. Águas cristalinas foram formadas pelo derretimento de uma formação de gelo alpino, há cerca de 18.000 anos atrás. É também o segundo maior em França, logo atrás do Lago Bourget. A beleza do Lago Annecy atrai multidões de turistas, ciclistas, praticantes de windsurf e mergulhadores de todo o mundo.

 

PONTE DOS AMORES

 

  

 

Quem sonha com o amor eterno não pode deixar de visitar a Ponte dos Amores. Diz a lenda que os amantes que se beijam no meio da Pont des Amours, vão se unir para toda a vida. Ela se tornou um atrativo turístico e é frequentemente utilizada para fotos de casamento. Hoje a passarela metálica é um dos símbolos da cidade e liga o Pâquier aos Jardins da Europa.

 

Chateau de Menthon-Saint-Bernard

 

O Château de Menthon é um castelo medieval situado na comuna de Menthon-Saint-Bernard, 12 km (7,5 milhas) ao sul de Annecy, na Alta Sabóia, da França. Permanente de 200 metros (660 pés) de altura de rock, a sua pedra torres tear sobre o Lago Annecy, o Roc de Chère National Nature Reserve, e Menthon-Saint-Bernard. Desde 1989, ele é listado como um monumento historique pelo Ministério da Cultura francês. As torres medievais do château de Menthon-Saint-Bernard dominam o lago de Annecy. Essa construção é propriedade da família Menthon desde o século XII. Algumas partes do castelo são abertas ao público. A esplêndida biblioteca tem 12.000 volumes antigos e raros. O castelo está aberto de Maio a Setembro!

Como resistir? Essa cidade é tão fotogênica, que é quase impossível desgrudar da câmera!

   

 

O que comer

As opções de restaurantes em Annecy são infinitas e qualquer um deles seria uma boa escolha. As especialidades da região são os pratos à base de queijo. Almoçamos num restaurante tradicional que fica no Centro, onde comemos um raclette maravilhoso, um prato típico com queijo derretido, misturando batatas cozidas, salada e presunto.

 

 

 

Dica pra quem for de carro

Pra saber se você pode estacionar nas ruas, verifique se no chão está escrito “payant”, o que significa que você pode parar, mas tem que pagar. Existem máquinas para emissão de tíquets. O pagamento é sempre com moedas. Depois você deixa o tíquet visivel no painel do carro. Na dúvida deixe o carro no estacionamento central que achei um preço bem justo até.

 

 

       

 

Continuamos nossa viagem para Chamonix, leia o post completo aqui:

Chamonix uma cidade pitoresca aos pés do Mont Blanc – França

 

Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       


 

Chamonix uma cidade pitoresca aos pés do Mont Blanc – França

By | Tópicos recentes | No Comments

A cidade de Chamonix é um recanto fascinante e tradicional, com uma atmosfera animada, é um ótimo lugar para ser explorado durante o ano todo, seja na primavera quando as flores estão fora nos prados ou no outono antes da temporada de esqui começar. Com uma localização privilegiada nos Alpes franceses nas fronteiras da Suíça e Itália, Chamonix também está perto de Genebra, Montreux e Annecy.

Read More

Lauterbrunnen um vale encantado de 72 cachoeiras na Suíça

By | Tópicos recentes | One Comment

 

IMG_5911 IMG_5905

Lauterbrunnen é um dos lugares mais bonitos e impressionantes que estive na Suíça. O que o torna essa cidade tão magnífica é a combinação perfeita das imponentes paredes de rocha íngreme, suas inúmeras cachoeiras e o charme mágico dos Alpes que rodeiam a cidade!

As cachoeiras e penhascos dramáticos de Lauterbrunnen têm inspirado grandes escritores e poetas, como J.R.R. Tolkien que teve a inspiração para criar o vale Rivendell da Saga O Senhor dos anéis, durante um passeio entre Interlaken e Lauterbrunnen. E, não vamos esquecer o filme de 1969 do James Bond que foi filmado em Lauterbrunnen.

IMG_5915 IMG_5901 IMG_5962 IMG_5934

Lauterbrunnen fica num vale, rodeado por montanhas enormes – em cima de uma das montanhas fica Wengen (mais ou menos 1300m de altitude), em cima da outra fica Mürren (cerca de 1.600m de altitude) e Jungfrau onde está o “The Top of Europe”, você pode ler o post completo aqui. Lauterbrunnen mesmo fica quase 800m acima do nível do mar, e é uma região muito procurada para quem faz trilha no verão : aparentemente são 72 cachoeiras no vale (daí o nome – Lauterbrunnen quer dizer “muitas fontes”)

Lauterbrunnen tornou-se patrimônio da UNESCO em 2001.

 

IMG_5916 IMG_5921 IMG_5920 IMG_5917

CAMPOS INFINITOS DE FLORES SELVAGENS
Se a cidade já é um charme por conta das casinhas de madeira típicas suíças e com aquela vista oponente dos Alpes e seus chalés nas montanhas, imagine como ela fica na primavera? Encontramos alguns campos de flores silvestres amarelas pelo caminho, e claro que paramos para tirar muitas fotos!

IMG_5740 IMG_5761 IMG_5747

A CACHOEIRA IMPRESSIONANTE DE STAUBBACH
Lauterbrunnen é bastante espetacular por conta própria, mas a estrela do show é a cachoeira Staubbach. São 297 metros de queda sobre um penhasco, e será a primeira coisa que você vai perceber quando chegar em Lauterbrunnen. Staubbach é também uma das cachoeiras mais elevadas na Europa e possivelmente uma das mais bonitas também na minha opinião.

A coisa impressionante sobre esta cachoeira é que a água cai livre dos penhascos.

IMG_5927 IMG_5924 IMG_5922 IMG_5947

 

O vale das 72 cachoeiras
Se você já me segue à algum tempo no Instagram (@mirelletome) já deve ter percebido minha fascinação por cachoeiras, imagina como me senti ter visto uma dentro de uma cidade?!

O vale de Lauterbrunnen recebeu o apelido de vale das 72 cachoeiras devido ao grande número de cascatas. Entre elas estão as Staubbach Falls, com uma altura de cerca de 300 metros sobre o vale suspenso. Você vai passar por essas quedas se fizer a trilha pela floresta desde Lauterbrunnen até Trummelbach. Outras opções de transporte incluem ônibus ou carro.
Em qualquer lugar que você vá em Lauterbrunnen você sempre vai ouvir o som hipnotizante de água correndo pelas rochas. O ar é úmido e fresco e a paisagem indescritível!

IMG_5936 IMG_5888 IMG_5957 IMG_5943
* Staubbach Falls: Essa é a cachoeira principal da cidade, aquela que você vai perceber logo ao chegar na cidade. Para ter uma visão ainda mais incrível, é possível fazer uma pequena trilha pela montanha, passando por túneis, você pode chegar até a parte de trás da cachoeira. A vista é surpreendente! Olha como Staubbach fica iluminada a noite!

STAUBBACH FALLS
* Trümmelbach Falls: Essa cachoeira fica meio escondida e é uma das mais interessantes e diferentes da região. Ela tem mais de 300 metros de altura e fica dentro das pedras. Ela está à 2 Km ao Sul de Lauterbrunnen, vale à pena chegar até lá e a caminhada é muito bonita. Para ter acesso a cachoeira, você precisará subir de funicular.

lauterbrunnen-Trümmelbachfälle-1 Trummelbach Falls trummelbach-waterfalls-interlaken

Foto Nicolas Glauser

Mais detalhes no blog dele ➡️ https://www.travelita.ch/

As Trummelbach Falls ficam abertas diariamente de abril a novembro, de manhã até o final da tarde. Em julho e agosto, elas ficam abertas por mais algumas horas. É cobrada taxa de entrada com descontos para crianças. Dedique pelo menos uma hora para explorar as quedas. Termine sua visita na cafeteria do lado de fora da entrada principal.
* Murrenbach Falls: Essa é um pouco mais distante, são dez quilômetros de caminhada do centro de Lauterbrunnen (ou 20 minutos de ônibus).

murrenbach_falls tn_MurrenbachFalls4

 

Eu não tive tempo para explorar as outras vilas que fica no topo da montanha, como Mürren e Wengen, ouvi dizer que é uma graça!

Recomendo separar pelo menos um dia pra esse passeio, você poderá conhecer Lauterbrunnen, Jungfrau e Grindelwald num só dia!

IMG_5920 IMG_5923 IMG_5854 IMG_5852  IMG_5931
Optei por usar Lauterbrunnen como base para explorar a região do Jungfraujoch
Você pode ler o post completo dessa viagem aqui

Assista o vídeo completo também

 

 

 

Patrocinadores:

logo_oficial_brazilconnectionukScreen Shot 2017-05-01 at 11.09.07 PM


 

18406235_120332000745017172_1572896706_o Screen Shot 2017-05-01 at 11.55.21 PM

Um passeio de trem panorâmico para Jungfraujoch – The Top of Europe!

By | Tópicos recentes | 12 Comments

53484276

Jungfraujoch – Quando comecei a planejar minha viagem para a Suíça, fiquei sabendo sobre essa região, e um dos passeios que fiquei já de cara super interessada foi o passeio de trem até Jungfrau, o preço não é dos mais convidativos mas a experiência é única e vale muito a pena salvar um pouquinho mais e adicionar no seu roteiro!

Jungfraujoch é um lugar maravilhoso no coração dos Alpes Suiços. Lá em cima fica o Top Of Europe, a estação de trem mais alta da Europa (3.454 metros). O Top Of Europe é um complexo cheio de atrações com neve, desde esportes até um palácio todo feito de gelo. As paisagens do caminho para Jungfraujoch  são surreais de lindas.

IMG_5777

A experiência Jungfraujoch começa a partir do momento em que você entra no trem! Eu não conseguia desgrudar o olho da janela, era uma paisagem mais linda que a outra, casinhas de madeiras rodeadas por montanhas cheias de neve e vilas que mais parecia um conto de fadas, ficava me imaginando morando ali, deve ser uma paz!

IMG_5780

 

O QUE É EXATAMENTE JUNGFRAUJOCH?
Jungfraujoch é uma garganta e uma passagem glacial entre a montanha de Jungfrau e a montanha de Mönch. É acessível por trem de Interlaken, Grindelwald, Lauterbrunnen e Kleine Scheidegg.
Jungfraujoch é também conhecido como “Topo da Europa”, porque é a estação ferroviária mais alta da Europa com 3.454 metros. Esta estação foi inaugurada em 1912 e teve sua construção iniciada em 1896 e, atualmente, é uma das atrações mais populares em toda a Suíça.

 

IMG_5797

 

O QUE FAZER EM JUNGFRAUJOCH

O passeio oferece várias atrações desde passear por uma caverna de gelo à outras atrações mais radicais!

Atividades externas:

Tubulação de neve
Trenó no Snow Fun Park
Esquiar no parque de diversões da neve
Snowboard no parque de diversões de neve
Caminhadas através da geleira para a cabana Mönchsjoch (demora 1 hora)
Obter uma vista panorâmica do observatório da Esfinge
Luta de neve (durante todo o ano)

Atividades internas:

O Palácio do Gelo
Sensação alpina (uma passagem com fotos e vídeos em 4D)
Lindt Swiss Chocolate Heaven
Restaurantes (eles têm comida e chocolate quente)

 

 

IMG_5781 IMG_5788 IMG_5782 IMG_5792
Nós começamos nossa viagem por Lauterbrunnen onde deixamos nosso carro estacionado no estacionamento da estação. Compramos o bilhete na hora mesmo, como era em maio ( baixa temporada) foi tranquilo. Pegamos o trem por volta de 12:00, nosso vagão estava bem vazio, que foi muito bom, assim tivemos acesso aos dois lados, que são ambas as partes com paisagens muito bonitas, mas se caso não tiverem a mesma sorte, recomendo o lado direito. Assim que o trem começa a andar as paisagens mais incríveis no mundo começam a aparecer através das janelas, fizemos nossa primeira parada em Wengen a uma altura de 1.274 m, depois paramos em Kleine Scheidegg para trocar de trem, dali em diante começou a ficar tudo branquinho de neve e eu não desgrudava da janela, parecia uma criança encantada com tamanha beleza! Até que o trem entrou em um túnel longo através das montanhas e parou em Eismeer (3160m), onde todos saíram para tirar fotos através das janelas panorâmicas, ( que não deu pra ver nada por causa na neblina) A viagem dentro do túnel durou cerca de 45 minutos. Em alguns pontos, o trem estava em um ângulo de 25 graus, muito irada essa viagem não!?

IMG_2944 IMG_2948IMG_2951 IMG_5795IMG_5842 IMG_5805

Chegamos pelo hall da estação onde à um café, lojas de souvenirs e a indicação do início do TOUR. É só seguir o símbolo, são 13 atrações incluindo as externas. O clima não estava dos mais amigáveis não, estava tudo branco lá fora e o vento uivava quase como um lobo. Não podíamos ver nada, mas mesmo assim nos aventuramos em ir para fora para tentar tirar alguma foto, mas infelizmente estava tudo coberto pela neblina e a tempestade de neve fez com que todas as atrações do lado exterior estivessem fechados para a segurança dos turistas. A tempestade estava tão forte que não dava pra ver 2 metros à frente.

IMG_5809 IMG_5808