Category

Tópicos recentes

Disneyland Paris – Dicas práticas para aproveitar os dois parques em dois dias!

By | Tópicos recentes | No Comments

Realizei meu sonho de criança, conheci a Disneyland Paris – Uhulll!!! Imagine a felicidade da pessoa quando chegou no parque! Só faltoiu eu sair pulando e saltando pirueta! Não chegou a tanto, mas o sorrisão estava estampado no rosto com aquele brilho nos olhos que parecia que estava sonhando!

Taaa – A Disneylândia de Paris não é tão famosa e grande como Walt Disney World de Orlando na Florida, (Walt Disney World é 5 vezes maior que a Disneyland Paris), mas como nunca fui em nenhuma outra Disney não posso fazer comparações, e nem é essa minha intenção aqui, mas posso dizer que amei estar em Paris e poder incluir a Disneyland no nosso roteiro durante a nossa viagem entre o Natal e o ano novo. Estava tudo lindo e mágico e não importa a sua idade, você vai voltar a ser criança e querer ir em todos os brinquedos, até aqueles para os “Little Ones” ou (pequeninos), como são descritos em alguns.

Com certeza o Mickey, a Minnie e alguns outros personagens da disney já fizeram parte de sua infância e viver esse sonho de criança mesmo sendo adulto é maravilhoso! Confesso que alguns brinquedos me deram medo, mas quando vi que nas filas tinha crianças de 5-10 anos todos animados só aguardando a vez para encarar os brinquedos mais “radicais”, acabou me dando coragem de ir também,  sim, eu sou meio medrosa com esses tipos de brinquedos.

A Disneyland Paris, “antiga Euro Disney” completou 25 anos em 2017 e algumas atrações foram adicionadas:

  •  Star Tours: A Aventura Continua
  • Star Wars Hyperspace Mountain
  • Pirates of the Caribbean

Outra novidade é a Disney Stars on Parade, que conta as histórias da Disney por meio dos carros alegóricos num desfile pela Parade Route, trazendo o Mickey e outros personagens para bem pertinho do público. O desfile acontece às 17:00 todos os dias, mas é sempre bom verificar se houve alterações nos horários.

    

Mas o espetáculo mais incrível é, sem dúvidas, o novo Disney Illuminations, que acontece todos os dias às 22h no Parc Disneyland, bem em frente ao Castelo.

O incrível show de luzes atravessa cenários e canções dos clássicos Disney fazendo uso de projeções surreais na fachada do castelo, acompanhados de sons, fontes d’agua coreografadas, efeitos pirotécnicos e fogos de artifício, que traz à vida os contos da Disney e histórias mais recentes, como Star Wars, Frozen e Piratas do Caribe. Tudo acompanhado pelo próprio Mickey (os trechos que homenageiam os Piratas do Caribe e a Frozen são imperdíveis). Esse espetáculo é imperdível mesmo, veja o video completo:

Aqui estão as nossas principais dicas para evitar filas, manter os custos baixos e maximizar a diversão!

1. Visite em Off-Peak

Se possível, evite fins de semana, feriados importantes e feriados franceses, onde o parque Disneyland Paris pode estar muito cheio e as filas enormes. Verifique feriados franceses antes de reservar sua viagem aqui.

2. Compre os bilhetes on-line

Comprando os bilhetes on-line você pode salvar uma boa grana e ainda evitar filas na hora da entrada, você pode comprar pelo site oficial Disneyland Paris , se inscrevendo no site, você também poderá receber notificações de promoções especiais.

3. Faça um planejamento e chegue cedo

Pesquise sobre as atrações e os shows que deseja ver antes de ir e fazer um cronograma para o seu dia. Vale a pena chegar cedo e evitar a hora do rush para entrar no parque, se o parque abrir as 9:00 tente chegar 8:30, meia hora pode te ajudar a evitar a multidão nas filas, que são 3 no total, a fila do estacionamento se for de carro, fila para o  Scanner e depois a fila da entrada principal.

4. Usar o FASTPASS

Se você tiver tempo limitado para gastar no parque, comprar um ticket FASTPASS irá ajudá-lo a evitar as filas gigantescas dos brinquedos mais concorridos. Veja o Disney FASTPASS para obter mais informações.

5. Encontre o Mickey

Há “Mickeys escondidos” em todo o parque – no mapa está sinalizado com um desenho da mão do mickey apontando com o dedo o lugar que você poderá encontrá-lo.

6. Poupe dinheiro em alimentos e bebidas

Sim, é possível levar comida e bebida para o parque, principalmente se estiver com crianças, você também pode ir enchendo garrafas de água vazias nas fontes de água ao redor do parque.

7. Escolha o posicionamento da parada com sabedoria

O desfile principal ocorre às 17 horas diárias, e um dos melhores lugares para ver é o final da rota do desfile perto da entrada do parque. Dirija-se para lá uns 30 minutos antes para obter uma boa posição na multidão.

8. Use o APP  para ficar atualizado

Mesmo com o mapa dos parques na mão é interessante usar o App da Disneyland Paris, com mapas interativos, informações ao vivo sobre tempo de espera nas filas dos brinquedos, horários dos shows, localização de banheiros, lojas e afins.

  

Como chegar

Os parques ficam em Marne-la-Vallée, uma cidadezinha a cerca de 30 quilômetros de Paris, sendo alcançado via trem (Eurostar, TGV e RER), ou metrô de superfície vindo de Paris. Ou é claro, de carro como nós fomos (lembrando que paga-se 20 euros pelo estacionamento), ou transfer (recomendo muito o Transportvipservice  que fala português).

Dicas e truques para aproveitar as atrações dos parques da Disneyland Paris e Walt Disney Studios

Disneyland Resort Paris é dividido em 2 parques temáticos:

– Disneyland ® Park ou Disneyland (que transforma contos de fada em realidade)


– Walt Disney Studios ( que explora a magia e emoção cinematográfica dos estúdios)

Ha também o Disney Village, um centro comercial com muitas lojas, cafés e restaurantes, acessível tanto como um pit-stop durante o dia, ou para fechar seu dia no fim do parque (  está situado entre os dois outros parques).

Fiquem atentos aos horários dos shows na parte de trás do castelo da Bela Adormecida (que em Paris ela é a dona do castelo) super animado e colorido com muita dança, com os personagens principais dos desenhos da Disney.

 

O parque Disneyland é dividido em 5 áreas principais:

1. MAIN STREET. É a rua principal inspirada por uma cidade no Missouri. Aqui está o maravilhoso Castelo da Bela Adormecida. Dê uma olhada dentro dele e você ficará encantado pelo hotel e com os belos vitrais. Você encontrará muitas lojas na Main Street. Mas resista à tentação as compras!

2. FANTASYLAND. Como o próprio nome já diz é a terra das fantasias.

Imperdíveis:

– Sleeping Beauty Castle (Castelo da Bela Adormecida), que fica no centro do parque. É tão mágico à noite! N19

– Peter Pan’s Flight (você escala a bordo de um navio pirata. É muito legal e concorrido. Use FastPass); N24 no mapa

– Le Pays des Contes de Fees (onde você pode fazer um cruzeiro de barco através das miniaturas de cenas de contos de fadas da Disney); N31

– It’s a Small World (maravilhoso, você descobrirá o mundo a bordo de pequenos barcos acompanhados por uma bela música de fundo com isca de desenho de cenas e bonecas em movimento). N32

3. ADVENTURELAND.   É a terra da aventura por excelência.

Imperdível:

– Indiana Jones e o Templo do Perigo (não penso que seja adequado para as crianças. Este passeio realiza uma volta de 360 ​​° e você pode ter dor no pescoço); N16

– La Cabane Des Robinson (uma esplêndida reconstrução da casa de Crusoé); N13

– Ilha de Aventura (um labirinto de lagoas, riachos, cavernas, pontes e lugares escondidos. Esta atração é dividida em três partes: a Rocha do crânio, o Ventre de la Terre e o Tresor Eau); N17

– Piratas do Caribe (onde você pode viver por um tempo a vida dos piratas); N18

4. FRONTIERLAND. É inspirado no oeste americano dos anos 1800. Existem casas coloniais que recordam o Far West.

Imperdível:

– a famosa Big Thunder Mountain (para uma visão melhor, tente se sentar no vagão n. 2 ou n.3 ). N9

– Mansão assombrada “Phantom Manor” (a história do fantasma de uma jovem garota presa para sempre no dia do casamento dela. Incrível! Adorei os efeitos especiais!); N6

5. DISCOVERYLAND. É a terra da ficção científica em estilo de moda antiga. Existem atrações “futuristas”.

Imperdível:

Buzz Lightyear Laser Blast –  inspirado na Toy Story 2, saltamos para naves espaciais para ajudar Buzz a derrotar os monstros do espaço N35

Star Wars Hyperspace Mountain Prepare-se para descolar na Space Mountain versão Star Wars, uma versão da clássica atração espacial. Aliste-se na Aliança Rebelde e abra caminho por entre um exército de TIE fighters e trave batalhas com o temível Star Destroyer. (tem FastPass, altura mínima 1.32m) N43

Star Tours – embarquem numa nave espacial para uma excursão intergalática até à galáxia de Star Wars! (tem FastPass, altura mínima 1.02m) N39

– Autopia (carros que vão nos trilhos sem a possibilidade de manipulá-lo. N44

Walt Disney Studios Park é dividido em:
– Front Lot (área funcional de um estúdio de cinema que leva a estrutura de estúdios de cinema clássicos de Hollywood nos anos 30);
– Toon Studio (parte do estúdio onde os personagens da Disney vão ao trabalho);
– Backlot (dedicado ao cinema que cria filme de ação de efeitos especiais);
– Pátio de Produção

Aqui você não pode perder:

– Rock ‘n’ Roller Coaster com Aeorosmith (na zona Backlot). É uma montanha-russa configurada para fazer turnos de força; Muito bom esse!! N9

– Crush’s Coaster no Toon Studio – Inspirada no filme da Disney Pixar Nemo, nesta atração podem mergulhar na corrente Este da Austrália, nas costas de uma tartaruga rodopiante (altura mínima 1.07m) N5
– The Twilight Zone Tower of TerrorTM no Production Courtyard –  Inspirado na série The Twilight Zone, atrevam-se a entrar neste hotel muito especial, e a viajar até à 4ª dimensão a bordo de um elevador que viaja mais rápido do que a velocidade da gravidade! N13

– Efeitos especiais Armageddon  (na zona Backlot). Não achei grande coisa; N7

– Moteurs … Ação! (na zona Backlot). Stunt men show. É fabuloso. Demora 35 minutos, mas recomendo que chegue pelo menos 15 minutos antes do início; N10

– Coaster de Crush inspirado por Nemo. É uma montanha-russa que gira 360 graus nos cantos; N5

– Produção CinéMagique court yard. É um show que é uma homenagem à história do cinema com incríveis efeitos especiais. Não há filas, o teatro possui 110 assentos. N2

 

  

A primeira atração que eu recomendo fazer quando chegar ao parque é o Big Thunder Mountain (Frontierland). É uma das atrações mais concorridas, juntamente com Indiana Jones (Adventureland) e Space Mountain Mission 2 (Discoveryland). Big Thunder Mountain é uma montanha russa através das montanhas do extremo oeste. É realmente impressionante. Use o FastPass para Big Thunder Mountain, depois escolha Indiana Jones e pegue o passe para Space Mountain Mission 2 . Use FastPass para economizar tempo e fazê-lo nas primeiras horas da manhã.

MELHORES ATRAÇÕES PARA MIM:

  • BIG THUNDER MOUNTAIN
  • SPACE MOUNTAIN
  • IT’S A SMALL WORLD
  • PIRATES OF THE CARIBBEAN
  • INDIANA JONES

         

Dicas e sugestões:

  • Há muitas filas na hora do almoço principalmente no Disneyland park, esperamos 40 minutos na fila, um lanche tipo do MCDonalds custa 15€ menu completo, achei muito caro! Já no Walt Disney Studios não pegamos filas e tinha opções mais baratas de 7-8€ .
  • Se seu tempo é curto e quer visitar os dois parques num só dia, recomendo fazer Walt Disney Studios primeiro, porque o parque é menor e almoçar lá pra economizar na grana e no tempo e depois terminar o dia no Disneyland park, porque a maioria dos shows são a tarde.

 

 

Explorando Bruxelas em 1 dia

By | Tópicos recentes | No Comments

Tenho que admitir que a capital belga superou nossas expectativas. Não sei por que tínhamos a ideia equivocada de que Bruxelas seria uma cidade sem graça, cheia de edifícios e mais nada, mas é totalmente o contrário. Encontramos uma cidade bonita e encantadora, na época natalina fica ainda mais interessante com uma atmosfera gostosa que vai te fazer apaixonar ainda mais pela cidade.

    

  • Grand Place

O ponto central de Bruxelas é a Grand-Place , uma praça majestosa  que contém a Câmara Municipal e Guild Halls (além de inúmeros restaurantes, pubs e lojas de chocolate) e também é Patrimônio Mundial da UNESCO. Ela data do século XV, mas na realidade durante a guerra de 1695 foi totalmente destruída e teve que ser refeita. Na Grand-Place podemos observar os estilos gótico, barroco, neoclássico e neogótico, contemplando os edifícios.

    

De dia ou à noite, os edifícios são absolutamente lindos, no entanto, quando a noite chega é que o lugar se transforma. Diversas vezes durante a noite (dependendo da época do ano), o lugar vira palco de um verdadeiro show de luzes dançantes e muita música. O show de luzes acontece todas as noites, de hora em hora durante a semana, e a cada meia hora no fim de semana.

 

Durante o Natal, o show da Grand Place costuma receber milhares de turistas e apresenta uma programação especial, com músicas natalinas e diferentes espetáculos, ha também uma árvore de Natal de 20 metros de altura no centro da praça.

      

Sugestão:  Como se não pudesse ficar mais bonita, a cada dois anos (em anos pares), durante 4 dias do mês de agosto, eles colocam um tapete de flores coloridas no centro da praça, parece INCRÍVEL. Definitivamente vale a pena cronometrar sua viagem de acordo para vê-lo!

Perto da Grand-Place estão as sofisticadas Galerias Saint-Hubert , cheias de lojas de chocolate.

Se você é apaixonado por desenhos de quadrinhos ou não, é interessante fazer a rota dos quadrinhos , que é composto por 50 murais distribuídos em toda a cidade, podemos encontrar Tintin, Smurfs, Lucky Luke ou Astérix.

  • Frites, Chocolates, Waffles e Beers

Atenção! Não tente ir para a Bélgica durante uma dieta. 😋

 cheiro  de batatas fritas e waffles está por todos os lados, impossível resistir a essa tentação!

Uma das comidas mais típicas da Bélgica é o chips (batata frita), o sabor das batatas fritas de lá é completamente diferente das que estamos acostumados. Qual é o segredo? A batata frita belga é fritada duas vezes em duas temperaturas diferentes, e geralmente é acompanhada por diferentes molhos.

Havia muitos lugares vendendo batatas fritas, mas caminhando em volta da Grand Place, avistei uma fila numa loja de comida pequena e corri pra lá. Agora eu tenho uma regra de ouro quando estou em um lugar que eu não conheço, “se houver uma fila de gente à espera de comida, é porque o lugar é bom mesmo”. O lugar era o Fritland. ( também comemos nele em Bruges).

Eu pedi batatas fritas simples com um molho especial da casa ao lado. E se você gosta de especiarias, eu recomendo o molho picante do Fritland, é muito bom mesmo!

Antes de ir para o hotel, passamos na cafeteria Mokafé para mais um waffle com molho de chocolate belga e creme. Uma dica que descobri lá: Os waffles tradicionais autênticos só têm açúcar de glicose. Hummm, deu água na boca só de lembrar!

Se você ama chocolate, a Bélgica é o paraíso na terra. Há lojas de chocolate em todos os cantos e a melhor coisa é que eles os vendem por peso (100 gramas), o que geralmente é de cerca de 7-8 chocolates, custa 5-6 euros.

 

Para os fãs de cerveja , a Flandres é um lugar de peregrinação. Existem inúmeros tipos de cerveja, e cada cidade tem a sua própria cerveja. Por exemplo, em Ghent você tem as cervejas Kwak e Max, em Bruges a cerveja Brugse Zot e, além disso, você pode visitar a cervejaria De Halve Maan, que é a última fábrica de artesanato da cidade. Em Antuérpia, a cerveja é a Palma, e em Bruxelas, as cervejas típicas são o Gueuze, o Kriek e o Lambic, e você também pode visitar a fábrica de Cantillon.

 

  • Manneken Pis  – Este pequeno menino fazendo xixi é a estátua mais famosa de Bruxelas. Não uma estatua grande, mas realmente é imperdível!

  • Atomium – É um dos monumentos mais conhecidos de Bruxelas. Embora não acho que vale a pena pagar para entrar (porque a fila é gigantesca e caro), por fora já da pra ter uma uma ideia do quanto a arquitetura é impressionante! É tipo um átomo gigante construído em aço, ele fica um pouco fora de Bruxelas! No dia que visitamos o Atomium aconteceu uma coisa muito chata, chegamos lá de manhã e tinha poucos turistas, mas infelizmente por uma distração nossa tive minha bolsa roubada com nossos passaportes, carteira com dinheiro e cartões, bateria extra da camera, cartão de memoria cheio de fotos , um carregador portátil de telefone e algumas coisas mais. Não sei dizer como aconteceu, porque so fui dar falta da bolsa 1 hora mais tarde quando estávamos a caminho para Dinant, assim que percebi voltamos pra trás pra fazer queixa na polícia. A polícia nos deu um documento comprovando o roubo para apresentarmos na imigração de volta pra casa ( é sempre importante ter uma foto do passaporte guardada de preferencia no seu e-mail) Na volta pra casa quando passamos pela imigração, apresentamos o documento e o policial pediu outro documento com foto, como não tínhamos nada com a gente, a foto que tínhamos guardada ajudou. Espero que nunca aconteça com vocês, mas se acontecer é bom ter!

Leia também sobre:

Outros pontos turísticos para visitar na Bélgica são:

Assista o video completo da viagem pela Bélgica!

Ghent – Bélgica! Um bate e volta imperdível a partir de Bruges ou Bruxelas!

By | Tópicos recentes | No Comments

As cidades belgas mais famosas são Bruges, Antwerp e Bruxelas, e muitas vezes as pessoas esquecem de Ghent  e não a colocam no roteiro, mas ignorar esta bela cidade seria um erro! Eu mesma quando estava pesquisando sobre quais cidades visitar na Bélgica, vi muito pouco sobre Ghent, na verdade não entendi muito, a cidade é linda tanto quanto as outras principais e ainda está situada num lugar estratégico entre Bruges e Bruxelas, 45 minutos de distancia de qualquer uma delas. É claro que eu não iria perder a chance de visita-la, e realmente ficamos impressionados,  achamos a cidade ainda mais animada que Bruges!

  

Ghent é uma cidade universitária (os alunos representam 25% da população!) Talvez por isso que achamos a cidade mais badalada que Bruges.

Gante (ou Ghent, como preferem os locais) é considerada “a pérola de Flandres”, título atribuído por sua arquitetura medieval, herança dos tempos de riqueza, quando a cidade era a mais próspera do norte da Europa. Hoje, é a capital da província de Flandres Oriental e a terceira maior cidade da Bélgica.

Continuando nossa viagem de Natal pela Bélgica, depois de ter visitado Bruges, passamos por Ghent antes de seguir viagem para Bruxelas. Foram poucas horas por la, mas foi o suficiente para sentir a atmosfera vibrante da cidade.

Os mercados de Natal aqui foram o melhor da viagem, com a praça principal cheia de barracas que servem vários tipos de comidas locais, chocolate, queijo e, claro, muita cerveja. O espírito festivo permeou toda a cidade; quase todas as ruas estavam iluminadas com luzes de Natal e decoradas de alguma forma.

 

As bancas de Natal eram extensas, estendendo todo o caminho através da praça principal até o final do Korenmarkt . Você pode imaginar-se caminhando por uma vila escandinava Natalina, com uma grande pista de patinação no gelo e até uma roda gigante no final da área de mercado!

 

A arquitetura medieval é surpreendente – A cidade de Ghent é uma festa arquitetônica para os olhos em geral. Muitos dos edifícios datam do século 12, ou mais cedo, e foram preservados incrivelmente bem, praticamente intocados pelas Guerras Mundiais. O castelo de Gravensteen (Castelo dos Condes) está localizado bem no centro da cidade no bairro de Patershol. Esta enorme fortaleza é surpreendente porque está no meio do centro histórico da cidade. Foi construído em 1180 e é uma das visitas mais destacadas. No entanto, decidimos não visitar o seu interior por falta de tempo e continuamos a visitar a parte antiga da cidade. Mas acredito que vale super a pena, não é sempre que você  encontra um castelo tão bem restaurado do século 10 no meio de uma cidade modernizada.

 

A torre Belfry é outro destaque que retrata a rica história desta cidade, referindo-se a uma época em que Ghent era a segunda maior cidade da Europa e uma das cidades mais ricas e poderosas. Esta torre faz parte das “Três torres de Ghent”, juntando-se à Catedral de São Bavão e à Igreja de São Nicolau. Se você quer uma vista icônica desses três gigantes, a ponte de São Miguel é o seu melhor ponto para fotografa-las.

O centro da cidade é  especialmente bela pela sua arquitetura, que também é uma área pedestre, o que é uma ótima característica para quem tem pouco tempo na cidade, ótimo para fazer uma caminhada tranquila pelos canais que se cruzam. O rio Leie atravessa vários canais bonitos, os Ajuinlei, os famosos Graslei , Korenlei e Kraanlei. Todos são fáceis de caminhar, mas se você preferir, também da pra fazer um passeio barco pelos canais.

Nós caminhamos pela rua J.Breydelstr para aproveitar o Korenlei e o Graslei . Aqui ficam os portos comerciais da cidade, que começaram a operar no século XI. A arquitetura dos edifícios é tão bonita que da vontade de ficar sentada por horas às margens do rio Lys para contemplar a vida passando, é também um dos pontos de encontro preferidos dos habitantes de Ghent.

Werregarenstraat – É uma rua ( ou beco) de graffiti muito estreita entre Hoogpoort e Onderstraat. Sua aparência muda constantemente à medida que os artistas adicionam e mudam decorações de graffiti constantemente . Além disso, confira o Grindbakken , que é outro dos pontos legal da cidade, onde os artistas podem ser criativos com a pintura. Achei um site bastante útil, ele possui um mapa de arte de rua que aponta os locais das paredes coloridas em Ghent, Ghentizm.

 

Para quem curte museus: os melhores museus da cidade são o STAM , o MSK (Museu das Belas Artes), Het Huis van Alijn e o SMAK .

O STAM é um antigo hospital da cidade, mas é um museu relativamente novo. Isso leva você a um passeio de descoberta das muitas camadas de Ghent, uma cidade contemporânea com uma vasta e rica história. As exposições retrata tudo o que faz Ghent a cidade hoje.

MSK sempre tem ótimas exposições, mas é especialmente popular agora porque estão restaurando alguns dos famosos painéis Altarpiece de Ghent e você pode ver os restauradores em ação aqui!

Finalmente, SMAK, esta é a arte contemporânea em seu melhor em Ghent. Este museu tem a capacidade excepcional de combinar algumas das mais importantes obras nacionais e internacionais, apresentadas em interação contínua com exposições originais e muitas vezes ousadas. Vale a pena o seu tempo!

As informações sobre os museus foram retiradas do site Visitghent.be

Leia também:

Natal mágico em Bruges – Bélgica

Assista o video completo da nossa viagem pela Bélgica!

 

Natal mágico em Bruges – Bélgica

By | Tópicos recentes | One Comment

Conhecida como a “Veneza do Norte” com seus canais pitorescos, Bruges é uma pequena cidade encantadora que serve de refúgio de um fim de semana perfeito em qualquer época do ano. Mas de novembro à janeiro, a cidade se transforma em um país das maravilhas, tornando ainda mais adorável com suas decorações coloridas e luzes cintilantes de Natal. É uma delicia andar pelas ruas antigas de paralelepípedos enquanto as tradicionais carruagens puxadas por cavalos passam, me senti como se tivesse dado um passo atrás no tempo. Bruges é uma cidade mágica que sabe captar a verdadeira essência do Natal.

Apesar de morar em Londres, uma cidade que tem um clima natalino super agitado, cheio de feirinhas, decorações Natalinas, queria experimentar a essência do Natal num lugar diferente para esse ano. Pensei em vários lugares e Bruges me veio logo em mente e depois de algumas pesquisas sobre o Natal nessa linda cidade medieval e dona de um dos melhores chocolates quentes do mundo, não tivemos duvidas que esse seria o lugar perfeito para sentir essa atmosfera gostosa do Natal Europeu. Só não teve neve, mas tivemos a sensação gostosa de estar dentro de um filme de Natal, e foi simplesmente maravilhoso!!

 

Rozenhoedkaai, Bruges

Bruges é uma daquelas cidades clássicas europeias resumida em charme e beleza. É como se a própria Disney tivesse construído um cenário para algum de seus filmes de fantasias e romance! Agora imagine-a no natal? Os mercados de natal, as carruagens puxadas por cavalos nas ruas e  o cheirinho de chocolate por todos os lugares é digna de um verdadeiro conto de fadas!

O que visitar em Bruges:

  • Grote Markt
  • Basílica do Sangue Sagrado
  • Stadhuis
  • Francônia de Bruges
  • Igreja de Nossa Senhora
  • Belfort
  • Beguinage
  • Catedral de San Salvador
  • Hospital de San Juan
  • Minnewaterpark – Lake of Love Park

   

A primeira coisa que você notará ao entrar na parte central de Bruges, é que a cidade consiste em casas pequenas, ruas de paralelepípedos e muitos canais. Durante o período do Natal, muitas dessas pequenas casas estão super enfeitadas com decorações e luzes de Natal.

Ficamos 2 dias por lá, mas independente do seu tempo, os lugares principais que você deve ver / visitar são provavelmente a Basílica do Sangue Sagrado, a área em torno da Igreja de Nossa Senhora, a praça do mercado, a Torre do Campanário (Belfort) e o Lago do Amor (Minnewaterpark).

Mercados de Natal

Os Mercados de Natal são pequenos chalés de madeira tradicionais, todos enfeitados e iluminados, neles você encontrará roupas e acessórios de frio, utensílios para casa , artesanatos e comidas, muitas variedades de comidas tipicas, os mercados estão situados na Praça Markt e na Simon Stevinplein. É maravilhoso caminhar entre as barraquinhas enquanto ouve uma linda canção de natal, sentindo o cheiro de chocolate pairando no ar, uma atmosfera festiva deliciosa.

  

No centro da Praça Markt, ha também uma pista de gelo ao ar livre com a torre de Belfry de 83 metros de altura ao fundo!

Suba a torre do campanário

Uma torre de relógio neogótica se destaca magnificamente sobre o Markt Square, o Belfry é um dos lugares mais emblemáticos de Bruges. Você terá que enfrentar  366 degraus até o topo, mas não desanime não, você será recompensado com uma vista panorâmica deslumbrante da cidade abaixo.

Caminhe pelas ruas de paralelepípedos e explore os locais históricos

Uma das minhas coisas favoritas em Bruges foi caminhar pelas suas ruelas e em volta dos canais absorvendo a atmosfera da arquitetura gótica e medieval.

É impossível lembrar da dieta estando em Bruges, além das centenas de variedades de chocolates, tem waffles, crepes, batatas fritas, a cerveja belga e o chocolate quente tradicional, esqueça a dieta e adicione no seu cardápio enquanto tiver na Bélgica, não tem igual em nenhum outro lugar! As batatas da Fritland são deliciosas, fica na praça central, o lugar é bem concorrido, mas vale a pena esperar uns minutinhos na fila.

Faça um passeio de barco ou charrete

O passeio de barco pelo canal (ou de charrete se você quiser gastar mais) é a melhor maneira de se aproximar de Bruges, é uma experiência muito especial. Você pode desfrutar de um passeio super divertido de charrete descobrindo um pouco mais da historia da cidade ou de barco pelos canais, onde você terá uma visão dos edifícios históricos mais importantes de um ângulo diferente, algumas areas dos canais serpenteiam por lugares que você não pode chegar a pé.

Minnewater Park /Lake (The Lake Of Love)

Depois de conhecer o centro histórico, seguimos para o Minnewater park, um parque público que possui uma linda área verde, ideal pra sentar na grama, fazer piquenique, passear de charretes ou apenas apreciar as paisagens. Ali também se encontra o famoso Minnewater Lake, lago conhecido por Lago do amor, que realmente tem uma aura bem romântica, com vários cisnes no lago. Um verdadeiro cenário de contos de fadas.

     

Como já mencionei aqui, a melhor maneira de ver Bruges é definitivamente a pé (mas lembre-se de levar alguns sapatos confortáveis ​​para explorar as ruas de paralelepípedos!).

Vale a pela caminhar pela cidade tanto na luz do dia quanto a noite!

Passear durante o dia é ótimo, mas é depois do anoitecer com o brilho das luzes refletindo sob os edifícios e os monumentos históricos que vai te fazer sentir dentro de um filme de romance! Eu praticamente passei pelos memos lugares durante o dia e depois a noite, são dois cenários diferentes e adivinha qual eu gostei mais? O da noite é claro!

   

Nós visitamos Bruges no Natal, mas Bruges é uma cidade alegre que pode ser visitada em qualquer época do ano, além de suas atrações históricas e museus, é realmente um centro turístico dinâmico com uma atmosfera jovem e vibrante, lojas maravilhosas, muitos terraços “com vista” e uma das maiores concentrações de bons restaurantes na Bélgica, tudo a uma curta distância a pé.

 

Antes de ir à Bruges, recomendo que você leia algo sobre sua história e por que foi considerada uma das cidades mais importantes da Europa Ocidental durante a Idade Média. Assista ao filme Em Bruges com Colin Farrell – você terá uma ideia da atmosfera do centro da cidade medieval.

 

Como chegar em Bruges

Nos fomos de carro de Londres- Bruges, cerca de 5 horas de viagem ( De Londres até Dover 2h + 2h no Ferry até Calais ou Dunkirk e mais 1h até Bruges). Mas da pra ir de trem, ônibus e avião.

A Bélgica possui uma excelente rede ferroviária. Os trens entre Bruges e  Bruxelas são frequentes e partem a cada meia hora. O tempo de viagem de Bruxelas para Bruges demora cerca de 50 minutos.

 

Onde ficar /hospedar

Ficamos no Snuffel Hostel , o hostel está situado na Cidade Velha de Bruges, a cerca de 10 minutos a pé da praça central do mercado.

A localização não poderia ser melhor, depois de uma breve caminhada você está na praça do mercado, para mim localização é essencial e para nos foi muito bom já que a melhor maneira de conhecer a cidade é a pé.

 

 

Quartos e banheiros

Os quartos são limpos e super espaçosos, nosso quarto era um duplo privado. Em relação à segurança no prédio, abrimos a porta do nosso quarto e a porta do albergue com um cartão magnético. O banheiro compartilhado é novo e bastante limpo, tudo funciona bem. Ha também um bar onde você pode jogar jogos de tabuleiro, uma cozinha bem equipada, uma sala comum, algum tipo de pátio para fumantes e uma lavanderia.

 

A recepção fica do lado bar e tem uma área grande com mesas onde é servido o café da manhã e alguns sofas, além de um bar onde você pode tomar uns drinks ou fazer um lanche rápido. Parece um bar de mochileiros clássico, achei bem bacana para interagir com os outros hospedes e com os locais que frequentam o lugar. Achei a area bem agradável e amigável. O Wi-Fi é gratuito, rápido e funciona bem em todos os lugares do prédio e dentro dos quartos. Os funcionários são super amigáveis e ainda nos ajudaram com informações sobre pontos turísticos na cidade. Há uma sala de bagagem adicional no porão, onde sua bagagem pode ser armazenada após o check-out, caso você ainda queira dar outro rolé pela cidade. No café da manhã é servido um buffet com chá, café, suco, ovos, cereais, leite, torradas, geleia, iogurtes, mel, frutas e algumas variedades de pães.

    

As instalações são muito boas, novas, limpas e modernas. A localização é central, tudo a uma curta distância; e o café da manhã está incluído no preço da hospedagem. O bar no albergue é vibrante com preços bons para bebidas e comidas rápidas. O único ponto negativo foi as duchas que precisa ficar apertando para manter a água ligada e pra quem vai lavar o cabelo longo, da um trabalhão ficar apertando toda hora, mas foi só isso, o restante estava tudo perfeito.

O Snuffel Hostel é altamente recomendável.

Hostel SnuffelEzelstraat 42
8000 Brugge (Belgium)

 +32 50 33 31 33

 Contate o hostel aqui para reservas

www.snuffel.one

       

 

Assista aqui o nosso video da nossa viagem pela Bélgica

 

Blue Lagoon e outras fontes termais na Islândia!

By | Tópicos recentes | No Comments

A Islândia tornou-se mundialmente famosa por sua bela natureza única, atividades geotérmica e, sobretudo, a combinação maravilhosa das fontes termais naturais, geleiras e paisagens cênicas! E quando pensamos na Islândia, vem logo o Blue Lagoon (lagoa azul) em nossa mente, não é mesmo? É só digitar Islândia no Google que dezenas de fotos de tons azuis já aparecem!

Mas a Islândia tem muitos outros lagos, piscinas e fontes termais espalhados pelo país, você pode ver todos através desse site que usamos durante nossa viagem de 11 dias por lá!

Confira também outros posts sobre nossa experiência por lá:

Dicas e curiosidades sobre a Islândia

Reykjavik Islândia – lugares para visitar, o que fazer e onde ficar!

Como é fazer uma Road Trip pela Islândia numa Campervan?

Husavik – O melhor lugar para observação de baleias na Islândia

Hotel Rangá: Conforto e gastronomia no Sul da Islândia

O país está situado em um “ponto quente” na terra, resultando em muita atividade geotérmica e esta mistura de atividade geotérmica, gelo e fogo, da a sensação de estar em outro planeta!

São inúmeras fontes termais e geysers em todo o país.

Algumas das fontes termais passam dos 300 graus, mas outras tem a temperatura perfeita para se banhar e relaxar. Essas fontes termais são igualmente populares entre viajantes e habitantes locais.

Muitas dessas fontes termais são livres para entrar (de graça), mas também há uma série delas que cobram entrada, que oferecem banheiro e chuveiro, algo que as fontes de água quente gratuitas não fazem. Ha também pequenas banheiras de hidromassagem disponíveis ao ar livre, chamados de Hot pots. Eles exigem um pouco de esforço para encontrar, muitos estão propriedades privadas ou lugares distantes e escondidos, e são frequentados com mais freqüência pelos moradores locais do que pelos turistas. Alguns pedem uma pequena doação em dinheiro para sua própria manunteçao.

Entre os que são cobrados está o mais famoso do país – Blue Lagoon ou Lagoa Azul que está na península de Reykjanes, perto de Reykjavík.

Blue Lagoon

Lagoa Azul ou Blue Lagoon está localizado no sudoeste da Islândia, 39 km de Reykjavik e 13 km do Aeroporto Internacional de Keflavík e é um dos lugares mais visitados da Islândia, pela sua sua boa localização e pela cor azul turquesa água. Esse enorme spa geotérmico com águas azul turquesa está localizado em um campo de lava em Grindavík (península de Reykjanes). A área de natação é imensa (350 m²) para que os visitantes possam nadar livremente e relaxar em qualquer canto do complexo sem ficar trombando um no outro. A temperatura da água varia de 37-40 graus! É uma experiência única que eu recomendo, apenas não molhe o cabelo, essa água deixa o cabelo bem duro e ressecado, devido a grande quantidade de Silica e minerais na água. Também não convém entrar na água com relógios ou jóias, para os metais não ficarem corroídos.

 Preços a partir de €50

Mývatn Nature Baths

Outra lagoa de textura semelhante e com a mesma cor azul do blue lagoon é o Mývatn Nature Baths, no norte da Islândia. Esta piscina quente foi transformada em uma área de spa com instalações fantásticas, café e até mesmo um pátio.  A água tem uma temperatura perfeita de cerca de 36 a 40 °C e contém muitos minerais!

O Myvatn Nature Bath está localizado no norte da Islândia, tornando-se uma fonte termal perfeita para aqueles que estão visitando a capital do norte, a cidade de Akureyri. Ou para aqueles que pretendem fazer o círculo completo pela estrada de circunvalação da Islândia.

Localização:

  •  105 km a leste de Akureyri
  • 184 km a oeste de Egilsstadir
  • 489 km da capital Reykjavik.

Preços a partir de €30

Secret Lagoon

 

Lagoa Secreta está localizada a 1h15 min de Reykjavik e 0,5 km da vila de Flú∂ir e tem uma temperatura perfeita de 38-40 °C.

A piscina é uma das mais antigas da Islândia e foi recentemente renovada e reaberta, foram adicionados vestiários modernos com chuveiros e uma área de refeições. Além disso, há um geyser poucos metros dali! Não cheguei a vê-lo, mas dizem que ele entra em erupção a cada 10 minutos!

Chegando de Reykjavík : Pegue a rota 1 direção ao sul e vire à esquerda na rota 30 até chegar à aldeia de Flúðir ou coloque o nome do lugar no GPS.

Preços a partir de €20

Hoffell Hot Tubs

 

Este conjunto de potes geotérmicos está localizado fora da rota 984 em uma propriedade privada (é só seguir as indicações). As banheiras estão abertas ao público e há uma doação sugerida de 500ISK, €4 . São seis banheiras, cara uma com temperaturas diferentes.

Existem algumas regras a ser respeitas antes de entrar nas piscinas da Islândia:

  • Ha sapateiras para as pessoas deixarem seus sapatos antes de entrar nos vestuários.
  • Você vai ver sempre  um sinal pra te avisar que você deve se lavar bem antes de usar as piscinas indicando as áreas prioritárias do corpo que precisa ser bem lavado.
  •  Existe até um guarda em cada vestiário (masculino e feminino) para “assistir” se as pessoas estão se lavando bem, embora geralmente não lhe digam nada.
  • A maioria dos chuveiro são comunitários (sem portas ou cortinas) então você vai ver um monte de peladões (no banheiro masculino) ou peladonas ( no banheiro feminino) tomando banho.

 

Quais são as fontes termais de entrada gratuita da Islândia? 

Seljavallalaug 

 

Seljavallalaug está localizado no sul da Islândia. Na verdade, não é uma piscina natural, mas uma construção artificial de 25 metros de comprimento e 10 metros de largura construída em 1923.

A piscina é aquecida água quente que escorre da montanhae cai dentro da piscina, em alguns lugares a água é morna em outros fria, mas o que vale é admirar as paisagens maravilhosas enquanto toma seu banho. O lugar é conhecido por sua beleza e tranquilidade.

De Reykjavik para Seljavallalaug leva cerca de 2-3 horas, passando por algumas das mais belas paisagens da Islândia, como a cachoeira Eyjafjallajökull e Seljalandsfoss . Você gira para a esquerda na estrada principal na rota 242 até chegar a um estacionamento, depois leva cerca de 15 a 20 minutos para caminhar até a piscina, mas não se preocupa – a caminhada é tão impressionante como a própria piscina.

Cuidado que a piscina é escorregadia, já estou avisando pra depois não dizer que não te avisei tá!

Grjotagja – uma caverna de águas termais no norte da Islândia

 

Sua beleza  chamou a atenção até dos produtores de filmes do programa de TV Game of Thrones, algumas cenas foram filmadas lá e com isso a popularidade da piscina vem aumentando. A piscina nem sempre foi um bom local para se banhar, pois fica no topo das placas tectônicas da Eurásia e da América e por causa do calor variável da água, rochas soltas na caverna e fluxo de água extremamente lento, agora está proibido de se banhar na água.

Além desses que mostramos aqui à vários outros que não visitamos, mas que parece ser bem interessantes:

HRUNALAUG – Fica perto do Secret Lagoon! Pergunte por Hrunalaug, que fica bem nos arredores de Flúðir. É bastante escondido, mas definitivamente vale a pena conferir! Gratuito!

REYKJADALUR STEAM VALLEY – Dirija até Hveragerði e siga as indicações para “Reykjadalur”. Você terá que dirigir da cidade até as colinas. Estacione seu carro e comece a caminhar por aproximadamente 30 minutos para chegar ao local do banho! Gratuito!

Distância de Reykjavik:  30 minutos de carro (+30 minutos de caminhada!)

Grótta – Esta é uma pequena banheira e está localizada na cidade de Reykjavik. É uma curta viagem de 5 a 7 minutos de carro ou 45 minutos a pé do centro da cidade. É pequeno, mas compensa pelas vistas deslumbrantes sobre o Monte Esja e às vezes você pode até ver o Snæfellsjökul de longe! Gratuito!

A praia termal de Nautholsvik, única no mundo – O outro centro térmico da Islândia é a praia termal de Nautholsvik. Graças às modernas instalações, foi criada uma praia termal com areia dourada onde a água permanece aquecida, em cerca de 20 º C. Uma pura contradição no Árctico islandês e um privilégio para os habitantes e visitantes da ilha.

 

 


Apoio:

Contatos:
 Karla Barbosa
Travel Consultant
Brazil Connection Uk
020 3440 7296

Dicas e curiosidades sobre a Islândia

By | Tópicos recentes | One Comment

A Islândia é um país de contrastes, conhecido por muitos como a terra do fogo e gelo, um país onde a natureza é a atração principal … Sem dúvidas uma das viagens mais incríveis que já fiz.

La você encontra fumarolas, geysers, vulcões, geleiras, lagoas glaciares, icebergs, campos de lava, lagos azul turquesa sulfurosos, cânions com colunas basálticas, cachoeiras, piscinas e lagos termais, puffins(papagaios do mar), fiordes, praias de areia negra, penhascos … são algumas das coisas que você encontrará na Islândia.

Você pode conferir outros artigos relacionados à nossa viagem nessa lista abaixo:

Reykjavik Islândia – lugares para visitar, o que fazer e onde ficar!

Blue Lagoon e outras fontes termais na Islândia!

Como é fazer uma Road Trip pela Islândia numa Campervan?

Husavik – O melhor lugar para observação de baleias na Islândia

Hotel Rangá: Conforto e gastronomia no Sul da Islândia

Aqui vão algumas  dicas e curiosidades do país!

Ring Road

Ring Road é a estrada principal e você deve levar em conta os limites de velocidade 90 km por hora. A estrada é praticamente toda asfaltada, embora alguns trechos ainda estejam em construção. Você deve prestar atenção na direção, pois você pode encontrar-se com um rebanho de cavalos, pessoas fazendo trekking, ovelhas ou turistas pousando para fotos no meio da estrada, como foi o meu caso na foto abaixo 😜.

 Viajar para a Islândia no verão significa que você pode ver o sol da meia-noite

O sol da meia-noite acontece devido à inclinação do eixo da terra. A área em torno do pólo norte fica exposta ao sol durante 24 h/ dia no Verão. Quando a meia-noite se aproxima, o sol em vez de se esconder volta a subir.
Assim, enquanto no pólo norte e zonas limítrofes é dia durante 24 horas, no Pólo sul e zonas limítrofes é noite 24 horas e vice-versa.

Este fenômeno ocorre nos países situados acima do Círculo Ártico, como a Noruega ou a Finlândia, ou abaixo do Círculo Antártico no Pólo Sul.

Se for durante o inverno você poderá ver a Aurora Bureal

Um dos fenômenos mais espetaculares da natureza, a aurora boreal é causada por uma explosão solar na qual bilhões de partículas energizadas são disparadas no espaço. Ao entrar em contato com o campo magnético da Terra, uma parte dessas partículas é canalizada em direção aos polos magnéticos, adentrando na atmosfera. Quando entram em contato com os gases, elas adquirem as cores verde (oxigênio), azul (hidrogênio) e vermelho (nitrogênio).

A Islândia é um dos principais destinos para apreciar este incrível fenômeno. Isso porque o país está situado no Círculo Polar Ártico. A melhor época para admirar a aurora boreal é entre o final de setembro e o início de março, que correspondem ao outono e inverno no hemisfério norte.

As noites ideais para acompanhar esse espetáculo celeste são aquelas nas quais o céu está limpo e sem nuvens. Caso o fenômeno seja intenso, é possível visualizá-lo até mesmo sob as luzes urbanas da capital Reykjavík. No entanto, muitos viajantes optam pelos tours que saem da cidade em direção a localidades mais afastadas.

 Você pode andar entre dois continentes

Graças às extraordinárias formações geológicas deste país, na Islândia é possível fazer coisas tão extraordinárias como caminhar entre dois continentes ao mesmo tempo. Especificamente, em Thingvellir, você pode fazer uma caminhada sobre a falha geológica que divide a Europa e a América do Norte atravessando a ponte que une os dois continentes. Você terá a incrível sensação de que o mundo se dividiu em dois! Também é possível fazer um mergulho entre as placas tectônicas e toca-las!

A palavra geyser vem do geysir islandês

Como não poderia ser de outra forma, os geysers do mundo inteiro devem seu nome a um gigante das profundidades terrestres chamado Geysir , localizado precisamente no vale islandês de Haukadalur. Foi o primeiro geyser conhecido e, infelizmente, hoje não pode ser visitado por motivos de segurança, mas é possível ver outros muito parecidos com o Strokkur, que continua a jorrar água a cada 8 minutos, as vezes até menos. A Islândia é considerada o maior campo de geysers e atividade geotérmica no planeta.

O cachorro-quente islandês é um dos melhores do mundo

Mesmo o próprio Bill Clinton provou o conhecido Pilsur (ou cachorro-quente islandês) e ficou impressionado com o seu sabor incrível, chegando a afirmar que era o melhor que ele já havia provado! Outras celebridades, como o vocalista da Metallica, James Hetfield, declararam-se fãs absolutos desses cachorros-quentes e solicitar salsichas diretamente de fornecedores islandeses. O melhor lugar para tentar essa iguaria é o Baejarins Beztu Pilsur em Reykjavík, que está  localizada perto do porto de pesca que, desde 1937, oferece esses cachorros feitos com carne de porco, vitela e cordeiro. Talvez por ser não ser tão apreciadora de hots dogs não achei isso tudo não! Pronto para viajar para a Islândia?

Eles têm um aplicativo móvel para evitar incesto

Por ser uma população pequena, pouco mais de 320 mil habitantes, os islandeses são quase todos parentes próximos, tanto que a alguns anos atrás a lista telefônica era elencada pelos primeiros nomes+ profissão. Assim ficaria fácil saber que o Thor com que se quer falar é mesmo o Thor peixeiro, não o Thor eletricista, algo somente possível em um país onde todos se conhecem ou conhecem alguém que conhece a terceira pessoa, entenderam? Vou tentar simplificar: Mesmo ao discar o número errado, a pessoa que atendeu normalmente conhece a tal pessoa que está sendo procurada. Ficou claro?!

Essa peculiar proximidade motivou um grupo de estudantes da Universidade da Islândia a fundar uma companhia de software “Sad Engineer Studios” e lançar seu primeiro aplicativo, o Íslendingabók (algo como um livro de registro dos islandeses). O intuito principal do aplicativo não é somente fornecer informações históricas, mas também evitar casos de incesto.

“Dormir com um parente acidentalmente é uma piada frequente na cultura islandesa”, disse Arnar Freyr Aðalsteinsson, um dos criadores do aplicativo. “Por isso uma das funções é o Bump, que permite que usuários saibam se duas pessoas têm alguma conexão familiar ao tocar seus telefones.”

Clima e temperatura

A Islândia está localizada logo ao sul do Círculo Polar Ártico, mas graças à Corrente do Golfo, as temperaturas são frescas no verão e não são tão frias quanto se pensa no inverno (por exemplo, as temperaturas em Londres são quase sempre mais baixas do que em Reykjavík). O tempo na Islândia é muito volátil, em compensação. A Corrente do Golfo trás um ar com temperaturas mais altas do Atlântico e, em contato com o ar Ártico frio, os céus ficam permanentemente encobertos, ocorrendo também neblina, ventos fortes e chuva, com o tempo virando rapidamente. É muito fácil sentir as quatro estações do ano em um só dia. Acreditem, eu vivi isso!

Em nossa imaginação reside a idéia de que o clima na Islândia é frio, com nevascas e paisagens geladas, devido à alta latitude do país. Mas esta visão está bastante longe da realidade, os verões são moderados e os invernos suaves , muito mais do que em alguns países da Europa continental. No verão, a temperatura média é de 12º a 14º, e geralmente não excede 20º- 25º; enquanto no inverno, as temperaturas são 0º nas partes inferiores e -10º nas terras altas. Está vendo que não é tão gelado assim, o mais complicado é o vento mesmo!

•Nas cidades, os semáforos têm rostos . Se é vermelho, o rosto está triste. Se ficar verde, o rosto está sorrindo 😁.

•Os supermercados mais baratos são os chamados de Bônus.

•Em todos os lugares , mesmo nos mais remotos, usamos o cartão de credito, principalmente nos postos de gasolina so aceitam cartão mesmo.

•Casas de turfa: São construções típicas cobertas com este material orgânico que serve de isolamento para o frio.

Essas são algumas curiosidades sobre a Islândia, se você conhece, já foi ou sabe de mais alguma deixe aqui nos comentários abaixo. Não deixe de seguir também no Instagram, Facebook e no Youtube! Beijos e até o próximo post!

 

 


Apoio:

 Contatos:
 Karla Barbosa
Travel Consultant
Brazil Connection Uk
020 3440 7296

Natal em Londres – O que se esperar dos dias 24,25 e 26 de dezembro!

By | Tópicos recentes | No Comments

 

Acredito que muitos de vocês que pretendem passar o Natal em Londres, não sabem o que acontece nesses dias, vou logo dizendo que muitos ficam surpresos quando chegam aqui. Pensando nisso, preparei esse guia detalhado do que acontece durante esse período. Alem de varias atrações natalinas,como vocês podem ver nesses posts abaixo, a cidade pode ficar ainda mais agitada nos dias 24 e 26 e completamente deserta no dia 25, vamos saber o porque isso acontece:

Mas antes confira algumas atrações de Natal imperdíveis em Londres:

Atrações natalinas de Londres

Mercados de Natal em Londres!

Winter Wonderland 

Pistas de gelo em Londres 

Ano novo em Londres

 

Oxford Street

 

natural history museum Ice Skating

 

 (24 de Dezembro) Véspera de Natal:

Como acontece no Brasil, muitos deixam as compras para a ultima hora, as lojas e supermercados estarão lotados, porém, as lojas fecharão mais cedo, e o serviço de transporte será reduzido gradativamente a partir do período da tarde, encerrando completamente por volta da meia-noite. Já que não haverá transporte publico no dia de Natal até na manhã seguinte, o melhor a fazer depois do trabalho é ir direto pra casa, ou pra casa dos amigos ou familiares com quem você irá celebrar o Natal. Não deixe suas compras para a última hora e certifique-se de ter tudo preparado para o dia 25. As lojas e supermercados também fecharão cedo e não reabrirá até o dia 26.

Somerset House Ice Skating

 

Winter Wonderland

 

(25 de Dezembro) Dia de Natal :

O dia 25 de dezembro é realmente um feriado na Inglaterra que nada funciona. Nada mesmo,  supermercados, lojas, restaurantes estará tudo fechado, nem os transportes públicos funcionam, o que pode afetar um turista despreparado, principalmente se você tiver voos nestas datas, reserve um táxi ou transfer com antecedência.

Haverá pouquíssimos táxis e ubers nas ruas (com tarifas maiores). Por outro lado se você é daqueles que não importa de andar e gosta de lugares turísticos vazios, esse é um bom dia para aproveitar cada cantinho da cidade sem tumulto! Olha que legal, sempre tem um lado bom! Outra opção é alugar bicicletas, tem vários pontos de alugueis espalhados pela cidade.

Regent Street

 

Bond Street

 

 (26 de Dezembro) Boxing Day:

Depois de um confinamento de mais de 24h, é hora de liberdade! Todas as lojas reabrem no Boxing Day com promoções incríveis. Dica: Chegue cedo para ter acesso às melhores ofertas porque pode ficar mais concorrido que Black Friday. Mas se você prefere fazer outras coisas e menos concorridas você pode optar pelas feirinhas de Natal.

Lembrando que a maioria dos museus, galerias e varias atrações turísticas estarão fechados entre os dias 24,25 e 26, se vierem nessa época do ano é sempre bom reservar mais dias para poder curtir todas essas atrações.

Covent Garden

Bond Street

Espero ter ajudado com essas informações!

Feliz Natal, pessoal!

 

Reykjavik Islândia – lugares para visitar, o que fazer e onde ficar!

By | Tópicos recentes | One Comment

 

Reykjavik é uma cidade super colorida e com uma atmosfera incrível. Nossa estadia por la foi rápida, mas deu pra sentir o quanto os Islandeses tem orgulho de sua capital, mesmo sendo uma das menores do mundo, com aproximadamente 130 mil habitantes.

Mesmo Reykjavík não tendo a mesma grandiosidade de outras capitais europeias, a cidade tem um charme todo especial. Museus, praças e monumentos históricos se misturam às casas super coloridas de arquitetura arrojada, nas ruas Laugavegur e Laekjargata você pode encontrar dezenas de restaurantes e lojas de roupas e souvenirs.

Você também pode acompanhar essa viagem pelos nossos vídeos no Youtube!

 

 

6 coisas essenciais para fazer em Reykjavík

Poucas cidades ao redor do mundo são tão próximas da natureza como Reykjavík, então  aqui estão algumas coisas que você simplesmente não pode perder na sua próxima visita à capital islandesa:

1. Conhecer Igreja Hallgrímskirkja
Igreja de Hallgrímur: o edifício que mais chama atenção na cidade é a imensa igreja de concreto de Hallgrímskirkja – estrela de cartões-postais e visível de até 20km de distância.

A visita da igreja é gratuita, mas não se esqueça de subir e ver a vista da torre da igreja de 360 ​​graus da cidade e as paisagens circundantes, que podem ser apreciadas por uma taxa de ISK 900 ( + ou – €10).

Caminhe também pela rua principal, é um pouco turístico. Mas lindo!

2.Praia Nautholsvik – Use a abundância de energia geotérmica do país! A admissão é gratuita (mas há uma pequena taxa para usar o armário). A piscina é preenchida com água geotérmica, a qual a temperatura geralmente é de cerca de 36-38 graus. Diversão garantida!

 

3. Harpa Music Hall – 

Um dos edifícios mais modernos de Reykjavík, a Harpa é uma sala de concertos e um centro de conferências situado na orla.

4. Sun Voyager ( Solfar) – O Sun voyager é um dos pontos mais fotografados da capital da Islândia é a escultura Solfar Sun Voyager, de Jon Gunnar Arnason. Instalada na costa da cidade, com vista para o Monte Esja, a obra lembra um navio viking, mas é na verdade um barco de sonho e uma ode ao sol.

5. Plataforma de observação de Perlan – Se você não importa com o orçamento, aqui é o lugar certo, um restaurante de jantar fino e elegante, no qual você pode caminhar gratuitamente na varanda ao ar livre do segundo andar e obter uma maravilhosa vista da capital.

6. Associação geotérmica

Outro dos segredos mais bem guardados da capital é uma maravilhosa piscina geotérmica junto a um farol com vista para o mar. Está localizado no extremo oeste da cidade, na área chamada Seltjarnarnes. Na parte norte da costa há uma grande rocha que é aproximadamente do tamanho de uma banheira de hidromassagem; A empresa de aquecimento local perfurou um buraco lá e bombeia água quente ao longo do ano. As belas vistas sobre o fiorde de Faxaflói, as montanhas e o farol fazem um panorama deslumbrante e um cenário romântico que pode ser apreciado enquanto desfruta de uma água morninha.

Quando ir para Reykjavík

Os meses de inverno em Reykjavík (novembro a março) são muito frios e escuros, mas as auroras boreais estão no seu ponto mais brilhante e mais frequente. O verão é a temporada alta, e você poderá aproveitar mais a luz do dia, já que são 20 horas de sol direto. Então, viajar no outono ou no inverno provavelmente será mais barato e menos lotado, embora possa ser muito frio e há grandes chances de tempestades de neve.

Como chegar lá

Reykjavík está centralmente localizado entre a América do Norte e a Europa, com vários vôos diários conectando os dois continentes. O principal aeroporto internacional, Keflavik International, é servido por cerca de 30 companhias aéreas, incluindo a empresa nacional Icelandair e a companhia aérea low-cost WOW Air, nós fomos pela empresa Easyjet saindo do aeroporto de Luton, 40 min de Londres e são 2h:40 min de voo. O aeroporto de Keflavik fica mais ou menos  meia hora do centro de Reykjavík, você pode chegar à cidade através de ônibus ou contratar alguma empresa que faça translado.

Outros lugares que você pode fazer um bate e volta enquanto estiver em Reykjavik

Se sua estadia no país for curta e você pretende fazer sua base em Reykjavik, recomendo fazer alguns bate e voltas da capital, você pode alugar um carro ou fazer tour guiados, mas vale avaliar qual seria a melhor opção em custo benefício. Eu recomendo alugar um carro como fizemos, pois as estradas são super conservadas e bem sinalizadas, sendo fácil dirigir por lá, com pouco tráfego nas estradas da Islândia. Alugamos o nosso carro pela Sadcars!

  • Visite o Golden Circle ou Circulo Dourado –

O circulo dourado é um circuito turístico com  300 km de extensão e possui uma série de atracões, entre as mais populares, estão os Geysires, onde você pode ver uma série de geysers ativos. O maior deles é o geyser de Strokkur, que dispara uma grande coluna de água até 30 metros no ar a cada 5 a 10 minutos, tem também a – cachoeira de Gullfoss (Golden Falls), – a cratera vulcânica Kerið (ou Kerid), a cratera tem 55m de profundidade e 6.500 anos de existência. A água é azul com pedras coloridas em volta e inacreditavelmente lindo. Cobra-se uma taxa de ISK 400 para ver a cratera, uma das poucas atrações turísticas cobradas na Islândia.

Gullfoss

geyser

cratera vulcânica Kerið

  • Thingvellir National Park – (Parque Nacional Thingvellir): o Parque Thingvellir também fica na rota do circulo dourado e é uma área conhecida por suas formações de lava, além de ser um dos únicos lugares do mundo onde é possível observar o distanciamento entre as entre as placas tectônicas.
  • Seljalandsfoss essa cachoeira é uma das mais belas e parece ter saído de contos de fadas, aqui você também pode experimentar a sensação de caminhar por detrás da queda d’água.

  • A deslumbrante cachoeira Skógafoss, com seus 60 metros de altura, a poucos minutos da estrada principal, nessa você pode subir até o topo dela e, além de ter uma vista panorâmica você pode caminhar por uma trilha e observar os belos cânions.

  • Não deixe de conhecer Vík, um pequeno vilarejo onde você poderá fazer uma parada na praia de areia vulcânica negra ao sul, de onde você poderá ver as formações rochosas de Dyrhólaey e Reynisdrangar.

  • Outra parada obrigatória  é o impressionante cânion Fjaðrárgljúfur. 

  •  Lagoa glacial Jökulsárlón, onde você poderá embarcar em um barco anfíbio em meio aos icebergs flutuantes ou simplesmente observar pela orla do lago e ainda visitar a praia de diamantes que fica do outro lado da ponte.

  • Blue Lagoon (Lagoa Azul) – Blue Lagoon, a lagoa azul, é um dos pontos mais conhecidos da Islândia, famoso por suas águas azuis termais, entre 37 e 39 graus e que têm propriedades medicinais pela presença de minerais como silício e enxofre, que teriam poderes curativos para doenças da pele. Fica à 24 quilômetros da capital Reykjavik, a lagoa tem suas águas renovadas de dois em dois dias.

  • Secret Lagoon ( Lagoa Secreta) – Mais pequeno e rústico, porém mais barato que o blue lagoon, essa fonte termal isolada está localizada em um cenário deslumbrante no meio de um campo no sul da Islândia. A piscina é revestida com rocha natural, com temperaturas de 36-40 graus.

  • Aurora Boreal – E claro que quem vai na Islândia não pode deixar de ver esse fenômeno maravilhoso, as auroras podem ser visto entre os meses de setembro a abril em noites escuras com o céu limpo.

Onde se hospedar em Reykjavik

A Islândia é um país caro, acho que até o momento foi um dos mais caros que visitamos, mas da para economizar em algumas coisas, por exemplo, hospedando em um hostel, além de ser mais em conta, você pode fazer compras em supermercados e fazer sua própria comida.

Nós nos hospedamos no Bushostel, achei um lugar super alto astral e bem localizado!

O  hostel fica ao lado do Museu Nacional da Islândia, Saga Museum, Laugavegur e apenas 10 min caminhando do centro, e a 37 km do Aeroporto Internacional de Keflavík.

 

 

O Bushostel tem todos os tipos de quartos para atender às suas necessidades. Os quartos privados oferecem acomodações de estilo hotel, mas com os mesmos preços baixos que você esperaria de um albergue. Para so hóspedes que querem economizar ainda mais, há dormitórios de 4, 6, 10, 16 e 24 camas. Nos dormitórios não estão incluídos edredon, nem toalha, mas você pode alugar durante sua estadia.

Ficamos num quarto duplo e a cama era a cama mais confortável de hostel em que eu já dormi, os quartos privados têm edredons e toalhas incluídas no preço. Cada andar do albergue oferece muitos banheiros e chuveiros privados, bem limpos e espaçosos. Eles tem 2 cozinhas grandes com geladeiras, fogão, microondas, torradeiras, todos os utensílios de cozinha e muitas prateleiras.

Outras vantagens de se hospedar no Bushostel

  • você pode realizar o booking de passeios direto com o hostel.
  • O Bushostel  oferece acesso Wi-Fi gratuito.
  • Outra vantagem é o pub que tem dentro do hostel, é uma ótima oportunidade para fazer novas amizades enquanto toma uma bebida.
  • O Bushostel possui um serviço de aluguel de carros e bicicletas. (Sadcars) alugamos nossa campervan com eles.
  • Estacionamento privado e gratuito disponível.

Para mais informações e reservas no site oficial

www.bushostelreykjavik.com

Skógarhlíð 10, 105 Reykjavik
+354 5 350 350
info@bushostelreykjavik.com

   

 

Como é fazer uma Road Trip pela Islândia numa Campervan?

By | Tópicos recentes | One Comment

A Islândia é um país maravilhoso de paisagens deslumbrantes e também muitas vezes referida como a Terra do Fogo e Gelo por causa de suas geleiras maciças e atividades vulcânicas. É difícil de descrever a sensação de estar diante de tanta beleza num só lugar.  Nós nos apaixonamos por cada cantinho do país, à medida que rodamos o país pela ring road foram surgindo paisagens incríveis e inesquecíveis! Posso afirmar que a natureza foi caprichosa com a Islândia, são inúmeras cachoeiras despencando das montanhas, campos de lava, campos geotérmicos de lama borbulhantes, que faz lembrar um solo lunar; glaciares, lagos de icebergs, praias de areia preta vulcânica e belas piscinas de águas termais.

 

Muitas pessoas quando vão à Islândia, acaba conhecendo somente a capital e as atrações próximas,  mas certamente será uma viagem incompleta, porque cada região da Islândia tem uma beleza diferenciada e uma das melhores maneiras poder aprecia-las é fazer uma Road trip pela ring road, (a estrada principal), e claro que para isso é necessário alugar um carro.

 

Para os nossos 11 dias de viagem pela Islândia alugamos uma campervan que nos deu total liberdade para explorar todo o país sem preocupações com horários!

 

“Escolhendo o carro e a empresa certa, pode te ajudar a economizar uma boa grana”!

A campervan nos permitiu aproveitar cada minutinho dos lugares que fomos parando, sem pressa, sem preocupações com horários de ter que fazer check in em hotéis. Tudo bem que a gente sentia falta do conforto de um quarto ou de uma cama fofinha, mas em compensação tínhamos as paisagens mais surreais a nossa volta, e poder dormir admirando as estrelas e a aurora boreal é incomparável com qualquer luxo de um hotel!

 

Olha nossa vista num dos acampamentos pela Islândia


A Islândia é conhecida por ser um país caro para viajar, assim, combinar alojamento e transporte ( tipo 2 em 1)  parecia ser a escolha certa para podermos aproveitar melhor da viagem economizando uma boa grana com hotéis e restaurantes.

Visitamos o país  em outubro, pegamos um bom tempo por lá ,  as temperaturas estavam entre 3-8 graus e tínhamos sol das 8:00 às 18:30.

 

“A campervan nos deu total liberdade de explorar este belo país do jeito que sempre sonhei”.

Para mim, viajar numa campervan realmente fez a minha viagem à Islândia inesquecível.

A melhor coisa foi poder parar em todos os locais bonitos da Ring Road sempre que quiséssemos “digamos que a cada 30 minutos” rsrs,  e também não precisávamos nos preocupar com o lugar que íamos comer ou dormir, sempre que a fome batia a gente parava e cozinhava a nossa comida.

A campervan é ideal para explorar  de tudo o que o país tem para oferecer sem a preocupação de reservas em hotéis. E em todos os lugares que você dirige, você encontrará paisagens deslumbrantes, além disso, à uma abundância de parques de campismo em todo o país, tornando a vida de quem deseja se aventurar numa campervan muito mais fácil , sem falar no contato com a natureza a todo momento, e isso a Islândia tem de sobra.

Muitos amigos ficaram surpresos quando eu disse que estaríamos viajando e dormindo numa campervan, porque esse não “era” o nosso estilo usual de viajar ( a partir dessa viagem as coisas podem mudar). Eu admito que levamos algum tempo para nos adaptar ao estilo da viagem, mas uma vez que pegamos o jeito, nos acostumamos e amamos a experiência! E é definitivamente uma experiência diferente e única!

Uma coisa que estava preocupada  antes de ir era com o frio, mas a Sadcars pensou em tudo para o conforto dos clientes , as campervans têm um sistema de aquecimento que nos manteve sempre aquecidos enquanto dormíamos ( esse aquecedor é ligado no combustível do carro, e funciona com o carro desligado) as campervans da Sadcars são muito bem adaptadas, podendo transformar seu mini quarto numa pequena sala de star. Tudo muito pratico com todas as instalações e equipamentos embutidos. Outra vantagem da Sadcars é a quilometragem ilimitada, mais um ponto positivo que nos permitiu explorar a Islândia ao máximo!

 

  

  • A nossa campervan da Sadcars veio com um fogão portátil, um conjunto completo de panelas e alguns utensílios de cozinha. Eu descreveria isso como uma mini casa portátil. Nós cozinhamos nossas próprias refeições na maioria dos dias, uma coisa que levamos e achei super pratico foi nossa cafeteira, sempre que batia aquele sono na estrada, parávamos para fazer o nosso cafezinho ali rapidinho .

 

 

  • Compramos os mantimentos em supermercados locais, o Bônus foi nosso preferido. Para terem uma noção do quanto comer em restaurantes é caro que, pedimos uma pizza pequena e pagamos 30£ ( em Londres do mesmo tamanho 15£) 2 hambúrgueres 45£ ( em Londres 25£)  na Islândia comer fora é caro, aliás, tudo é caro, pode ir com o bolso preparado! Uma dica, os cup noodles foi ótimo para as horas mais corridas.

 

  • Para os acessórios extras, recomendo levar o inversor de energia de carro para carregar o seus equipamentos: telefone, câmera, computador e etc. Se você tiver muitos dispositivos para carregar ao mesmo tempo, você pode considerar levar um adaptador multi-plug com você.

 

  • Usamos o Google maps do telefone para trafegar pela Islândia e não tivemos nenhum problema com isso.
  • Nós também adquirimos um seguro básico que cobria leves amassados e arranhões por causa cascalho. Há outras coisas extras que podem adquiridos na reserva da campervan, como Wifi, GPS, churrasqueira, mesa e cadeiras.

 

Para não ficar aquele monta e desmonta para dormir, deixamos a cama sempre feita, com as bagagens em cima da cama, e quando íamos dormir passava tudo para os bancos da frente, deixando  espaço suficiente para esticar nossas pernas. Eles também fornecem, Lençóis, almofadas e edredons, mas precisa ser adquiridos durante a reserva!

Uma pergunta muito frequente que recebi, foi: E o banho? Onde vocês tomavam banho? Porque nossa campervan  não tinha banheiro e nem chuveiro, mas nós não ficamos sem tomar banho não viu gente, nem um dia se quer. Não foi difícil encontrar lugares para tomar um banho quentinho, pois há muitos acampamentos em torno da Islândia, onde você pode usar suas instalações, como chuveiro, banheiro, cozinha e até  máquina de lavar. No entanto, para usá-los você precisa pagar entre 10-15€ por pessoa. Alguns lugares você pode pagar so pelo banho e acampar em algum outro lugar ( para usar so a ducha 5-8€), se preferirem podem procurar pelas Hot Springs ou piscinas aquecidas que tem um custo mais alto, mas, você além de poder relaxar numa água quentinha poderá desfrutar dos banheiros, todos bem equipados, disponibilizando até secador de cabelos.  Outra coisa a tomar nota é que existem mais acampamentos abertos durante o verão, em comparação com a temporada de inverno. Você pode verificar a localização, datas e disponibilidade nos sites visiticeland.com e campingiceland.is ou para encontrar piscinas aquecidas e hot springs por perto www.hotpoticeland.com.

Também à varias placas indicando que à acampamentos por perto.

Aqui estão algumas dicas que podem ser úteis para você.

  • Na Islândia se dirige na mão direta
  • O limite de velocidade da rodovia é de 90 km / h
  • O limite de velocidade das estradas de cascalho é de 80 km / h
  • As estradas com símbolo F só são acessíveis através de veículos 4×4
  • Em alguns trechos das estradas são mão únicas  (Não existe uma regra específica sobre o qual o carro deve passar primeiro. Apenas seja cortês!)
  • As luzes principais do carro devem estar acesas em todos os momentos, mesmo durante o dia, já que o tempo pode mudar a cada 5 minutos.
  • Esse sinal ⌘ significa que há um ponto interessante por perto.

  

Se você está indo para a Islândia e está pensando em alugar  uma campervan, a Sadcars é a escolha certa. Nós adoramos a experiência e definitivamente o faremos novamente quando retornarmos a Islândia, e espero que seja em breve . Se você preferir ficar em hotéis e quer alugar um outro tipo de carro mais simples ou até mesmo uma 4×4 para explorar as highlands, eles trabalham com todos os tipos de carros, é só marcar sua viagem e reservar o carro de sua preferência. Os carros da Sadcars estão em boas condições, e têm os melhores preços da Islândia.

Para mais informações e fazer a reserva da sua campervan ou de outros carros entre em contato.

Contatos:

 

          

 

Assista o video da Sadcars mostrando como funciona a campervan!

 

Recomendo reservar entre 9 e 12 dias para rodar a ilha com calma, em sentido horário. Começando pela charmosa capital, Reykjavík, circulo dourado, Blue Lagoon, seguir a oeste até Peninsula de Snaefellsnes , e seguir até Akureyri, depois o Lago Mývatn e as piscinas de Mývatn Nature Baths, na região norte ir até Husavik de onde partem os melhores passeios da Europa para observar baleias. Depois continuar até os fantásticos fiordes do leste e seguir para o cênico litoral sul, o glaciar de Jökulsárlón, a praia de areia preta de Reynisfjara, os abismos de Dyrhólaey e as cachoeiras de Skógafoss e Seljalandsfoss. Na região do “Círculo Dourado” pode-se inclusive mergulhar entre duas placas tectônicas.

 


E por ultimo te convido para assistir o video da nossa viagem na campervan alugada pela Sadcars

 

Husavik – O melhor lugar para observação de baleias na Islândia

By | Tópicos recentes | One Comment

A Islândia oferece cenários incríveis, por onde quer que você olhar, você vai ficar encantado com suas paisagens! Fizemos uma road trip de 11 dias numa campervan pelo país e quando estávamos no nosso 5 dia de viagem, chegamos à cidade de Húsavík. Nosso principal motivo de passar em Husavik foi para um passeio de observação de baleias. Você sabia que a Islândia é um dos 10 melhores lugares do mundo para ver as baleias? Na verdade, você tem a melhor chance de ver baleias em Husavik mais do que qualquer outro lugar no país. Husavik é considerada como a “Capital das Baleias da Islândia”. Para o nosso passeio de observação de baleias na Islândia, nós escolhemos a Gentle Giants Whale Watching  para ter essa experiência maravilhosa.

Onde fica Husavik?

Husavík é uma pequena cidade situada no norte da Islândia, na baía de Skjálfandi e com uma população de mais ou menos 2800 habitantes.
A cidade é bem pequena, com uma igreja linda rodeada por casas de telhados coloridos em frente ao porto.
Husavík vivia exclusivamente da indústria pesqueira.  Durante muito tempo, as baleias na Islândia tradicionalmente acabavam nos pratos em forma de filés. Mas os tempos mudaram, e com o crescimento do turismo nos últimos anos, esses animais se tornaram estrelas do eco turismo.
Os islandeses eram na sua maioria, contra a lei internacional que proíbe a captura e matança destes mamíferos. Mas neste caso, o apurado faro para o negócio de uma família, descobriu que afinal as baleias poderiam, através do turismo, impulsionar mais a economia local do que da matança das mesmas. A empresa Gentle Giants Whale Whatching, foi fundada em 2001, quando onze pessoas experientes e diversas outras em Húsavík decidiram combinar seus anos de experiência em vários campos para estabelecer uma nova empresa de viagens e turismo em Húsavík. Eles restauraram um antigo barco de carvalho, originalmente usado para pescar e caçar baleias, e colocá-lo novamente em uso, navegando com os visitantes em torno de Skjálfandi Bay à procura de baleias – Mas, não para caça, mas para assisti-las. Desde então, Húsavík transformou-se na capital europeia da observação das baleias (whale watching).

A costa de Husavík recebe durante o período de junho a outubro mais de vinte espécies de baleias diferentes em suas águas, além de algumas espécies de golfinhos.  Se você tem curiosidade de observar estes gentis gigantes do mar, não deixe de fazer este maravilhoso passeio com a Gentle Giants Whale Watching.

Porque escolhemos a Gentle Giants?
Embora, existem várias empresas de observação de baleias em Husavik, reservamos o nosso passeio com  a Gentle Giants por serem ”Respeitosos e responsáveis com vida selvagem”,
enfatizando uma experiência positiva com todos os aspectos da conservação, proteção do meio ambiente e tratamento da natureza com respeito, apoiando e contribuindo para o ecossistema e o turismo sustentável em todo o mundo.

    

Indo ao encontros das Baleias

“A Gentle Giants não vai a caça das baleias, vai ao encontro delas no seu habitat natural”.

Há uma excelente chance de ver muitas baleias durante o passeio, ou talvez não.  No verão, são 96% de chance de ver as baleias, já no inverno, há 92% de chance, e você também tem grande chance de não vê-las, isso porque é tudo natural.

 

 

Algumas das espécies de baleias que podem ser vistas por lá

Na Baía de Skjalfandi, você tem a chance de ver as seguintes espécies: Baleia Minke, Baleia Humpback, Golfinho Branco, Marmota, Baleia-azul, Baleia de barbatana, baleia-craveira do Norte, Baleia-assassina (Orca), Baleia Sei, Baleia-piloto e Cachalote. Você pode aprender mais sobre as baleias da Baía de Skjalfandi, incluindo seus sons, no site da Gentle Giants Whale Watching.

Há também outros tipos de passeios disponíveis no site, entre eles, a observação de aves, o principal e mais procurado é o papagaio-do-mar (Punffin). A temporada vai de 15 de abril a 20 de agosto.

A Gentle Giants oferece a todos os passageiros a bordo, uma roupa (estilo macacão térmico)  bem quente e confortável.  Mesmo assim recomendo que leve touca, luvas e cachecol por causa do vento.

  

Em busca das baleias

Depois de 30 minutos de viagem em auto mar,  o capitão parou o barco e ficamos a espera delas aparecerem, depois de uns 8-10 minutos olhando por todos os lados na esperança de vê-las….tchan tchan tchan

 

    

Eis, que de repente, eu vi minha primeira baleia ao vivo, bem de pertinho. Meus olhos não acreditavam no que estava vendo! Uma massa negra subiu logo acima da superfície da água e vimos aquele jato d’água vaporizando no ar. Esta gentil criatura vagava com suas costas destacada sobre a superfície do mar e num instante, ela se foi. Nem um minuto depois, um anúncio da equipe nos informou:

“Uma baleia no fundo à direita, a cerca de 200 metros!”

A partir desse momento, mal consegui conter minha excitação. As baleias estavam aparecendo e desaparecendo por todos os lugares.

 

Duas baleias jubarte apareceram, não deram saltos, mas mostraram o dorso, exibindo a barbatana dorsal, e quando queriam submergir mais tempo, mergulhavam profundamente mostrando a cauda. Os capitães dos barcos tentavam adivinhar onde elas emergiriam novamente e assim que elas eram vistas, rapidamente eles se aproximavam com barco.

Foram três horas cheias de emoções e expectativas de poder vê-las fazendo acrobacias, mas elas estavam tímidas, apareceram várias vezes, até que a última mergulhou nas profundezas,  despedindo com sua barbatana e cauda submergindo no mar. Terminamos o passeio com um delicioso chocolate quente acompanhado com rosquinhas!

Tivemos três horas fantásticas observando as baleias. A recompensa foi enorme, pois vimos 2 baleias Jubarte. É muito importante para nós dois que não tenha qualquer tipo de impacto negativo com os animais enquanto viajamos. Estou confiante de que escolhemos a empresa certa, visando o bem estar dos turistas e principalmente, que não prejudique a vida selvagem desses seres tão lindos.

Obrigada Gentle Giants pela experiência maravilhosa e pelo trabalho lindo de vocês, juntamente com todos da equipe!

 

 

 

 

HARBOUR SIDE
640 HÚSAVÍK
ICELAND

TEL. +354 464 1500
INFO@GENTLEGIANTS.IS

www.gentlegiants.is/

                  

 

Hotel Rangá: Conforto e gastronomia no Sul da Islândia

By | Tópicos recentes | One Comment

Nossa viagem pela Islândia foi uma das viagens mais incríveis que fizemos na vida, foram 11 dias fazendo uma road trip pelo país numa campervam, e depois de uma semana dentro de um carro queríamos um lugar mais aconchegante para relaxar para depois continuar o restante da viagem recarregados. E nossa escolha do hotel foi primordial para nossa viagem ficar ainda mais interessante.

O Hotel Rangá é o único hotel de 4 estrelas no sul da Islândia. Um hotel de luxo localizado em uma área rural entre as cidades de Hella e Hvolsvöllur, à uma hora de Reykjavík, em uma área onde você pode desfrutar de atrações naturais como vulcões, águas geotérmicas e geleiras.

Escolhemos o hotel Rangá pelo conforto, localização, e para celebrarmos um momento muito especial para nós, nesse mês (de Outubro) comemoramos 1 ano de casados e também é aniversário do Diego (meu marido e companheiro das viagens). Não poderíamos ter escolhido o melhor lugar pra comemorar essa data tão especial, só de estar na Islândia realizando um sonho antigo já estávamos felizes, mas porque não nos dar o luxo de celebrar uma data tão especial pra nós, afinal é o nosso primeiro aniversário de casamento, primeiro de muitos que virão!!!

Rangá tem uma excelente reputação por sua comida, acomodação e serviço. O estabelecimento é reconhecido internacionalmente por seu restaurante, que oferece pratos regionais elaborados com produtos orgânicos e frescos.
O Hotel Rangá também oferece excelentes instalações para reuniões de pequenas empresas, casamentos e eventos sociais. O estabelecimento dispõe de um salão e bar, duas salas de reuniões no último andar, uma sala de jogos, serviço de massagens e três jacuzzis exteriores aquecidos com água geotérmica. Possui amplos espaços ao ar livre onde os hóspedes podem desfrutar da natureza, onde há uma excelente possibilidade de ver a aurora boreal de setembro a abril e organiza vários passeios e excursões que podem ser reservados na recepção, como: passeios pelo Golden Circle, passeios a cavalos islandeses e até passeios de helicóptero para visitar as geleiras e os vulcões.

O resort é construído em um estilo de cabana de madeira e oferece todas as comodidades e serviços de um resort moderno, sendo o primeiro hotel islandês a se tornar um membro da prestigiada cadeia internacional de grandes hotéis do mundo.
O Hotel Rangá tem 51 quartos acolhedores, que vão desde quartos standard simples até as suítes luxuosamente decoradas, representando os sete continentes, todas equipadas com banheira de hidromassagem, acesso Wi-Fi gratuito e a maioria com vistas espectaculares sobre o vulcão Mount Hekla ou o rio.

Ao entrar na recepção você é saudado por uma estátua de urso polar com mais de dois metros de altura chamado de Hrammur que reside no lobby.

  

Os banquinhos insolentes, que descrevem as nádegas femininas, proporcionam diversão no bar e uma grande cadeira de vime no lobby numerada como quarto Numero 13 . Os quartos de hóspedes estão conectados por longos e esparsos corredores que correm ao longo da propriedade. No andar de cima, uma varanda envolve o segundo bar do hotel e à noite oferece um pano de fundo de estrelas brilhantes e, se tiver sorte, o brilho das auroras burealis.

As suites de luxo são decoradas para representar os sete continentes, cada uma com um continente diferente como tema – a suíte asiática é um quarto de tatame, no melhor estilo japonês, enquanto a suite africana parece ter saído diretamente de um filme do Tarzan. As camas são perfeitamente confortáveis ​​e alguns quartos possuem jacuzzis (ou banheira de hidromassagem) e com vista para a paisagem espetacularmente erma da Islândia. Tivemos um quarto confortável e espaçoso, que se encontra na ala mais nova do edifício; no andar superior desta ala estão as sete grandes suítes temáticas maravilhosamente decoradas, a nossa suíte era decorada com tema da Antártida todo em preto e branco, com uma cama muito grande e confortável, um sofá, uma jacuzzi do lado do banheiro, além de um bar com bebidas e cafeteira, um enorme terraço de madeira com uma vista linda do Rio e das montanhas! O mini bar estava muito bem abastecido com vinhos e refrigerantes! Também tivemos roupões de banho e secador de cabelo fornecidos.

          

Além de todo o conforto dentro do hotel, ainda podíamos desfrutar das três jacuzzis com água geotermal no recinto do hotel. Mas realmente … o que realmente me impressionou foi … a vista.

   

As três jacuzzis com vista para o lago são para uso de todos os hóspedes e são aquecidas pela água geotérmica – o cenário perfeito para uma observação da aurora boreal durante a noite. Quando você não está relaxando em algum dos jacuzzis, você pode jogar bilhar na sala de jogos com jigsaws, xadrez e outros jogos, ou obter uma massagem no spa do hotel.

Nosso jantar no Hotel Rangá

A sala de jantar principal tem vistas encantadoras sobre o rio … um lindo começo para o seu dia para o café da manhã e um fim do dia à noite.

O restaurante do hotel serve comida requintada combinando sabores do Mediterrâneo  com um toque escandinavo moderno.

De entrada escolhemos ScallopsRangá seafood soup (sopa de frutos do mar)

 

Prato principal eu escolhi Salmon (Samão com alho-poró, couve, molho holandês e granola caseira)  e o Diego pediu Beef (Lombo assado acompanhado com purê de alcaparras, cebola no vinagre, cogumelos, beterraba ao molho demi-glace)

 

De acompanhamento escolhemos um vinho tinto da casa e de sobremesa escolhemos  Skyr (yogurt tradicional Islandês com  berries, creme de queijo e amêndoas).

Não preciso dizer que adoramos tudo, né! Tanto a atenção e carinho dos funcionários, quanto os pratos deliciosos fizeram da nossa noite inesquecível! Estava tudo esplêndido!

Café da manhã

O café da manhã é servido na sala de jantar principal e mais uma vez, estava tudo muito bom. Muitos cereais, queijos, bolos, frutas e waffles feito na hora, uma grande variedade de comidas quentes incluindo, ovos mexidos, castanhas de hash, salsichas e bacons. Alem da grande variedade de coisas deliciosas mencionada, tínhamos a opção de um cardápio rico em omeletes variados e porridge com mel e frutas.

   

Aurora boreal

Uma das características mais famosas do Hotel Ranga é o serviço de despertar para a Aurora Boreal. Para que você não perca a chance de vê-las , na recepção você pode se inscrever para receber um telefonema quando o show de luzes começar. Não importa o horário eles chamarão no telefone do seu quarto, e não se preocupe em ter que vestir aquele tanto de roupas por causa do frio, eles oferecem macacões térmicos para os hospedes, eles ficam pendurados perto da recepção.

Infelizmente estava nublado no dia da nossa hospedagem, mas conseguimos vê-las no dia seguinte perto de uma cachoeira onde ficamos acampados na nossa Campervan.

 

O hotel também conta com um Observatório que tem telescópios e binóculos para observar as estrelas!

   

Localização

O Hotel Ranga está localizado a cerca de 100 km de Reykjavik, ao lado da estrada principal do país, conhecida como Rota 1 – a estrada de circunvalação em torno da ilha.

Como eu disse, a localização do Hotel Ranga é excelente para explorar o sul da Islândia. Você está a uma curta distância de alguns pontos imperdíveis, incluindo o Golden Circle (Gulfoss Waterfalls, Geysir e Pingvellir) cachoeiras Seljalandsfoss, Skogafoss e o Secret Lagoon.

Outras atrações imperdíveis na costa sul da Islândia está Jokulsarlon – o lago de icebergs flutuantes, Svinafellsjokull – um glaciar enorme, Vik – uma cidade muito fofa as praias de areia preta ao redor.

 

Você não pode perder a recepção calorosa do Hotel Rangá em uma visita à Islândia, eu diria que é sem dúvida um dos melhores hotéis do mundo que visitamos em termos de bom atendimento, conforto e gastronomia pra ninguém botar defeito. De fato, o hotel tem um charme rústico e encantador desde o momento em que você entra nele.

Assista aqui o vídeo do Hotel Rangá

Mais informações e reservas: www.hotelranga.is

                      

Roteiro de 4 dias pela Sicília! Das praias paradísicas ao vulcão mais ativo da Europa

By | Tópicos recentes | No Comments

Haa Sicília, quanto tempo esperei pra te conhecer, e esse ano tive esse grande privilégio. Aproveitei uma viagem que fiz pra Malta e incluí Sicília no roteiro, foi uma ótima oportunidade de conhecer dois lugares que tanto queria conhecer! Dividi meus sete dias de férias (3 em Malta e 4 na Sicília) foram sete dias de pura emoção e cheio de paisagens lindíssimas de tirar o fôlego!

Conto como foi o roteiro completo aqui:

  • Roteiro completo 7 dias por Malta e Sicília  ( estará no ar em breve) 

 

Leia também:

 

Assista também o video completo aqui:

 

Já contei em outro post como cheguei na Sicilia a partir de Malta, depois de 1:45h de ferry, chegamos em Pozzallo 8:45 da noite e lá dormimos apenas uma noite no Casa Mare Pozzallo, no dia seguinte bem cedo seguimos viagem para Catânia nosso destino base para conhecer a região Leste da Sicília.

Alugamos um carro pela empresa Eco Via  no aeroporto de Catânia já que foi a opção mais barata que tivemos para depois devolver no aeroporto de Palermo, preço 130£ por 4 dias (todas as empresas cobram uma taxa de deslocamento, pagamos 40€ para devolver em outra cidade) achei super importante ter um carro na Sicília, como em todas viagens que fazemos, facilitou bastante nossa viagem em geral.

Chegamos em Catânia ainda de manhã, aqui passamos a nossa segunda noite, ficamos num hotel simples, mas super confortável e com café da manhã  B&B XX Miglia. 

Catânia é a segunda maior cidade da Sicilia, com uma população de 300 mil habitantes. A minha primeira impressão da cidade foi de tensão, não sei porque dessa sensação, mas não me senti muito segurança lá. Não sei explicar! Achei as pessoas mal encaradas, espero que foi apenas impressão boba mesmo. Se alguém que já foi teve essa mesma sensação deixe seu comentário aqui no post!

Catânia encontra-se no Mar Jónico, sob a sombra do Monte Etna, ou “A Muntagna”, como os habitantes locais se referem a ele. O Monte Etna está sempre presente (pode ser visto de vários lugares da cidade) e, em grande medida, moldou tanto a história quanto a existência real de Catânia. Em várias ocasiões, as erupções vulcânicas destruíram a cidade, mas a mais devastadora ocorreu no século XVII. Em 1669, Catânia ficou coberta de lava, e não para por aí não,  24 anos depois, em 1693, um terremoto sacudiu a cidade até as suas fundações.  Toda a parte antiga da cidade foi reconstruída em estilo barroco, com grandes praças e avenidas largas. O aspecto mais notável, no entanto, foi o material de construção utilizado: A lava! Catânia é essencialmente uma cidade “cinza” e única no mundo desse estilo.

Em Catânia dormimos apenas uma noite, mas ficamos 2 dias inteiros explorando a região, e visitamos Taormina, o Monte Etna e Alcantara Gorges e depois seguimos para a região Oeste, onde conhecemos as praias mais lindas da Sicilia, nossa base foi Trapani, onde visitamos a ilha Favignana, San Vito Lo Capo, Castellamare del Golf, Scopello e Mondelo. Nossa última parada foi Palermo de onde pegamos o voo de volta para Londres.

Vamos ao Roteiro: Como disse dividimos esse roteiro em 2 regiões: Leste Catânia e Oeste Trapani.

 

Taormina

No mesmo dia depois de uma volta rápida pela cidade de Catânia seguimos para Taormina 1h de viagem, chegando lá estacionamos o carro e fomos conhecer o centro histórico da cidade. Há varias coisas legais pra fazer na cidade, além da avenida principal repleta de lojas,restaurantes, praças, igrejas e um teatro grego enorme, a cidade também conta uma vista linda para o mediterrâneo , já que Taormina fica no alto de uma colina! Haa não posso esquecer de mencionar a Isola Bella uma ilhota muito linda que falo tudo e muito mais aqui nesse post:

O que ver e fazer em Taormina e região em 2 dias!! ( em breve aqui no blog) 

 

 

As ruas cheias de lojas de Taormina

Teatro Grego

O charme das ruas de Taormina

Passamos a maior parte do dia explorando a Cidade e terminamos o dia na praia de Isola Bella!

vista linda da ilha Isola Bella

vista da ilha pela praia

Isola Bella é uma praia limpa e de águas cristalinas, mas é pequena, e uma parte é ocupada pelos lidos (estabelecimentos comerciais de praia), onde você paga para usar as espreguiçadeiras, guarda-sóis, etc. Na parte livre você pode tranquilamente estender sua toalha ou esteira no chão gratuitamente.

Voltamos pra Catânia já escurecendo!

Uma dica sobre o estacionamento em Catânia: Nosso hotel não tinha estacionamento e o carro tinha que pousar na rua, lógico! Mas, diferente de outros lugares, mesmo durante a noite é cobrado o estacionamento. Nas máquinas tem a opção ”night Parking” esse é diferente do que é cobrado por hora, esse ticket vale até as 7:00 da manhã e é bem baratinho, 2€ pela noite toda, mas não esqueça de comprar o seu bilhete, se não o preço da multa é grande!

No dia seguinte partimos para um dos destinos mais esperados da viagem o Vulcão Etna, gastamos 1 hora de viagem de Catânia até lá.

 

Sob as crateras do vulcão

paisagem lunar do vulcão

vegetações silvestres do monte Etna

 

Chegamos no pés do vulcão por volta das 9:00, passeamos pelas Crateras Silvestri, onde todos podem visitar e não paga nada, e depois enfrentamos uma fila enorme pra comprar os bilhetes (69£) pra subir no topo do vulcão.

Quer saber mais sobre esse passeio? Conto tudo nesse post aqui:

Como visitar o Vulcão Etna por conta própria!

 

Gole dell’Alcantara ou Alcantara Gorges

Ficamos por lá até umas 14:00 e depois seguimos para outro destino muito esperado, o Alcantara Gorges, um parque onde tem um cânion muito lindo de águas geladas, foram 1h:15min de viagem.

 

 

Chegamos lá e já não tinha muita gente, que foi ótimo para explorar melhor o parque!

Ha 2 tipos de bilhetes para a entrada: A primeira custa 1,50€ para chegar na praia pelas escadas (150 degraus), e a segunda opção custa 8€ para usar o elevador e fazer o passeio no jardim, eu escolhi a segunda opção por causa do jardim, mas depois conclui que não valeu a pena, o jardim é legal, mas por esse preço preferia ter descido os 150 degraus e ter ficado mais tempo aproveitando as águas geladas do cânion.

Castellamare

 

vista da lancha para o Castelo a beira do mar, por isso o nome “Castellamare”

Seguimos viagem para o Noroeste da Sicília onde estão as praias mais lindas da região, nossa primeira parada foi Castellamare Del Golfo, uma cidade pequena e tranquila ótima base para visitar Riserva dello Zingaro e Scopello.  Scopello é uma verdadeira jóia da Sicília, é um lugar lindo que até serviu de cenário para vários filmes, entre eles, Doze Homens e Outro Segredo .  Tonara de Scopello é simplesmente surpreendente, seus famosos “faraglioni” (enormes rochas no mar, a poucos metros da praia) fazem com que o lugar seja um dos mais fotografados da Sicília.

 

A praia de Scopello é ótimo lugar para nadar, graças ao mar límpido e transparente, de um azul turquesa cintilante, tornando o lugar perfeito para a prática de snorkeling. Mas tem um pequeno detalhe, essa praia se encontra dentro de uma propriedade privada e é cobrado uma taxa de €5 para ter acesso a praia, mas é só pra quem chega de carro. Mas, nós preferimos alugar uma lancha para conhecer melhor a costa. O preço do aluguel da lancha para 5 horas ficou em €60 + €30 do petróleo = €90, que ficou mais em conta do que o preço das excursões que custava €25 por pessoa e fazia algumas paradas de 30 min em cada lugar, mas nós queríamos nossa independência de ficar o tempo que quiséssemos para apreciar a beleza do lugar, por isso optamos pelo aluguel da lancha.

vista do mar para Scopello

vista da entrada ( paga) da praia

Para alugar a lancha só foi necessário apresentar o passaporte mesmo, e agora que vem a surpresa, foi a primeira vez que dirigimos uma lancha, mas foi super fácil, o pessoal da agência passa todas as dicas e instruções antes, ficamos um pouco apreensivos no início, mas depois de alguns minutos já nos sentimos pilotos experientes, mas mesmo assim fomos bem devagar, tipo 80 km por hora rsrs, isso porque era a primeira vez, hein!! Tem varias praias bonitas pela costa, mas dirigimos até Scopello e ficamos por lá mesmo, curtindo nossa lancha, nadando, filmando e tirando fotos.

Depois de trilhões de fotos, entregamos nossa lancha inteirinha 😁, e seguimos viagem para Mondello, onde nos hospedamos no hotel Saracen Resort Beach&Congress Hotel.

Piscina do hotel

O hotel fica na beira mar e tem sua área reservada na praia com espreguiçadeiras e guarda- sois para os hospedes, além de 4 piscinas e um café da manhã delicioso e super completo, com várias variedades de pães, bolos, frutas, cereais e até o famoso e tradicional english breakfast.

Continuamos a viagem pela costa até Trapani onde visitamos as praias de San Vito Lo Capo e Favignana.

Trapani a cidade do sal

Nós escolhemos Trapani como cidade base para explorar as praias da região. Hospedamos no hotel Da Clelia onde ficamos nossa última noite. Uma das maiores atrações de Trapani são suas salinas (daí o nome ‘cidade do sal’). A conformação geográfica da cidade e seu clima particular sempre fizeram de Trapani uma fábrica de sal, sendo desde a antiguidade a fonte de riqueza da cidade. Hoje em dia a produção de sal não é tão grande, mas a visita às salinas é imperdível.

 

Salinas de Trapani

As principais ruas do Centro Histórico são fechadas para o trânsito onde é possível passear tranquilamente pelos barzinhos e restaurantes locais.

Terminamos o dia com um pôr do sol inesquecível na praia!

 

Favignana

Fechamos nossa viagem com chave de ouro, nas praias mais lindas da Sicília! Queria ter tido tempo para visitar Lampedusa, mas só pra essa ilha precisaria de uns 3 dias a mais. Favignana também merecia uns 2 dias no mínimo, mas tivemos apenas 3 horas pra rodar pela ilha .

 

Favignana é a maior das Ilhas Egadi, três ilhas ao largo da costa da Sicília. Apesar dos muitos barcos que ligam a ilha à Sicilia e de ter o aeroporto em Trapani que a torna muito acessível a toda a Europa, a ilha é maioritariamente visitada por turistas italianos. A ilha tem 9 Km’s de comprimento e pode fazer-se a sua volta de carro ou motoca em menos de 1 h.  Favignana tem várias praias paradisíacas e essa foi razão da nossa ida até lá. Cala Rossa é uma das praias mais bonitas da Sicilia e de difícil acesso, mas nem por isso deixa de ser das mais procuradas. A praia em forma de baía parece uma piscina. Não tem areia, as toalhas se estendem nas rochas e se for ficar muitas horas recomendo levar água e alguns petiscos.

Como ir para Favignana

Para ir para Favignana é necessário pegar um barco do porto de Trapani onde saem várias embarcações por dia (se não me engano era de hora em hora em junho). Nosso bilhete custou € 22,00 com o retorno e eu comprei na hora mesmo em uma bilheteria que fica em frente ao porto, só conseguimos vagas em um barco que sairia às 9:30, no entanto, só tinha vaga para o retorno ao 12:30, o que nos deu apenas 3 horas para passear pela ilha. Se caso você viajar entre junho e agosto é melhor comprar com alguns dias de antecedência, só por segurança, para não correr o risco de não conseguir embarcar no horário desejado. Quem quiser pode comprar online, no próprio site da Liberty Lines, e também checar os horários . A viagem de Trapani a Favignana dura apenas meia hora.

Apesar de termos carro alugado na Sicília, não conseguimos ferry para ir até Favignana, algumas pessoas disseram que tinha, mas rodamos todo o porto perguntando e não encontramos nada, mas depois descobri que existe sim, mas parece que só tem três horários, dois de manhã e um à tarde e a travessia é feita com os ferries da Siremar ( checar os preços de horários aqui ), então deixamos o carro estacionado no porto e fomos sem o carro mesmo, e chegando em Favignana alugamos uma scooter (€25,00) pelo dia todo para locomover na ilha. Aliás, a scooter foi uma ótima opção, muito mais simples e rápido ir de uma praia à outra. Havia opções de bicicletas (€5,00) ou de carro que era bem mais caro, mas a scooter foi uma ótima escolha sem duvidas nenhuma. Como só tínhamos 3 horas para explorar algumas praias da ilha, optamos por Cala Rossa, a mais procurada e Cala Azzurra que fica apenas 15 min uma da outra.

Cala Azzurra

 

Cala Rossa

Ambas as praias são selvagens de águas calmas e transparentes, sem estrutura nenhuma. Um ótimo lugar para se desconectar. Um detalhe, as agências fornecem mapas da ilha que ajudou muito na locomoção de um lugar para o outro, alguns lugares não tinha conexão de internet.

 

San Vito Lo Capo

(Nossa última parada na Sicília)

San Vito Lo Capo é considerada a praia mais bonita da Sicília, está localizada a 37km de Trapani, sua praia extensa atrai turistas do mundo inteiro. É o tipo de praia ideal para qualquer tipo de viajante, desde família com crianças a praticantes de esportes aquáticos. O dia que fomos era domingo e chegamos por volta do 12:00, custamos achar estacionamento e a praia estava parecendo um formigueiro, não tinha espaço pra sentar, muito menos estender uma toalha na praia, então alugamos um pedalinho para poder aproveitar nossos últimos momentos na Sicília. Saímos da praia direto para o aeroporto em Palermo, cerca de 1:00 hora de viagem, devolvemos o nosso carro e voltamos para Londres. Só posso dizer que tanto Malta quanto Sicília foi surpreendente!

Assista todos os vídeos no canal do Youtube 

Como foi mencionado no inicio do post,  nós fomos em junho, e acredito ser o melhor período para desfrutar da beleza das praias da Sicília, início e fim do verão são mais calmos e mais barato também (Junho ou Setembro). Em Julho e Agosto, como em qualquer lugar na Europa é alta temporada, tudo fica mais caro,  as praias ficam lotadas, o que acaba estragando um pouco a atmosfera paradisíaca das praias.

 

 

 

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       

Lugares tops para visitar na Islândia (Iceland )

By | Tópicos recentes | No Comments

Pré-roteiro da nossa viagem pela Islândia
Abaixo você encontrará o roteiro de todos os lugares que pretendíamos visitar durante nossa jornada de 11 dias pela Islândia.
Os lugares estão organizados na ordem de sentido horário, ou seja, dirigindo de Reykjavik para o leste em torno da Islândia.

Há  muitos lugares no mapa que não visitamos, mas foram todos pesquisados em blogs de outros viajantes, que eu achei interessantes. 😉

 

  • 1- Reykjavík

Sun Voyager Sculpture, Reykjavik

Sun Voyager (islandês: Sólfar) é uma escultura de Jón Gunnar Árnason (1931 – 1989). Sun Voyager é um dreamboat, uma oda ao sol. Intrinsecamente, contém em si a promessa do território não descoberto, um sonho de esperança, progresso e liberdade.

Tudo sobre a escultura Sun Voyager é fascinante. O artista Jón Gunnar Árnason foi um mecânico que deixou uma carreira bem sucedida como mecânico em sua carreira inicial para se tornar um artista. Como artista, ele foi um pioneiro e um filósofo com visão. Na sua vida, nada tinha uma prioridade maior do que a arte. Ele é considerado por muitos como um dos escultores e artistas mais notáveis da Islândia. Jón Gunnar nasceu em 1931 e faleceu em 1989 com apenas 58 anos.

 

  • 2- Hallgrimskirkja

  

Esta igreja histórica, o edifício mais alto da Islândia, domina a cidade a partir do ponto mais alto e é visível em um dia ensolarado de até 10 milhas (16 km) de distância. Nomeado após o poeta islandês do século 17, compositor de hinos e clérigo, Hallrimur Petursson, o design incomum da igreja inclui colunas de basalto vulcânico que flanqueiam seu forte campanário. Levou cerca de 40 anos para construir o edifício, que finalmente foi concluído em 1986. Na frente da igreja fica uma estátua de Leif Eriksson, doada para a Islândia pelos Estados Unidos. A igreja é adorável por dentro, mas mesmo aqueles que não estão interessados em explorar este local de culto serão impressionados com a impressionante fachada. É possível escalar a torre para ver a cidade.
Hallgrímstorg 101, 101 Reykjavík, Iceland
510 1000

  • 3- Blue Lagoon Spa


Álfheimar 74, 104 Reykjavík, Iceland
414 4004

  • 4- Þingvellir National Park

The Silfra Fissure
Iceland
482 2660

  • 5- Öxarárfoss


(Small waterfall, golden circle)

 

  • 6- Bruarfoss Waterfall


Brekkuskógur, (small circular falls, golden circle)

  • 7- Geyser


Geysir, (geyser, golden circle)

  • 8- Gullfoss Falls


large falls, golden circle

  • 9- Kerið


volcanic crater lake

Kerid é um lago da cratera vulcânica no sul da Islândia, na zona vulcânica ocidental. A caldeira é revestida de rocha vulcânica vermelha, uma grande parte da qual é coberta por vegetação verde. O lago bastante raso (7-14 metros) obtém sua cor aquamarina surpreendentemente vívida de minerais no solo.

  • 10- Glymur


2nd tallest waterfall 2+hour hike

Hvalfjörður/Botnsdal, 47, 301 Akranes, Iceland
437 2214

  • 11- Hraunfossar


waterfall

  • 12- Snaefellsnes


Snaefellsnes, Iceland

  • 13- Buoakirkja Black Church

black church, Snaefellsnes

  • 14- Svörtuloft Lighthouse

Snaefellsnes 20 min gravel drive

  • 15- Ingjaldshólskirkja

Igreja de Ingjaldsholl perto de Hellissandur na península de Snaefellsnes a oeste, com pico Snaefellsjokull à direita, Islândia, Regiões Polares
white church with red roof , Snaefellsnes

  • 16- Kirkjufellsfoss

photogenic mountain with waterfalls, snaefellsnes

  • 17- Berserkjahraun


lava fiels, snaefellnes

  • 18- Látrabjarg


bird cliffs

  • 19- Dynjandi

Medium waterfall, westfjords

  • 20- Hvitserkur

Uma vez que o plugue de um vulcão, ao longo dos anos, a cratera que circunda o tampão de rocha deu lugar ao mar atlântico, deixando apenas este afloramento de rocha incomum. A lenda diz que Hvítserkur é um troll petrificado. O troll morava em Strandir e queria derrubar os sinos no convento de Þingeyrarklaustur, mas, felizmente, ficou apanhado pela luz do dia e, como todos sabemos, os trolls se transformam em pedra pelo sol.

Vatnsnesvegur, ocean rock formation (troll rock)

  • 21- Ketubjorg


waterfall into ocean

  • 22- Glaumbær


huts with grass on top

  • 23- Siglufjörður


picturesque village

  • 24- Akureyri

Iceland

The biggest town outside of the capital area

  • 25- Goðafoss Waterfall


gorgeous wide waterfall

  • 26- Húsavík


whales watchin

  • 27- Mývatn


hofdi, lava pillars on lake

 

  • 28- Grjótagjá cave

small lava cave near lake Mývatn with a thermal spring inside.

  • 29- Hverfjall


volcanic crater, Myrvatn, 45 min hike one way, short gravel road

  • 30- Mývatn Nature Baths

hot springs 28$ person

Jarðbaðshólar, 660 Mývatn, Iceland
464 4411

  • 31- Námafjall hverir


orange cooled lava landscape, myvatn area

  • 32- Hverir (Field of Geysers)

hverarond ( geothermal pools, myvatn area) Hverir é um campo geotérmico ao leste de Reykjahlid, ao lado da crista conhecida como Namafjall. A área é bastante ativa, com mudpots e poças de água sulfurosas borbulhando e fumegando. Você também verá muitas fontes de ebulição, fumarolas e aberturas de ventilação. A área cheira naturalmente muito de enxofre, e muitas vezes você pode engolir nas nuvens de vapor.

NE-2 660, 660 Grand Island, Iceland

  • 33- Krafla


volcanic crater lake, myvatn area

 

  • 34- Dettifoss


very large waterfall, myvatn area

 

  • 35- Seydisfjordur


town with waterfall near ocean

  • 36- Gufufoss


waterfall on way to seydisfjordur

  • 37- Litlanesfoss


Upphéraðsvegur, waterfall with balsat columns, 30 min hike each way

  • 38- Hengifoss


large waterfall past litlanesfoss 1.5 hour hike each way

  • 39- Djúpivogur

Small icelandic beauty fishing village – Djupivogur

scenic fishing town

  • 40- Stokksnes


sand dunes near ocean

  • 41- Jökulsárlón


ice beach & glacial lagoon

  • 42-Hoffell hot pots near Höfn Iceland

 

  • 43- Svínafellsjökull


massive glacier

  • 44- Svartifoss

waterfall with basalt columns

  • 45- Foss a Sidu

Þjóðvegur, village with waterfall in back

  • 46- Fjaðrárgljúfur

 

stunning canyon, short gravel road

 

  • 47 –Eldhraum (lava fields)

 

  • 48- Vik i Myrdal Church (vik city)

Vik, white church with red roof

  • 49- Reynisfjara Beach

black sand beach with basalt columns

  • 50- Dyrhólaey


natural arch beach with lighthouse

871 Vík, Iceland
487 1480

  • 51- Sólheimajökull


Dc- 3 plane wreck, 45 minute walk from road

  • 52- Kvernufoss Falls


beautifull secret waterfall near skofagoss, 15 min hike

  • 53- Skógafoss


Skógafoss, Iceland

  • 54- Seljavallalaug Swimming Pool


picturesque hot springs, short gravel road, 20 min hike

Skogar, Vik and Myrdalsjokull, Iceland

  • 55- Seljalandsfoss


waterfall you can walk behind

  • 56- Gljúfrafoss


hidden waterfall ina canyon past seljalandsfoss

  • 57- Landmannalaugar

  • 58- Háifoss ( Highlands)


large falls, east golden circle (4×4 only)

  • 58- Raufarholshellir


(lava tube)

Þorlákshafnarvegur, Iceland
760 1000

  • 59- Reykjadalur


natural hot springs

  • 60- Keflavik International Airport

Time to say by 🙁

 

Conhecendo 6 maravilhas do sul do País de Gales

By | Tópicos recentes | No Comments

O País de Gales é um dos quatro países que fazem parte do Reino Unido, junto com a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda do Norte.

Era o único que eu ainda não tinha visitado entre os quatro e é tão bonito quanto os outros.

O País de Gales me surpreendeu por suas paisagens exuberantes, natureza intocada e seu povo hospitaleiro, fomos tão bem recebidos que parecia que nós estávamos em outro continente. Pode parecer exagero da minha parte, mas pra quem mora em Londres a tanto tempo não está muito acostumado com as pessoas te cumprimentarem olhando nos olhos, e não é apenas isso que me chamou atenção nos Galeses, a alegria deles contagia a todos em sua volta. Acredito que isso se deve a tranquilidade que o país transmite. Eu cheguei a comentar com meu marido que parecia que o tempo lá passava mais devagar do que na Inglaterra, e em três dias que passamos por lá nos deu a sensação de uma semana fora de casa.

Visitamos alguns lugares que jamais imaginava ser tão belo, e que me fez arrepender muito de não ter ido antes. Temos um problema muito grande, muitas vezes achamos que o que está mais longe é mais interessante do que temos perto, e isso é um grande erro, temos muitos lugares lindos e pouco explorados aqui no Reino Unido e muitos deles à poucas horas de viagem.

Separei alguns lugares que visitamos no Sul País de Gales em 3 dias, fizemos tudo com calma, aproveitando para descansar também.

Nossa primeira parada foi Three Cliffs Bay 3h:30min de carro do Norte de Londres. Gente 3-4 horas de viagem não  é nada, acredita que as vezes gasto 1h:30min para chegar no trabalho atravessando o centro de Londres? O que eu mais gosto de Londres é isso, seja de avião, trem ou carro em menos de três horas você já está em outro país e isso é maravilhoso!

 

Nós decidimos pegar a estrada de última hora, sem saber direito pra onde ir e onde dormir. Uma coisa legal no País de Gales são as variedades de campings, são vários espalhados pelo país, quase que a 1km um do outro. E isso nos proporcionou uma viagem bem diferente do que já estávamos acostumados, e muito, muito barato mesmo. Como era feriado e não tínhamos nada planejado, os hotéis poderiam estar o triplo do preço, então decidimos nos aventurar e acampar por lá, apenas compramos uma barraca, colocamos umas tralhas no carro, passamos no mercado compramos alguns biscoitos e frutas e fomos para a nossa aventura, de “acampar pela primeira vez fora do Brasil”, e foi uma experiência fantástica.

 

Fiz um mapa com os lugares que visitamos, entre praias, cidades e cachoeiras.

Começamos pela região de Swansea, que faz parte da península de Gower, é uma área de belezas naturais de tirar o fôlego, o qual foi o primeiro lugar no Reino Unido a ser reconhecido como uma Área Excepcional de Belezas Naturais, com suas falésias e praias lindas, incluindo a Rhossili Bay, considerada a praia mais bonita do Reino Unido.

 

 

Nossa primeira parada foi Three Cliffs Bay, chegamos lá as 7:00 da manhã, e ainda não tinha ninguém na praia, que foi ótimo para tirar lindas fotos. Se for de carro, precisa deixar o carro num estacionamento que é pago £3  para o dia todo. No estacionamento tem área de piquenique e um pequeno mercado. Do estacionamento na praia, são cerca de 15 minutos de caminhada, e quem quiser acampar nessa área à um acampamento com vistas lindas do alto do penhasco. Quando chegamos lá, a maré estava muito baixa ainda formando uma grande extensão de areia. Os três picos rochosos dominam a paisagem, e um arco natural se revela conforme você caminha em direção aos penhascos. Os três picos dão nome ao local, conhecido como Three Cliffs Bay (baía dos três penhascos). É um dos lugares mais fotografados da costa, e não é difícil ver por quê, né!

Do outro lado as ruínas de um castelo se destacam contra o sol.

Mesmo com tanta fama, a baía estava vazia naquela manhã e minhas pegadas de destaca na praia, depois de umas 2 horas a maré começou a subir e modificou bastante a paisagem, virou praticamente outro ambiente com a água separando as praias, o que torna o mergulho no local perigoso, por causa da presença de correntes fortes. Não há estrutura nenhuma na praia, mas tinha uma barraca de salva-vidas que só estão por lá em épocas de alta temporada.

 

Recomendo subir nos Cliffs, a subida é bem íngreme, mas vale super a pena, a vista de lá é maravilhosa!

Outra parada bem próxima dalí é Rhossili Bay

 

Essa praia é belíssima, e foi considerada as melhores do mundo pelo site TripAdvisor. É um destino muito procurado por surfistas, paragliders e até caminhantes e corredores por sua grande expansão de areia, esta é a orla mais extensa da península Gower, com quase 5 quilômetros.

Acesso à praia: Há um caminho que leva à praia ao lado dos penhascos, mas é uma subida íngreme de volta ao estacionamento, onde é possível ter vistas panorâmicas espetaculares sobre a baía!

Dormimos em um camping na região de  Pembrokeshire, e na manhã seguinte seguimos para Barafundle Bay!

  

Barafundle Bay, Pembrokeshire

Situado na Reserva Natural Nacional de Stackpole, é uma pequena baía apoiada por dunas e pinheiros, por causa de suas areias douradas e águas cristalinas, Barafundle foi eleita muitas vezes como uma das melhores praias da Grã-Bretanha. Para chegar até a praia precisa caminhar cerca de 1 km do parque de estacionamento mais próximo.

 

Depois de muitas fotos e admirar a paisagem seguimos em direção há mais uma das belas paisagens da região Skrinkle Haven!

 

A praia de Skrinkle Haven é uma pequena baía rochosa cercada por penhascos altos e com uma enorme faixa de areia na maré baixa. Na verdade são 2 praias juntas, uma de areia e outra de pedras, separadas por uma enorme parede de calcário. O acesso à praia de pedras é através de uma escadaria de metal até a Church Doors, “Portas da Igreja” – 140 degraus no total. A descida e a subida é bem íngreme, talvez seja difícil o acesso para pessoas idosas ou com dificuldade de locomoção, e o único ponto de acesso à praia de areia é caminhar ao redor do cume de calcário, o que só é possível quando a maré está  baixa e apenas por um curto período de tempo.

 

Há uma área de piquenique no topo das falésias. A vista de lá é de tirar o fôlego!

Depois seguimos para Tenby, uma pequena cidade costeira onde se encontram história, um litoral deslumbrante de belas praias e o sossego das cidadezinhas galesas.

Tenby é uma cidade histórica cercada por muralhas medievais do século 13, com portais circulares formados por arcos, e ruínas de um castelo em frente à praia.

O litoral de Tenby é bem extenso, são 4 km de praias de areia, com paredões rochosos e duas ilhas.

Uma delas é a ilha de St. Catherine, ligada à praia pela areia quando a maré está baixa, um dos cenários mais conhecidos de Tenby. A ilhazinha abriga um forte do século 19, com quatro acomodações, 16 torres pequenas e um salão de jantar. O forte, que foi vendido em 1907, hoje está abandonado, abrigando aves marinhas.

A ilha Caldey é um pouco mais longe, e está  ligada a Tenby por balsas durante a primavera e o verão que atrai visitantes por conta de seu mosteiro, ocupado por monges cistercienses desde 1929.

As praias North Beach, Castle Beach, Harbour Beach e South Beach são as principais praias da Costa, fica até difícil dizer qual eu gostei mais, recomendo fazer uma caminhada pela areia e conhecer todas.  As casas coloridas à beira mar são encantadoras, e seu centro histórico é um verdadeiro charme, cheio de lojas e restaurantes com mesas nas calçadas. Caminhe sobre as calçadas do penhasco da Harbour Beach em direção a North Beach, a vista de lá é incrível!

“Tenby é uma jóia e ainda mais encantadora por sua natureza preservada e riqueza de edifícios históricos coloridos”.

 

Terminamos nosso dia num acampamento perto de Brecon Beacons National Park!

O Brecon Beacons National Park é um dos três parques nacionais do País de Gales, e apresenta uma série de montanhas, cachoeiras, cavernas e é o lar de uma enorme variedade de vida selvagem.

Aqui visitamos duas lindas cachoeiras a Henrhyd Waterfall e a Sgwd Gwladys Waterfall, ambas muito bonitas, mas o acesso não são dos mais fáceis não, mas vale a pena o esforço!

Henrhyd Waterfall

Com uma queda de 27m, Sgwd Henrhyd, no rio Nant Llech, no noroeste de Glyn-Neath, é a maior cachoeira do Parque Nacional.

Uma caminhada de mais ou menos 15 min te conduzirá à cachoeira a partir do estacionamento, perto de Coelbren, pouco mais de 1 km a sudeste de Abercrave. Você segue um caminho íngreme no vale místico e arborizado, uma boa parte do caminho é escorregadio, melhor ir com sapatos apropriados. Chegando lá você pode caminhar em volta da cacheira e dar a volta por traz dela!

 

Sgwd Gwladys Waterfall

Seguimos em direção à Pontneddfechan, Brecon Beacons National Park. É melhor colocar o nome dessa vila do que o nome da cachoeira, porque nós colocamos o nome da cachoeira e o Gps nos conduziu à uma fazenda, a senhora disse que era normal e a maioria dos turistas que querem ir na cachoeira chegam na fazenda por engano, mas ela foi super legal e nos explicou o caminho.

Chegamos na pequena vila e estacionamos o carro no estacionamento do pub Angel Inn, onde aproveitamos para almoçar também. Depois passamos por um portão que conduz à cachoeira, seguimos o caminho conforme indicado pela placa na entrada. São uns 40 minutos de caminhada. A caminhada é longa e nível fácil, e o cenário até a cachoeira é muito bonito, todo o caminho é na beira do rio até chegar na  “Sgwd Gwladus” Falls

De uma cachoeira para a outra foram uns 20 minutos de carro, visitamos as 2 no mesmo dia!

Todos os lugares que citei aqui são dogs friendly, então quem tiver cachorros ficarão felizes em poder passear e levar seus animais de estimação juntos.

Assista também o nosso vídeo completo

 

Como visitar o Vulcão Etna por conta própria? Sicília, Itália!

By | Tópicos recentes | No Comments

Alguém já sonhou em visitar um vulcão antes? Eu sim, e ainda  queria que fosse um ativo, rsrs! É gente, a louca aqui gosta desse tipo de coisa, afinal, viajar pra mim é isso, é nos desafiar e encarar o medo. Visitar um vulcão ativo da medo, porque a natureza pode nos surpreender a qualquer a momento, e mesmo com toda a tecnologia avançada, muitas coisas imprevisíveis podem acontecer, ainda mais se tratando de um vulcão que entrou em erupção poucos meses antes de você decidir visita-lo.

  

O vulcão Etna, tem 3.330 metros de altura, e é o vulcão mais alto da área continental da Europa e pode entrar em ação a qualquer momento. A última grande erupção aconteceu em 1992. E esse ano ele resolveu acordar depois de apenas oito meses adormecido, entrou em erupção novamente, no dia 28 de fevereiro! A erupção  protagonizou momentos dignos de registo, mas, apesar da erupção ser considerada inofensiva, alguns turistas foram atingidos por pedras causando ferimentos leves e graves.

O vulcão fica localizado no nordeste da Sicília, a 55 km de Taormina e 35 km de Catânia.

E ir na Sicília e não visitar o Etna, não é a mesma coisa!

  

Você pode visita-lo por conta própria ou com excursões guiadas saindo de varias cidades próximas. Nós fomos por conta própria, saímos de Catania bem cedo e fomos até o Rifugio Sapienza ( 1h de carro) onde está a estação do teleférico. O lugar é bem preparado para receber os turistas, tem muitos restaurantes, o estacionamento é enorme ( atenção que o estacionamento é pago e só pode estacionar nas faixas azuis) e tem muitas lojas de roupas e acessórios para trekking, e equipamentos para esquiar, já que na época do inverno funciona também como estação de esqui.

 

  

Como chegar no vulcão Etna

 

Você pode ir por conta própria até um certo ponto, onde ficam as primeiras crateras, as “crateras Silvestri”, são aquelas que todo mundo pode visitar, o acesso é livre para todos, inclusive carros particulares. Elas se formaram a partir de uma erupção que aconteceu em 1892 e não estão mais ativas. Praticamente quase todas as excursões incluem essas crateras, já a subida até a cratera central é feita por um teleférico e um ônibus 4×4. Não é permitido o acesso de carros particulares. Algumas pessoas mais aventureiras arriscam fazer trekking, mas imagina subir 3.300 metros? Sinceramente não é pra mim, preferi pagar 69€ e fazer o passeio mais tranquilo e mais rápido, já que tinha outros lugares para visitar.

  • Bilhete do teleférico para chegar a 2.500m de altitude = 30 euros
  • Bilhete para prosseguir até 2.900m com os veículos 4×4 = 30 euros
  • Guia para andar sobre as crateras = 9 euros

 

  

A viagem de teleférico leva cerca de 15 minutos para chegar a 2500 m de altitude da encosta Etna-Sul. Após a ascensão de 581 m começa a segunda parte da excursão. O serviço é realizado com veículos especiais off-road ( ônibus 4×4) conduzidos por motoristas experientes que viajam em segurança absoluta nos caminhos íngremes, atingindo 2.900 m em 20 minutos. Depois somos guiados por guias experientes em montanhas e vulcões. A viagem ida e volta leva cerca de 2-3 horas.

    

 

Dica:

  • Leve um casaco, mesmo no verão, lá em cima faz muito frio!
  • Leve água e algum petisco, no cume do vulcão não tem nada além das belas paisagens!
  • Vá de tênis e preparado para uma boa caminhada com muitas subidas e descidas íngremes!
  • Leve um bom cartão de memória e baterias carregadas, você vai querer tirar milhares fotos!
  • Fuja do guia por alguns instantes rsrs e caminhe pelas outras crateras, admire as paisagens únicas que o lugar oferece e depois pegue o próximo ônibus de volta, porque o que você veio, já perdeu com certeza hahah!

Algumas áreas estava restrito à turistas por causa da última erupção e sua constante atividade.

 

  

 

Na área do teleférico há restaurantes, banheiros, lojas de survenis e também alugam casacos caso esqueçam de levar. 

Horários:

Temporada de inverno – Esqui e esportes na neve (de dezembro a março):

As instalações de esqui de Funivia dell’Etna estão abertas todos os dias das 09:00 às 15:45 (última partida subindo)

Época de verão – Excursões (de abril a novembro):

As instalações da Funivia dell’Etna estão abertas todos os dias das 09:00 às 16:15 (última partida subindo)

Excursões para o pôr do sol:

Segunda-feira, terça-feira e quinta-feira, a partir das 17h30, reserva prévia, ligando para: +39 095 914141- (42)

Mais informações pelo site oficial: Funiviaetna.com

  

 

Saímos de lá e fomos conhecer o Gole dell’Alcantara outro lugar imperdível na Sicília e fica apenas 1 hora de carro do Monte Etna! No caminho paramos para tirar mais fotos das paisagens lunares com vegetações silvestres! É um passeio incrivelmente lindo e imperdível!

 


Siga também: