Dicas de 3 dias em Malta, Comino e Gozo!

By 5 de agosto de 2017Tópicos recentes

Malta é um país para ser conhecido sem pressa e três dias com certeza não seria o suficiente para conhecer com calma e precisão, mas se você tem apenas três dias para conhecer esse país tão pequeno geograficamente, mas com uma enorme variedade de coisas para ver e fazer, e claro, cheio de belezas naturais, você está no lugar certo! Nesse post estão as principais cidades, praias e atrações do país, incluindo as ilhas irmãs Comino e Gozo.

Chegamos no aeroporto bem tarde já e contratamos tipo um mini-ônibus taxi, que vai deixando os passageiros na porta dos hotéis, preço €14 por pessoa.

A ilha de Malta tem uma história rica e emocionante e um futuro promissor. Este é o único país do mundo onde o número de edifícios antigos excede o número de modernos! Aqui você nunca se cansará de explorar megalitos – construções antigas que são 1000 anos mais antigas do que as pirâmides mundialmente famosas! Além disso, Valletta, a capital de Malta, está incluída na lista do patrimônio mundial da UNESCO, graças às suas inúmeras vistas históricas e culturais, bem como o seu pequeno tamanho. E, claro, Malta é um lugar perfeito para nadar e tomar sol – a temperatura aqui está sempre acima de dez graus, mesmo no inverno. As águas quentes do mar Mediterrâneo, a natureza deslumbrante e a grande variedade de atrações culturais fazem de Malta um destino de sonho para todos aqueles que desejam conhecê-la.

Malta tem uma história rica e colorida que se estende por mais de 5000 anos. Desde as primeiras civilizações até as mais recentes. A localização estratégica de Malta faz dela a jóia do Mediterrâneo, esta pequena ilha situa-se no meio da África, Ásia e Europa. São 316 km2 de muita beleza e é um dos menores países do mundo, tornando-o fácil de se ser descoberto. Posso dizer que 1 semana seria pouco pra visitar todas as cidades, praias, museus e ilhas ( Gozo e Comino). Mas se você tiver pouco tempo assim com nós tivemos, esse roteiro é pra você:

Primeiro de tudo, para visitar todos esses lugares que vou citar aqui em 3 dias, é extremamente necessário alugar um carro para circular na ilha.

 

Locomoção

Nós alugamos o nosso carro pelo site da rental cars e a empresa escolhida foi a Avis, e ficamos bastante satisfeitos com a escolha, além do preço 10£ por dia, fomos bem recebidos e ainda nos buscaram e depois levaram para o porto de onde saia nosso ferry para a Sicília ( conto tudo aqui, como fomos de Malta para a Sicilia de Ferry ( balsa).

Para ir de St Jullians para Valletta pegamos um ônibus, ”foi nossa única viagem de ônibus”, valor do bilhete €2 e vale por 2 horas (podendo trocar de ônibus quantas vezes for necessário dentro das 2h), pra quem for depender do transporte publico achei super pratico.

 

Assista o nosso vídeo completo:

 

Hospedagem

Nós hospedamos em St Julians no St. Georges Park Hotel , escolhemos essa área por ser bem centralizada e por ser a queridinha dos jovens por causa da grande variedade de bars, restaurantes, e pra quem curti a night aqui é o paraíso das baladas. O hotel achei bem legal, com um preço bom para junho, 30£ por noite, e frequentado pela maioria jovens, só não gostei de não haver estacionamento e achei o café da manhã bem fraco.

O que ver em 3 dias

Fizemos assim, dividimos os 3 dias em 3 regiões:

1 dia – visitamos o norte da ilha:

  • Popeye Village
  • Paradise Bay
  • Coral Lagoon
  • sunset em Marfa Bay e jantar no Ramla Bay Resort

2 dia – Tiramos esse dia para visitar as ilhas de Comino e Gozo

  • Blue Lagoon – Comino
  • Azure window – Gozo
  • Mellieha Beach

3 dia – fomos para o Sul da ilha:

  • St Julians
  • Marsaxlokk
  • St Peter’s Pool
  • Valletta

Parece muita coisa pra 3 dias, né! A vantagem de ir em junho é que o sol se põe por volta das 20:30- 21:00, e com o isso o dia fica bem longo, de junho à meados de setembro são 12 horas de sol, dando pra aproveitar muito bem o dia. É mas pra isso, tem outro segredinho, rsrs, acordamos todos os dias bem cedinho e saíamos mesmo antes do café da manhã, as 7:00 já estávamos no carro pra sair e curtir as férias.

Vamos ao que interessa então, né! Desde a primeira vez que ouvi falar sobre Malta e comecei a pesquisar sobre o que ver no país, fiquei super encantada com a Popeye Village, o lugar parece um conto de fadas e esse foi o primeiro lugar que visitamos!

Popeye Village

A “Aldeia do Popeye” ou “Popeye Village” está localizado em Anchor Bay, no noroeste de Malta, perto da cidade de Mellieha. Também conhecido como “Sweethaven Village” é um lugar ideal para passear em família. Quem aí lembra do Popeye? Um dos personagens de desenhos animados mais famosos da história: O marinheiro Popeye invencível, que ficava muito forte quando comia espinafre. Esse desenho fez parte da minha infância, e eu não poderia deixar de visitar, né! O desenho foi criado pela Walt Disney em 1929 e se tornou popular ao longo de várias décadas e emocionou gerações de crianças. Pena que hoje em dia os desenhos são a maioria baseado em monstros e mortes.

       

 

A “Aldeia do Popeye” é na verdade um museu ao ar livre que serviu de cenário de filmagem do filme “Popeye”, de Robert Altman e estrelado por Robin Williams em 1980 e baseado na HQ de E. C Segar.  A vila é composta por 19 edifícios de madeira construídas em 1979 localizada em Sweethaven, de frente para o mar, com madeiras trazidas do Canadá e Holanda, já que em Malta não existem florestas.

Além de passear pela vila do Popeye, entrar nas casinhas de madeiras, pode também fazer um passeio de barco em torno da baía já incluído no bilhete de entrada.

Lá você pode ver alguns personagens do filme Popeye: O Popeye, Olivia Palito, Brutos, Gugu e Dudu…Nadar nas águas cristalinas de Anchor Bay, pular nos trampolins, ou simplesmente relaxar e tomar sol nas espreguiçadeiras em volta da Baía.

Horários de março à outubro das 9:30 às 17:00

Preço 14 euros (em junho 2017)

Mas pra quem quiser economizar tempo e dinheiro, da pra ver a vila pelo Mirante e tirar uma foto, com muitos fazem!

Paradise Bay

Paradise Bay está localizada na costa noroeste de Malta. Há poucos quilômetros da cidade de Cirkewwa, da qual saem as balsas para Gozo.

 

A praia de Paradise é de areia fina, com águas cristalinas com lindos tons de verde esmeralda e azul turquesa. É uma das praias mais pequenas, mas também considerada uma das mais belas de Malta, ela está localizada em uma bela baía cercada por pedras baixas, o lugar é mesmo um pequeno paraíso, então o nome da praia é muito apropriado.

 

Coral Lagoon

A Coral Lagoon é uma caverna escondida localizada no norte de Malta, e está localizado em Il-Mellieħa ao lado da Little Armier Bay. A caverna é conhecida pelos habitantes locais como “L-Ahrax Tal-Mellieha”, que significa “rocha áspera”. E eles o descreve perfeitamente porque a rocha vulcânica áspera é implacável e se você estiver descalço ou usando sandálias não conseguirá caminhar por lá, se você tiver planos de visitar o lugar vá de tênis. Do estacionamento ( ou o lugar até onde os carros conseguem chegar) até o buraco são cerca de 10 min de caminhada.

 

Coral Lagoon é mais popular para os snorkelers e mergulhadores que vêm explorar as cavernas subaquáticas. A água é clara e azul. Muitos turistas se aventuram e pulam no lago da caverna, mas não recomendo pular, quando estava pesquisando sobre o lugar, vi várias noticias tristes de turistas aventureiros, tipo resgate de emergência de helicóptero  e até mortes.

Há apenas uma saída que dá direto no mar, e a passagem é muito estreita, dependendo da agitação das ondas do mar, fica difícil sair la de dentro. Acho que só observar a paisagem sem chegar muito na beira já está ótimo, vai por mim, não estrague suas férias por uma foto ou uns segundos de emoção!

Sunset em Ramla Bay

Apenas 10 min de carro do Coral Lagoon está o Ramla Bay resort, onde terminamos nosso dia admirando o por do sol mais lindo de Malta e jantamos uma Pizza de Salmão maravilhosa no restaurante do resort, detalhe achamos o tamanho da pizza o suficiente para 2 pessoas e o preço super justo pra um resort.

   

Blue Lagoon – Comino

Nosso segundo dia em Malta, não poderia ter começado melhor! Acordamos cedo e partimos em direção para um dos lugares mais cobiçados em Malta, e por isso tentamos chegar o mais cedo possível na ilha de Comino. Fomos até o porto de Marfa para pegar o primeiro barco do dia para Comino, chegamos no Blue Lagoon as 9:30 e não tinha quase ninguém, foi ótimo para nadar e tirar muitas fotos no lago.

   

Se quer saber mais sobre o Blue Lagoon, conto tudo neste post aqui:

Blue Lagoon, Comino! Como chegar lá a partir de Malta?

Azure Window – Gozo

Para ir até Gozo pegamos uma balsa em Cirkewwa para o porto de Mgarr em Gozo, os barcos saem a cada 45min e são 25min de viagem, pagamos 20,50 pelo carro+motorista+1 passageiro, esse valor só é cobrado na volta para Malta.

Achei muito importante já sair do porto de carro, já que a cidade é bem distante do Porto, e a Azure Window mais longe ainda.

A ilha de Gozo é a segunda maior do arquipélago, como nós só tínhamos 3 dias fomos obrigados a dividir um dia entre Comino e Gozo, mas pra quem for com mais tempo, recomendo um dia em cada ilha, á muita coisa pra ver e fazer, principalmente em Gozo.

Chegamos por volta de 1h da tarde e fomos direto para Dwejra localizada na costa oeste da ilha de Gozo! Nosso foco era Azure Window ou janela azul (aquele um arco natural que desmoronou com uma tempestade em 08/03/2107). Estacionamos o carro e caminhamos cerca de 5 min até nosso destino, o lugar é lindo e renderam muitas fotos! Aproveitamos pra dar um mergulho no blue hole, a agua é um pouco fria, mas nos próximos 3 minutos você já acostuma e vira festa. É possível fazer mergulho com cilindro também, mas esse não tivemos tempo de fazer, apesar de querer muito, dizem que a região oferece um dos melhores mergulhos do país. A uns 10 minutos dali está o Inland Sea, que, como o nome diz, é um pedacinho do mar no meio da terra. A água toda vem por um túnel no meio do rochedo, há vários barquinhos que fazem o passeio pela gruta, valor €4, mas esse nós não fizemos porque não tínhamos dinheiro em mãos com a gente, só o cartão, mas acredito que vale super a pena fazer o passeio. Outra coisa que vimos por lá, foram vários mergulhadores e pelas fotos que vi, é mesmo muito bonito.

Depois de muitas paisagens de tirar o fôlego, seguimos para Victoria ou Rabat  a capital da ilha de Gozo, andamos pelas ruazinhas estreitas e almoçamos num restaurante na praça central, Independence Square, que é um dos pontos centrais de Victoria, ao redor da praça você encontra uma igreja, cafés e restaurantes. A praça também é conhecida por it-Tokk, e tem uma feirinha durante o dia, onde é possível encontrar souvenirs, roupas, chapéus, e falando em chapéus o Diego comprou o dele lá.

Outro ponto a ser visitado pra não dizer o  mais famoso é a Citadel, localizada no alto de um morro, essa parte da cidade é toda murada, lá você vai encontrar a Catedral de Gozo, um prédio barroco do século 17. Aproveite o passeio pela Citadel para curtir a vista maravilhosa de toda a ilha.

Hora de despedir de Gozo e voltar para Malta.

Já em Malta terminamos nosso dia na Mellieha Beach. Mellieha Bay é a maior praia de areia e mais popular em Malta, além da sua faixa de areia extensa, as águas são rasas, ótimo lugar para crianças brincar, o que achei bem legal também é que a praia tem inúmeras actividades de esportes aquáticos  para escolher, como windsurf, kitesurf, canoagem, esqui aquático, jetski,etc. A praia também se divide em três ambientes desde o mais tranquilo ao mais animada e ativo.

Mellieha 

 

Também damos uma volta na cidade, e achei muito bonita, com construções de estilo meio árabe.

   

St Julians

Nosso terceiro e último dia em Malta, como disse no inicio do post, escolhemos St Julians para nos hospedarmos, e por incrível que pareça deixamos pra conhecer a cidade só no ultimo dia.

 

   

St. Julian tem uma população de cerca de 8.000 pessoas, e seu nome vem do santo padroeiro da cidade, Saint Julian. San Giljan ou St. Julian, está localizado na costa de Malta, norte de Valletta e é famoso principalmente por sua vibrante vida noturna e atividade turística. Esta cidade é um centro de hotéis novos e luxuosos, muitos tipos diferentes de restaurantes e discotecas, centrado principalmente em uma área conhecida como Paceville.

Outro lugar perfeito para um passeio romântico é o Spinola Bay.

 

 

Spinola Bay é uma das baías mais românticas de Malta; Subindo a colina, pode-se admirar a pequena capela velha, o palácio Spinola e casas maltesas com decorações típicas com janelas tradicionais. Durante a noite, as luzes da rua refletem sobre o mar calmo que está cheio de barquinhos de pescadores coloridos, a paisagem do lugar é bem pitoresco.

Tire uma foto no monumento do Amor: Esta estrutura moderna foi construído de cabeça para baixo, quem vê este monumento imagina que o escultor estava bêbado, rsrsr, mas a intenção era de que a palavra “LOVE” fosse refletida nas águas calmas da Baía Spinola. E realmente ficou linda!

 

 

Marsaxlokk

Essa cidadezinha é o cartão postal de Malta, uma vila típica de pescadores cheia de barquinhos coloridos, eu fiquei encantada e foi uma das cidades que mais gostei em Malta, acho que o colorido mexe comigo, sempre as cidades coloridas são minhas preferidas! A Vila Marsaxlokk está localizado na parte sudeste de Malta, e é bastante famosa pelo mercado de peixes que acontece todos os domingos, não só o Fish Market atraem os olhares, mas também seus incontáveis barquinhos coloridos chamado, Luzzus.

     

A aldeia tem cerca de 3200 habitantes e, no passado, a maioria dos habitantes trabalhou como pescadores. O nome Marsaxlokk vem da palavra”Marsa”, que significa porto e a palavra “Xlokk”, que significa sul, em maltês.

Uma dica: Não deixem de fazer o fazer o passeio de barco pela baía, a vista do vilarejo a partir do mar é deslumbrante, preço €4 por pessoa.

   

 

St Peter’s Pool

Perto dali esta outro lugar imperdível em Malta, a St Peter’s Pool. Para quem vai de carro é super fácil é só colocar o nome no Gps e em 12 min já estará lá. Chegando lá à um estacionamento que é pago, €2.

St. Peter’s Pool é uma bela piscina natural ideal para passar um dia relaxante. A água de St. Peters Pool é cristalina com uma mistura de cores incríveis, entre o azul e o verde dependo do ângulo. As pedras planas em volta da piscina é um ótimo lugar pra pegar sol, e para os corajosos é uma ótima plataforma para saltos. Ha poucas sombras por alí, então certifique de levar um guarda sol, principalmente se forem com crianças. Se pretende ficar muitas horas ou o dia todo é melhor levar água e lanches, não esqueça do chapéu e filtro solar, heita lugarzinho quente viu!

        

Haaa e não esqueça de levar o lixo e jogar na lixeira, infelizmente muitos acabam deixando o lixo para trás e o vento acaba jogando o lixo na água 🙁 .

Valletta

Valletta, capital de Malta e Património Mundial da UNESCO!
Valletta foi construída em uma península na parte central de Malta e tem uma população de pouco mais de 6.000 pessoas. Valletta foi nomeado após o grande mestre francês Jean Parisot De La Valette, que liderou a defesa de Malta da invasão otomana em 1565.

Valletta possui muitos edifícios do século 16, a maioria arquitetura barroca que foi construída pelos cavaleiros de São João. Entre eles está a majestosa Catedral de São João, vários auberges que acolheram os Cavaleiros da época, os bastiões que cercam a cidade e vários jardins.

 

 

Hoje em dia, Valletta acolhe o Parlamento Nacional, os tribunais, muitos ministérios e departamentos governamentais, escritórios administrativos, museus e muitas lojinhas de compras. A cidade é bem movimentada durante o dia, mas os Jardins Upper & Lower Barrakka oferecem um local tranquilo com vistas incríveis do Grand Harbour. Então, à medida que o sol se põe, a capital acalma-se e se transforma em uma cidade mágica fortificada onde a arquitetura se destaca sob a iluminação suave. Valleta é praticamente um museu ao céu aberto com muitos cafés, bares de vinho, teatros, igrejas, palácios, exposições… Valletta é uma cidade viva durante todo o ano.

     

Terminamos nossa viagem no Waterfront, no porto de onde saem e chegam é claro, os gigantescos navios de cruzeiros, mas nosso destino mesmo era a estação de ferries LA VALLETA de onde partiríamos para Sicília.

Conto tudo aqui Como ir de Malta para Sicília de Ferry

Lembra que la no inicio disse que a Avis nos buscou e depois nos deixou no Porto? Então, devolvemos o nosso carro no escritório, fizeram toda vistoria e depois nos deixaram la no Porto como o combinado, eles foram bem queridos.

Obs! Pra quem for alugar carro em Malta, deve lembrar que lá se dirige do lado direito, mão inglesa que nem na Inglaterra!

Malta é um lugar barato e que pode ser visitado o ano todo, então se puder evitar a alta temporada do verão europeu, garanto que suas ferias serão bem mais aproveitadas. Em junho a temperatura atingiu os 35º e a sensação térmica era de 40º, quem assistiu os histories do meu instagram na época, deve lembrar que contei que meu marido passou mal com uma sinusite fortíssima, e fomos parar no hospital com ele, mas ele foi atendido, e o medico foi bem gentil com a gente, mesmo sendo turistas, ele foi receitado e Graças a Deus no outro dia já estava bom e continuamos nossa viagem pela Sicilia. Logo todos os posts aqui no blog!

 

 

 


Siga também:

 

 

 

Patrocinadores:


            

 


       

 

Mirelle Tome

Author Mirelle Tome

More posts by Mirelle Tome

Join the discussion One Comment

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: