10 lugares imperdíveis para visitar na Escócia

By 17 de agosto de 2016Tópicos recentes

A Escócia não é conhecida apenas pelos seus belos Castelos, tecido xadrez, kilts e gaita de foles, mas também pelas suas lindas e inconfundíveis paisagens verdes.

Nós fizemos uma viagem de carro de 4 dias pela Escócia, e visitamos lugares magníficos! Separei 10 deles que você não pode perder quando visitar a Escócia!

1. St Andrews Cathedral

 

img_1152-2 img_1160-2 img_1168-2 

St Andrews, localizada na costa leste da Escócia, no condado de Fife e banhado pelo Mar do Norte, é uma cidade cheia de história e cultura, apesar de seu pequeno tamanho. Foi a primeira cidade universitária no país (1140) e antiga capital eclesiástica até a Reforma, em 1560, e um santuário para os golfistas de todo o mundo.
Suas principais e inúmeras ruas de paralelepípedo, edifícios universitários e igrejas medievais convergem sobre as ruínas da catedral, do século XII.

A história de St Andrews, segundo os escoceses – St Andrews, conhecido no Brasil como Santo André, é o padroeiro da Escócia. Seu dia é celebrado em 30 de novembro com uma série de eventos por toda a Escócia. Segundo a história, Andrew foi um pescador da Galiléia, que costumava trabalhar no Mar Morto antes de se tornar um discípulo de Jesus Cristo. Na Grécia, ele acabou crucificado pelos romanos, em uma cruz em forma de X. Seus restos mortais foram transferidos a Constantinopla. Segundo a lenda escocesa, um monge grego responsável por guardar os restos mortais de Andrew recebeu uma visão divina. Na visão lhe foi pedido que ele levasse os restos mortais de Andrew aos “confins da terra”, onde estariam seguros. Ele saiu de Constantinopla e seguiu uma longa viagem marítima até desembarcar na costa de Fife, na Escócia, onde hoje fica a cidade costeira de St Andrews.

A cidade foi palco dos grandes confrontos religiosos da Escócia e é o lugar onde foi inventado jogo de golfe. A cidade também é conhecida mundialmente pela sua universidade, a terceira mais antiga do mundo de língua inglesa e uma das universidades mais prestigiosas do Reino Unido e foi lá também que o príncipe William e a Kate se conheceram, quando estudavam na renomada faculdade de St. Andrews. Além disso, St Andrews atrai milhares de visitantes todos os anos devido aos seus belíssimos campos de golfe, à sua incrível paisagem costeira e às suas praias de areia fina. Recomendo muito o passeio, é bem interessante e fica menos de  uma hora de Edimburgo.

 2. Glenfinnan – Viaduto de Glenfinnan – Glenfinnan monumento e o Trem a vapor “Jacobite”

 

img_1641 img_1654 25520898

Vila Glenfinnan está situado na A836, alguns 14 milhas a oeste de Fort William, e é mais conhecido talvez pelo viaduto, que faz parte do lendário filme Harry Potter e é por isso que a linha é também referido como “Linha Expresso de Hogwarts”. Se você deseja obter uma visão completa do viaduto, você precisa para subir a colina logo atrás do centro de visitantes do monumento de Glenfinnan, no lado norte da estrada. Se você planejar com antecedência e verificar os horários do Jacobite você pode ser capaz de ver o trem a vapor cruzando o viaduto as 11:20 ou 15:00 – uma visão “mágica” para os fãs de Harry Potter.

O trem Jacobite Steam é executado pela West Coast Railways, uma empresa sediada na Inglaterra que executa algumas outras linhas ferroviárias. Eles começaram a operar o Jacobite em 1995, mas só agora, à pouco tempo, que a linha ficou famosa, graças à popularidade dos filmes de Harry Potter.

A viagem passa por algumas das mais esplêndidas paisagens da Escócia. A partir de Fort William, ele viaja ao longo das margens do Loch Eil, pára por meia hora na estação de Glenfinnan (10:56 -11:25) e continua a Mallaig, onde há serviço de balsa para a Ilha de Skye.

O destaque da viagem é quando o trem atravessa o viaduto Glenfinnan, onde os passageiros tem uma vista deslumbrante do Monument Glenfinnan e Loch Shiel.

img_1601

Glenfinnan Monument e Loch ShielThe Glenfinnan viaduto é apenas um dos lugares mais interessantes para visitar. Norte do Loch Shiel, sul da estrada principal, está o monumento Glenfinnan  e Visitor Centre do National Trust for Scotland que mantém o site para a memória da Revolta jacobita de 1745. O monumento foi erguido em 1815 é uma homenagem aos homens do clã que lutaram e morreram pela causa jacobita. Interessante saber é que centenas de simpatizantes jacobitas ainda se reúnem no monumento todos os anos no sábado mais próximo do dia 19 de agosto. O monumento e o centro de visitantes estão abertos durante todo o ano. Adultos pagam £ 3,50.

Assista o video da viagem ( algumas imagens feitas com o drone)

 3.Castelo Skalter 

 

img_1719 img_1782 img_1749 untitled-b

Castelo Stalker, que traduzido significa “Falconer” foi construído em 1320 e pertenceu ao clã MakDugalov. Desde aquela época, suas paredes têm experimentado uma enorme quantidade de conflitos e guerras que afetaram o estado da estrutura. 

O seu acesso é um pouco difícil.  O Castelo Stalker situa-se em uma ilha que atualmente é considerada desabitada, e é apenas alcançável quando está maré baixa, mas que mesmo assim é bastante procurada pelos turistas do mundo inteiro! O castelo é mais famoso por ter aparecido no “Monty Python e o Santo Graal”. Sua arquitetura é bastante autêntica e, hoje, é considerada uma das torres medievais mais bem preservadas da Escócia.

Fica na costa oeste da Escócia, Localizado em Argyll e Bute.

 4.Castelo Kilchurn 

 

img_1841 img_1856 img_1876

Construído em 1450, o Castelo Kilchurn é apenas uma ruína situada na Escócia, cujo acesso é bastante dificultado nos períodos de cheia e, por isso, seu período de visitação ocorre apenas no verão. Em 1740, tentaram vendê-lo para o governo, mas os proprietários não obtiveram sucesso, tendo então que abandonar o castelo, deixando-o extremamente danificado com o passar do tempo. Uma pena saber que um castelo tão bonito foi abandonado dessa forma.

Em 1.760, o castelo foi danificado por um raio e foi completamente abandonado, os restos de uma torre ainda estão de cabeça para baixo no centro do pátio, que comprova a violência da tempestade ocorrida.

A ruína está atualmente sob os cuidados da Historic Scotland, e é aberto ao público durante o verão. O acesso durante o verão só ocorre por meio de barcos que partem do cais de Lochawe, ou a pé desde Dalmally. É só estacionar no estacionamento à beira da estrada e seguir uma trilha de mais ou menos 10 minutos até o castelo, vale muito à pena a caminhada, pode acreditar!

onde: nordeste de Loch Awe em Argyll

5.Castelo Eilean Donian 

 

img_1260-2 img_1269-2 img_1280-2 img_1289-2

Então, venho aqui cheia de humildade, definir este famoso castelo escocês, que temos visto em inúmeros filmes como: Os Imortais (1986), Rob Roy (1995), 007: O Mundo Não é o Bastante (1999), The Trap (1999) ou Elizabeth: The golden Age (2007). Localizado na sua própria ilha, entre Loch Duich e Loch Alsh, poucos kilometros da ponte que atravessa para a ilha de Skye. A imagem deste castelo é conhecido em todo o mundo. Fica 4hrs de Edimburgo de carro, valeria à pena deslocar essa distâcia toda por um castelo?

O castelo do lado de fora, tem uma aparência mais antiga, enquanto no interior é muito moderno, pelo menos para um castelo do século XIII. A sala de estar, cozinha ou os quartos, estão como se pessoas ainda vivessem lá, eles recriaram cenas da vida diária de momentos que parecem, estarmos visitando a casa da avó,  neste caso, avó escocesa  🙂 , é claro. Nós podemos até mesmo ver um mural com fotos do aniversário de 70 anos de um membro do clã MacRae.
Respondendo a pergunta do inicio, a minha opinião é que sim, vale a pena ir ao castelo Eilean Donan, mas não só para visitar no interior, mas em torno dele todo e apreciar a impressão tipicamente escocesa que nos oferece, e nos imaginarmos, como seria a vida dentro desta fortaleza que é um símbolo da Escócia. Outra coisa bem legal é que o castelo fica bem próximo da Isle of Skye.

Mais informações: www.eileandonancastle.com
Entrada: adultos  7£
Cronograma: marco – Outubro 10:00 às 18:00 horas.

Julho e Agosto abrir às 9:00. Última admissão às 17:00.

Fotos e vídeo proibida dentro.

6.Edimburgo

 

img_0968-2 img_1002-2 img_1928

Se fizéssemos um raio-x de Edimburgo veríamos como a cidade é definida em dois níveis: Na parte superior é conhecida como Cidade Velha e na parte de baixo a cidade nova, ambos reconhecidos em 1995 Património da Humanidade pela UNESCO. A rua principal – Princes Street  com o Princess gardens, dividem a cidade velha da nova e ambas as áreas são ligados pela Ponte – North Bridge.

A cidade Velha, e uma área que parece mais com um cenário de um filme do século XVIII. Royal Mile é a rua principal da Cidade Velha, que liga o Castelo de Edimburgo com o Palácio Holyroodhouse. Durante o mês de agosto acontece o Festival de Edimburgo, e a rua se transforma num palco de arte, uma atmosfera boa que poucos lugares têm.

7.Forth Bridge

 

img_1117-2 img_1124-2 img_1125-2

Na Escócia, nem tudo é verde ou medieval.

South Queensferry é uma pequena cidade localizada á cerca de 16 Km de Edimburgo conhecido por suas pontes: Ponte Forth Road e Forth Rail Bridge cruzando o Firth of Forth, resultado do último período glacial na Grã-Bretanha.

O Forth Bridge Road é uma ponte suspensa de dois quilômetros e meio, que serve como uma estrada para o tráfego de veículos. Foi o reconhecida por v ser a maior ponte suspensa da Europa na época em que foi construído (entre 58 e 64).

Mas o verdadeiro rei da festa é o seu paralelo, o Forth Rail Bridge, que é a ponte sobre a qual corre o trem, construído no final de s. XIX e importante porque foi a primeira estrutura feita inteiramente de aço.

Dizem que até 1917 o Forth Rail Bridge foi também a ponte mais longa do mundo. Desde abril de 2001, a ponte alcançou o status de um monumento nacional e em 2011 foi apresentado como um candidato a património mundial pela Unesco.

South Queensferry é o ponto de partida para as numerosas ilhas que estão no Firth of Forth. A partir do cais você pode tomar ferrys, de alguma empresa de ferry (Maid of the Forth Tours ou Forth) que realizam os passeios.

8.Highlands Cows ( vacas escocesas)

 

img_1798 img_1801 img_1826

Existe na Escócia uma raça de vaca com características bem diferentes: chifres encurvados, franja longa pendente sobre os olhos e pelagem densa e desgrenhada sobre o corpo robusto.

Essa raça é uma das mais antigas e há séculos resiste ao clima severo das Terras Altas e ilhas da Escócia. Sua franja grande e um tanto engraçada tem um papel muito importante. No inverno, protege os olhos do vento, da chuva e da neve. No verão, a proteção é contra insetos que poderiam causar uma infecção.

9.Portree – Isle of Skye

 

img_1430 img_1426 img_1440 img_1448

Portree é a maior cidade da Ilha de Skye, a cidade vive da pesca e do turismo. Com poucos habitantes e um porto enquadrado em um penhasco. Esta pequena aldeia está localizada em meio à imensidão da natureza, o que o torna a sua paisagem ainda deslumbrante e pitoresca, o maior charme da vilazinha são as fileiras de casas de três andares no penhasco onde as paredes e portas, são pintados em cores diferentes, tornando a vista ainda mais impressionante. E também devo mencionar que as gaivotas afirmam ser as rainhas do lugar. Aparentemente, não há muito a fazer por aqui, é apenas uma bela cidade que cheira fish and chips (comida típica do Reino Unido – peixe frito empanado com batatas fritas). Existem vários passeios de barco que saem do porto também.

 

10.Urquhart Castle e Loch Ness

 

mmm mnbv

Sobre um promontório no lago, em uma localização estratégica, o castelo em ruínas Urquhart é um dos mais visitados na Escócia sob as águas escuras do Lago Ness.

As Terras Altas da Escócia são ricas em histórias, e o castelo Urquhart, rodeado pela natureza e banhado em um dos lagos mais místicos do mundo, alimentou a lenda de Nessie e deu um grande impulso no turismo. Urquhart situa-se no coração das Terras Altas da Escócia e se estende ao longo de 37 km, com águas estreitas e escuras. O Loch Ness, um dos maiores lagos de água doce escocesa ao lado de Loch Lomond, tornou-se uma fonte de intriga e misticismo com a criatura marinha “Nessie” (besta mitológica para alguns; decepção para os outros )… cujo a lenda atravessou fronteiras, e hoje é um grande ímã turístico para os vales do Great Glen, que recebe muitos visitantes na área a cada ano. Mas foi em 1933, que a notícia da aparição de Nessie no lago Ness se espalham. Embora nunca houve evidência de Nessie, além de algumas fotos questionáveis, por décadas o mundo elabora teorias para explicar a existência de sombras e movimentos no Loch Ness. O mistério, longe de esmorecer, promete continuar alimentando o turismo em Inverness e Loch Ness.

 

 

Mirelle Tome

Author Mirelle Tome

More posts by Mirelle Tome

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: