NoruegaViagens

Ilhas Lofoten, Noruega – um lugar movido pela natureza

Devem estar se perguntando porque escolhi Lofoten? O que tem de especial além de um monte de ilhotas?

Exatamente esse é o chame de Lofoten, suas milhares de ilhotas, muitas desabitadas e ligadas por pontes surreais de longas!

O slogan de turismo oficial da Noruega é “movido pela natureza”, e por isso não é surpresa que Lofoten seja um paraíso ao ar livre, especialmente nos meses de verão, quando pode haver sol por até 24 horas, proporcionando infinitas oportunidades de trilhas. E, entre tantas opções, tentamos fazer pelo menos 2 trilhas, uma foi bem sucedida, enquanto a segunda não conseguimos concluir por estar fechada.

Informações sobre Lofoten

O comprimento total do arquipélago é de cerca de 175 km, no entanto as ilhas estão tão próximas que podem ser confundidas com uma cordilheira contínua. A maior das ilhas, Austvågøy, fica mais ao leste e é cercada por outras ilhas menores que podem ser alcançadas de barco.

A beleza natural da região é surpreendente e a grande razão de sua popularidade – inúmeras enseadas e fiordes cobrem a paisagem escarpada, com imponentes paredes de rocha e enormes montanhas cobertas de neve pontuando a vista. Os picos íngremes também fornecem refúgio para muitas espécies de pássaros e outros animais selvagens, enquanto os mares são o lar de uma vida marinha diversa, incluindo orcas migratórias.

O arquipélago de Lofoten é composto por sete ilhas principais. São 130 km de estrada panorâmica, a E10 liga as cinco ilhas orientais e as duas últimas, Værøy e Røst, são acessíveis por ferry.

Até aqui já deu pra ver o porque que o arquipélago de Lofoten é um lugar verdadeiramente especial. 

Por estar localizado acima do Círculo Ártico, durante o verão (de junho a agosto) o sol nunca se põe perfeito para aproveitar bem os dias longos, você pode andar por volta das 2 da manhã e sentir como se fosse o final da tarde, imagina só, eu não iria querer dormir 😬. (Já no inverno, de dezembro a janeiro) nunca sobe o que é perfeito para admirar a Aurora Boreal.

Lofoten é extraordinário não só por causa do inusitado sol da meia noite e as Auroras Boreais, mas também pelas paisagens surreais e cinematograficas dessa região. Devo admitir que é o lugar mais lindo do Norte da Noruega.

Lofoten também tem praias de aparência tropical que você nunca imaginaria existir tão ao norte. Toda essa mistura incomum de paisagens que, de outra forma, não seriam vistas lado a lado em qualquer outro lugar cria um cenário único e cinematográfico.

Distância Acima do Círculo Ártico:  170 quilômetros
Número de ilhas:  Sete. Cinco ilhas principais (Austvågøy, Gimsøya, Vestvågøy, Flakstadøya e Moskenesøya) são conectadas pela rota cênica E10 e duas (Værøy e Røst) e acessíveis por balsa de Villages ou Moskenes.

Não perder: Henningsvær e Reine foram minhas preferidas!

Como chegar a Lofoten :  Voe de Oslo para Svolvær (SVJ) ou Harstad / Narvik (EVE), ou pegue a balsa de Bodø para Svolvær ou Moskenes. Caso esteja em Tromso como nós, pegue uma balsa de Tromso até Harstad.

Onde ficar :

Lofoten tem acomodações para todos os gostos e bolsos, mas se querem mesmo sentir a atmosfera da região, recomendo se hospedar num Rorbuer, que são cabanas coloridas de pescadores convertidas em acomodações para turistas.

Nosso roteiro:

Começamos nossa viagem por Tromso, onde ficamos 2 noites e depois seguimos em direção as ilhas lofoten. Pegamos um ferry em Tromso até Harstad (3 horas de viagem) pagamos 320 NOK apenas ida, haaa fomos de manhã, tem ferry em 2 horarios de segunda à quarta e 4 horarios de quinta à domingo.

Chegamos em Harstad e caminhamos cerca de 5 minutos do porto até a estação de ônibus para pegar um ônibus para ir até o aeroporto onde tinhamos o carro alugado ( é muito importante ter os horários dos ônibus com antecedência pra se planejar bem ) porque tem poucos horários de ônibus de Harstad para o aeroporto. Devem estar se perguntando porque alugamos o carro no aeroporto? Primeiro por questão de preço, o carro alugado no aeroporto era muito mais barato e  nossa volta pra casa era pelo mesmo aeroporto, então economizamos uma boa grana.

Nós ficamos 3 noites nas ilhas Lofoten, muito pouco é claro, eu poderia ter ficado uma semana que não consegueria ver tudo.

Nosso roteiro ficou assim: Svolvaer, Henningsvaer, Leknes, Haukland, Hamnoy e Reine.

Claro que fizemos várias paradas pelo caminho entre uma cidade e outra.

Svolvær é a porta de entrada para as ilhas e 30 minutos abaixo da estrada é a pitoresca vila piscatória de Henningsvær , lar de algumas das arquiteturas mais bem preservadas dos tradicionais vilarejos da Noruega. Henningsvær consiste em um grande número de ilhotas espalhadas pacificamente entre as águas do Vjestfjord.

Além disso, Henningsvær é considerada a vila de pescadores mais animada de Lofoten e o coração artístico das ilhas, lar de cafés peculiares, restaurantes e até uma galeria de arte.

Depois de muitos deslumbres pegamos a estrada outra vez que serpenteia para o oeste, aqui podemos admirar algumas das paisagens montanhosas mais dramáticas das ilhas de Lofoten. Chegamos na região de Moskenesøya, a ilha mais ocidental conectada pela estrada E10 rumo a vila de  Reine , a vila de pescadores quase fictícia que é mais sonolenta que Henningsvær, mas com um cenário ainda mais surreal. Reine é uma base excelente para quem curte trilhas. Também é ótimo para passeios de caiaque, ciclismo e, claro uma caminhada até a montanha de Reinebringen, onde é possível ter uma das vistas panorâmicas mais lindas da região.

Seja qual for a sua razão para visitar as Ilhas Lofoten espero que este post de ajude a montar base para o seu roteiro pela região.

Svolvaer

“Onde quer que eu estivesse em Svolvær e da maneira que eu olhasse, a vista era simplesmente magnífica!” A maioria das visitas a Lofoten começa por aqui. Svolvaer é a maior cidade de Lofoten, que fica ao longo da costa sul de Austvågøy.

Espremido entre as montanhas e junto ao mar, torna a cidade um charme com casas de madeiras coloridas e uma arquitetura distinta norueguesa. No centro há muitas opções de restaurantes e a comida é incrível, mas os preços são, infelizmente, com os padrões noruegueses!

Chegamos a Svolvaer por volta das 4 da tarde e infelizmente nesse dia pegamos muita chuva. Assim que a chuva deu uma parada fomos passear no centrinho da cidade. Nós hospedamos no FastHotels, esse hotel funciona tipo self service, você chega paga pela diaria numa maquina que fica na recepção, depois que efetuar o pagamento eles te enviam o codigo da entrada principal e do quarto para seu email ou mensagem no telefone. O hotel é bem limpo e organizado, de manhã eles deixam uma sacola com café da manhã na porta do quarto. Eu fiz varios videos mostrando tudo nos stories do meu Instagram, esta salvo nos destaques de Lofoten.

Há várias outras opções de hospedagem, como essas antigas cabanas de pescadores (“rorbuer”) que foram restauradas e transformadas em acomodações modernas para os viajantes.

Henningsvaer

Composto por uma série de ilhotas espalhadas entre as águas do Vjestfjord, Henningsvær tem a arquitetura mais bem preservada das aldeias tradicionais norueguesas, com cafés e restaurantes peculiares.

Vistas panorâmicas de cartão postal e grandes galerias de arte a apenas 30 minutos de carro do Svolvær.

O cenário dramático de Henningsvær está no mesmo nível de Reine , com edifícios coloridos revestindo o porto e as montanhas íngremes de Austvågøya como pano de fundo.

Os prédios de madeira são relíquias históricas, e é uma alegria passear pelo porto para apreciar as belas paisagens arredores.

Situado em um grupo de pequenas ilhas que parecem ter sido jogadas no oceano, no sopé da imponente montanha Vågakallen. O ambiente deslumbrante e a mistura de arquitetura tradicional de madeira com galerias de arte moderna fazem desta vila insular única.

A entrada é uma estrada estreita à beira da água que se agarra à base da montanha.

Quando vemos fotos dessa cidade na internet, a primeira que aparece é essa com o campo de futebol que fica no final da Estrada da  ilha.

Como mencionado acima, o campo está localizado no final da estrada em uma ilha e é cercado por paisagens de tirar o fôlego. As montanhas íngremes, mar, cabanas de pescadores ao longo das baías criam uma vista espetacular do alto.

Haukland Beach

Esta é uma das praias mais bonitas da Noruega – não só tem areia branca , mas também é cercada por picos montanhosos cobertos de neve. Parece uma mistura das praias do Caribe com os Alpes da Suíça – como se essas duas maravilhas naturais estivessem lado a lado.

Tivemos aqui não para dar um mergulho no mar azul/verde cristalino e gelado, mas sim para fazer uma trilha que sai da praia e te leva ao topo da colina, a caminhada de ida e volta leva cerca de 2 horas, mas a vista de lá é tão deslumbrante que você nem vai lembrar que tem um penhasco pra descer, rsrs!

Fredvang

Continuamos a viagem pela E10, admirando o mar e as montanhas misturadas em um só, paramos na impressionante ponte Fredvang que conecta a ilha de Moskenesoya com Flakstadoya, embora não seja a única ponte entre essas duas ilhas, essa è a maior e mais impressionante delas. Essa ponte foi construída em 1988, combinando suavemente com o cenário natural.

A melhor vista da ponte é a partir do alto, tiramos algumas fotos com o drone, mas se você tiver mais tempo, eu recomendo caminhar pelas colinas próximas.

De Kvalvika, voltando pela Ponte Fredvang e continuando para o norte, você verá a praia de Ramberg. É uma praia bonita e muito fácil chegar, fica do lado da estrada principal. Imagino a cor da água no verão, deve ficar ainda mais azul.

Hamnoy

Esta é uma pequena aldeia em Reinefjord, que é o cartão postal mais famoso de Lofoten e fica a poucos minutos de Reine.

Hamnoy é o lugar que você vê nos cartões postais e em todo o Instagram. As montanhas emoldurando o Rorbuer vermelho e o porto de pesca são impressionantes. Mesmo no típico dia nublado, chuvoso e ventoso, você ficará impressionado com a beleza natural da região.

As vistas são melhores indo para o sul, antes da ponte (para uma vista do porto e, em seguida, em direção ao norte na ponte para a visão Rorbuer). Recomendo uma caminhada  pela aldeia para observar as prateleiras de bacalhau, os barcos, pássaros e cabanas à beira do mar.

Reine

Esse vilarejo têm o título de “a aldeia mais bonita da Noruega”, e, eu tenho que concordar, eu fique impressionada com a beleza desse vilarejo. Não é de admirar que Reine tenha atraído artistas, como pintores e poetas, durante séculos. Eles foram inspirados pelas vistas deslumbrantes das montanhas e fiordes para compor quadros e poemas. Existem aproximadamente 300 residentes na ilha, e mesmo pequena tem muitos hotéis, restaurantes, lojas e cafés para receber bem os turistas.

A aldeia de Reine é cercada por uma pequena lagoa com água turquesa surpreendentemente clara e com as majestosas montanhas pontudas ao fundo. As tradicionais casas de pescadores pintadas de vermelho dão o toque final a este cenário encantador. Reine é um must see e durante a sua viagem por Lofoten!

Rorbuer – Cabanas dos Pescadores –  são as belas cabanas de pesca em madeira vermelha, que são incrivelmente bonitas dando um contraste bonito ao ambiente natural. Antigamente serviam de moradia para os pescadores que viviam em Lofoten.

Hoje, muitos deles foram convertidos para oferecer alojamento para quem fica em Lofoten. Estas cabanas restauradas atendem a todos os interesses e orçamentos – variam desde os básicos aos mais rústicos, e luxuosos. Hospedar em uma dessas cabanas essencialmente em Lofoten, certamente será um dos destaques de sua viagem. Mesmo que você não fique neles, certifique-se de tirar algumas fotos. 🙂

Qual mês visitar?

Setembro : Um mês interessante, com menos turistas. A única desvantagem é a chuva e a queda das temperaturas, juntamente com o clima ainda mais imprevisível. No entanto, não é  muito frio em setembro e, além da chuva e da brisa forte, pode ter sorte de pegar dias ensolarados como nós. Para aqueles que procuram experimentar este fenômeno único e enigmático “a Aurora Boreal”, podem considerar vir à partir de outubro. De Maio à Julho é possível ver o sol da meia noite, e as temperaturas são mais quentes.

Aurora boreal

E por falar nela! A coisa mais importante antes de ir caça delas, é saber quando e como identifica-las, sob quais condições e onde:

Meses : Do final de agosto até meados de abril. Geralmente final de setembro à março são os meses com as maiores ocorrências.
Tempo : O céu precisa estar limpo (sem nuvens) e escuro.
Horário: Teoricamente, a qualquer momento após o pôr do sol até o nascer do sol. No entanto, geralmente após às 20h. O horário nobre é entre 21h e meia-noite.
Localização : A regra geral é: Sem poluição luminosa! Isso significa que nenhuma luz artificial de casas, etc., deve estar perto. Em geral, os melhores pontos para vê-los e fotografá-los são ao longo da costa. Áreas populares para fotografar a Aurora Boreal  são em Reine e as praias de Flakstadøy ou Vestvågø.

Mirelle Tome

Autora Mirelle Tome

Mais posts de Mirelle Tome

Deixe uma reposta

Close
%d blogueiros gostam disto: